97-Contágio

97-Contágio

O filme é sensacional e só tem fera. Aliou duas paixões minhas: a Medicina e o Jornalismo.

Pasmem! Conseguiram deixar o Jude Law feio com um dente quebrado.

Uma moça viaja a Hong Kong e contrai um vírus misterioso que acaba passando para seu filho e contaminando outras pessoas provocando uma pandemia. A aprtir disso, outros conflitos se desenrolam: o marido que é imune e descobre que foi traído, a enteada que não pode namorar porque fica em quarentena, os privilégios que um médico concede à sua esposa por ter a vacina, um jornalista e blogueiro que usa de sua influência a favor de um medicamento que não é eficaz porque ganha dinheiro do laboratório.

Filme da grife Sordenberg. Para refletir.

Em alguns momentos lembra Ensaio sobre a cegueira e Jardineiro Fiel.

Sinopse

Contágio segue o rápido progresso de um vírus letal, transmissível pelo ar, que mata em poucos dias. Como a epidemia se espalha rapidamente, a comunidade médica mundial inicia uma corrida para encontrar a cura e controlar o pânico que se espalha mais rápido do que o próprio vírus. Ao mesmo tempo, pessoas comuns lutam para sobreviver em uma sociedade que está desmoronando.

Título original: (Contagion)

Lançamento: 2011 (EUA)

Direção: Steven Soderbergh

Atores: Matt DamonMarion CotillardGwyneth Paltrow, Bryan Cranston, Kate Winslet, Jude Law.

Duração: 105 min

Gênero: Ação

Poltrona de Opinião/Eduardo Guimarães

Poltrona de Opinião/Eduardo Guimarães

O QUE PODEMOS ESPERAR DE OS VINGADORES?

Saiu no dia 11 deste mês o tão esperado 1º trailer do filme Os Vingadores.

É verdade que o filme só será lançado em maio de 2012, mas já é possível imaginar alguns cenários para o filme.

Alguns bons e outros ruins.

Mas primeiro, caso você tenha sido abduzido e não teve oportunidade de entrar na net nas últimas duas semanas, clique aqui e veja o trailer. Depois conversamos.

Bom, agora que você já viu o trailer, vamos analisar primeiro o cenário positivo e depois o negativo.

No cenário positivo, teremos um filme onde nenhum personagem se destaca mais do que os outros, onde a trama será simples e bem fechadinha.

No cenário negativo, teremos uma trama muito confusa e o foco na história somente em um personagem, o que torna o filme chato, principalmente para os fãs dos outros heróis.

Acho que o mais importante é o pessoal da Marvel Films aprender com dois filmes de equipes da própria Marvel. Um bom e um que foi fraco: X-Men O Confronto Final e Quarteto Fantástico.

Um filme que eu gostei foi Quarteto Fantástico. A história é simples e nenhum dos personagens ofuscou o outro. Apesar de um foco um pouco maior no Coisa, por ser o personagem com uma melhor história para ser contada, ele não foi a estrela do filme. E a trama foi simples: o Dr. Destino querendo detonar o Quarteto. Simples e direto.

Já um filme que ficou devendo foram os filmes dos X-Men. Principalmente o terceiro.

Em X-Men o foco ficou em cima do Wolverine e da Tempestade e outros personagens, que poderiam ter sido mais bem explorados, como o Colossus, ficou sumido na trama. Por sinal, a os dois primeiros filmes tinha até histórias boas. Mas o 3º foi de matar. De matar todos os personagens e os fãs da série. Muita confusão. Uma pena.

Agora o cenário para Os Vingadores é bom. Todos os personagens já tiveram sua história contada, o que evita uma perda de tempo para contar origens; Nick Fury e a S.H.I.E.L.D. também já apareceram nos outros filmes, evitando explicações de quem são; a trama parece que vai ser simples e o público está LOUCO de vontade de ver todos os heróis juntos (e eu me incluo nesse bando de loucos).

Infelizmente teremos que esperar até maio de 2012 para ver onde iremos encaixar Os Vingadores: na lista de filmes bons ou ruins.

Mas até lá, podemos imaginar muito de como será o filme.

Porque o trailer é bom.

Poltrona de Opinião/Por Eduardo Guimarães

Poltrona de Opinião/Por Eduardo Guimarães

JIM CARREY vs ROBIN WILLIAMS

Sei que não é justo comparar duas carreiras destes grandes atores, mas quando você olha a filmografia de Jim Carrey e de Robin Williams se cruzam em vários aspectos e por isso resolvi escrever sobre isso.

Vou elaborar alguns tópicos comuns na carreia de cada um e a partir de destes pontos, vamos ver como as carreiras destas duas lendas vivas de Hollywood.

INÍCIO DE CARREIRA

No cinema, ambos começaram quase juntos: Carrey começou em 1980 e Williams em 1977.

O primeiro sucesso Williams veio cedo em um filme fantástico em 1984, que foi Moscou em Nova York (Moscou on the Hudson, direção de Paul Mazursky). Porém, antes deste filme, ele já tinha estrelado a adaptação do desenho Popeye (Popeye, de 1980, direção de Robert Altman). Infelizmente este filme é muito fraco.

Já Carrey teve seu primeiro sucesso em 1994, com o filme Débi e Lóide (Dumb and Dumber, dirigido pelos irmãos Bobby e Peter Farrelly). E antes deste filme, ele participou de 2 filmes que fizeram sucesso, mas não por causa dele: Peggy Sue – Seu Passado a Espera (Peggy Sue Got Married, de 1986, direção de Francis Ford Copolla) e Dirty Harry na Lista Negra (The Dead Pool, de 1988, direção de Buddy Van Horn). E tem um filme que virou Cult, apesar de eu achar muito ruim, que é Procura-se Rapaz Virgem (Once Bitten, de 1985, direção de Howard Storm).

SUCESSOS

Os dois atores tiveram grandes sucessos na carreira, tanto no humor quando no drama.

Na comédia, Williams teve seu primeiro sucesso em 1987, com Bom Dia Vietnã (Good Morning Vietnan, de 1987, direção de Barry Levinson) e depois não parou mais: Sociedade dos Poetas Mortos (Dead Poets Society, de 1989, direção de Peter Weir); O Pescador de Ilusões (The Fisher King, de 1991, direção de Terry Gilliam); Hook – A Volta do Capitão Gancho (Hook, de 1991, direção de Steven Spielberg); Aladdin (Aladdin, de 1992, direção de Ron Clements e John Musker); Uma Babá Quase Perfeita (Mrs. Doubtfire, de 1993, direção de Chris Columbus); A Gaiola das Loucas (The Birdcage, de 1996, direção de Mike Nichols) e Happy Feet (Happy Feet, de 2006, direção de George Miller, Warren Coleman e Judy Morris).

Carrey, após Débi e Lóide também tem uma lista grande de sucessos: Ace Ventura – Um Detetive Diferente (Ace Ventura: Pet Dective, de 1994, direção Tom Shadyac); O Máskara (The Mask, de 1994, direção de Charles Russel); Ace Ventura 2 – Um Maluco na África (Ace Ventura: When Nature Calls, de 1995, direção Steve Oedekert); O Mentiroso (Liar Liar, de 1997, direção de Tom Shadyac); O Show de Truman (The Truman Show, de 1998, direção de Peter Weir); Eu, Eu Mesmo e Irene (me, Myself & Irene, de 2000, direção dos irmãos Bobby e Peter Farrelly); Todo Poderoso (Bruce Almighty, de 2003, direção de Tom Shadyac); As Loucuras de Dick e Jane (Fun with Dick and Jane, de 2005, direção de Dean Parisot) e Sim Senhor (Yes Man, de 2008, direção de Peyton Reed).

FRACASSOS

Fracassos eu vou considerar filmes ruins e filmes que tiveram bilheteria fraca. Mas isso não quer dizer que o filme seja ruim. Em alguns casos, o filme é bom.

Robin Williams tem em sua lista os filmes Jumanji (Jumanji, de 1995, direção de Joe Johnston); Flubber (Flubber, de 1997, direção de Les Mayfield); 1 Dia, 2 Pais (Fathers’ Day, de 1997, direção de Ivan Reitman); Amor Além da Vida (What Dreams May Come, de 1998, direção de Vicent Ward); O Homem Bicentenário (Bicentennial Man, de 1999, direção de Chris Columbus); Insônia (Insomnia, de 2002, direção de Christopher Nolan); e Retratos de uma Obsessão (One Hour Photo, de 2002, direção de Mark Romanek) e Férias no Trailer (RV, de 2006, direção de Barry Sonnenfeld).

Para Jim Carrey seus fracassos se concentram principalmente quando ele não faz comédias e sim filmes mais sérios. Sua lista é composta por Batman Eternamente (Batman Forever, de 1995, direção de Joel Schumacher); O Pentelho (The Cable Guy, de 1996, direção de Bem Stiller); O Mundo de Andy (Man on the Moon, de 1999, direção de Milos Forman); Cine Majestic (The Majestic, de 2001, direção de Frank Darabont); Brilho Eterno de uma Mente sem Lembrança (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, de 2004, direção de Michel Gondry) e Número 23 (The Number 23, de 2007, direção de Joel Schumacher).

PRÊMIOS

Neste campo, Robin Williams supera Jim Carrey fácil.

Williams venceu o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em 1997, com o filme Gênio Indomável. E foi indicado para Melhor Ator em 1989, com Sociedade dos Poetas Mortos. Globo de Ouro ele já ganhou 3: em 1987 por Bom Dia Vietnã; 1991 por Pescador de Ilusões e 1993 por Uma Babá Quase Perfeita.

Jim Carrey ganhou 2 Globos de Ouro: em 1998 por Show de Trumam e 1999 por O Mundo de Andy.

CONCLUSÃO

Apesar de ambos terem uma carreira de sucesso, os dois colecionam fracassos de bilheteria e falta de reconhecimento por partes da imprensa especializada. Principalmente Jim Carrey, que nunca foi reconhecido por seus filmes sérios.

Mas ambos sempre se destacam principalmente pela comédia, onde se destacam sempre com grande sucesso.

Festival do Rio

Festival do Rio

O Festival do Rio começou ontem, dia 6, e vai até o dia 18.

Sugestões:

A pele que habito, de Pedro Almodóvar

George Harrison: living in the material world

Memórias de minhas putas tristes, baseado el livro de Gabriel García Marquez,

Rock Brasília, era de ouro

Um dia, com Anne Hathway.

Aproveitem!!!

96- Ladrão de Casaca

96- Ladrão de Casaca

Sou apaixonada por filmes antigos, Cary Grant, Alfred Hitchcock eMônaco. Esse filme reúne as quatro coisas. E ainda tem Grace Kelly. É um filme ótimo, com paisagens deslumbrantes e um final surpreendente.

Recomendo!

De Hitchcock, recomendo também Os Pássaros.

SINOPSE

John Robie é suspeito de uma nova onda de roubos nos hotéis de luxo da Riviera Francesa, mas diz estar inocente e pretende limpar o seu nome. Ao conhecer uma herdeira mimada, Frances Stevens, vê a oportunidade ideal para lançar o isco ao misterioso ladrão com as fabulosas jóias da mãe desta. O plano vira-se no entanto contra ele, mas Frances, embora acreditando que Robie é o culpado, ajuda-o a fugir. No final, recheado de surpresas, o verdadeiro criminoso é desmascarado.

Ficha técnica:

Cary Grant, Grace Kelly e Jessie Royce.