Oscar 2012 – Indicações

Oscar 2012 – Indicações

POR EDUARDO GUIMARÃES

Saiu semana passada a lista dos indicados ao Oscar 2012.

Os destaques ficaram por conta das 11 indicações do filme “A Invenção de Hugo Cabret”, de Martin Scorsese e as 10 indicações do filme francês “O Artista”.

Outro destaque da premiação é a indicação de Sérgio Mendes e Carlinhos Brown na categoria de Melhor Canção Original, pelo tema do filme “Rio”.

Melhor filme
“Cavalo de guerra”
“O artista”
“O homem que mudou o jogo”
“Os descendentes”
“A árvore da vida”
“Meia-noite em Paris”
“História cruzadas”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Tão forte e tão perto”

Melhor ator
Demián Bichir – “A better life”
George Clooney – “Os descendentes”
Jean Dujardin – “O artista”
Gary Oldman – “O espião que sabia demais”
Brad Pitt – “O homem que mudou o jogo”

Ator coadjuvante
Kenneth Branagh – “Sete dias com Marilyn”
Jonah Hill – “O homem que mudou o jogo”
Nick Nolte – “Warrior”
Max Von Sydow – “Tão forte e tão perto”
Christopher Plummer – “Beginners”

Melhor atriz
Glenn Close – “Albert Nobbs”
Viola Davis – “Histórias cruzadas”
Rooney Mara – “Os homens que não amavam as mulheres”
Meryl Streep – “A dama de ferro”
Michelle Williams -“Sete dias com Marilyn

Melhor atriz coadjuvante
Octavia Spencer – “Histórias cruzadas”
Bérénice Bejo – “O artista”
Jessica Chastain – “Histórias cruzadas”
Janet McTeer – “Albert Nobbs”
Melissa McCarthy – “Missão madrinha de casamento”

Melhor animação
“A Cat in Paris”
“Chico & Rita”
“Kung Fu Panda 2”
“Gato de Botas”
“Rango”

Melhor roteiro original
“O artista”
“Missão madrinha de casamento”
“Margin Call”
“Meia-noite em Paris”
“A separação”

Trilha sonora original
“As aventura de Tintim” – John Williams
“O Artista” – Ludovic Bource
“A invenção de Hugo Cabret” – Howard Shore
“O espião que sabia demais” – Alberto Iglesias
“Cavalo de guerra” – John Williams

Canção original
“Man or Muppet”, de “Os Muppets”, música e letra de Bret McKenzie
“Real in Rio”, de “Rio”, música de Sergio Mendes e Carlinhos Brown, letra de Siedah Garrett

Maquiagem
“Albert Nobbs”
“Harry Potter”
“A dama de ferro”

Direção de arte

“O artista”
“Harry Potter”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Meia-noite em Paris
“Cavalo de guerra”

Fotografia
“O artista”
“Os homens que não amavam as mulheres”
“A invenção de Hugo Cabret”
“A árvore da vida”
“Cavalo de guerra”

Figurino
“Anonymous”
“O artista”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Jane Eyre”
“W.E.”

Diretor
Michel Hazanavicius – “O artista”
Alexander Payne – “Os descendentes”
Martin Scorsese – “A invenção de Hugo Cabret”
Woody Allen – “Meia-noite em Paris”
Terrence Malick – “A árvore da vida”

Documentário (longa-metragem)
“Hell and Back Again”
“If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front”
“Paradise Lost 3: Purgatory”
“Pina”
“Undefeated”

Documentário (curta-metragem)
“The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement”
“God Is the Bigger Elvis”
“Incident in New Baghdad”
“Saving Face”
“The Tsunami and the Cherry Blossom”

Edição
“O artista”
“Os descendentes”
“Os homens que não amavam as mulheres”
“A invenção de Hugo Cabret”
“O homem que mudou o jogo”

Melhor filme em língua estrangeira
“Bullhead” – Bélgica
“Footnote” – Israel
“In Darkness” – Polônia
“Monsieur Lazhar” – Canadá
“Separação” – Irã

Curta-metragem de animação
“Dimanche”
“The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore”
“La Luna”
“A Morning Stroll”
“Wild Life”

Curta-metragem
“Pentecost”
“Raju”
“The Shore”
“Time Freak”
“Tuba Atlantic”

Edição de som
“Drive”
“Os homens que não amavam as mulheres”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Transformers: o lado oculto da lua”
“Cavalo de guerra”

Mixagem de som
“Os homens que não amavam as mulheres”
“A invenção de Hugo Cabret”
“O homem que mudou o jogo”
“Transformers: o lado oculto da lua”
“Cavalo de guerra”

Efeitos visuais
“Harry Potter”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Gigantes de aço”
“Planeta do macacos”
“Transformers: o lado oculto da lua”

Roteiro adaptado
“Os descendentes”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Tudo pelo poder”
“O homem que mudou o jogo”
“O espião que sabia demais”

Poltrona de Opinião/Eduardo Guimarães

Poltrona de Opinião/Eduardo Guimarães

UM SONHO CHAMADO AMÉLIE POULAIN

Provavelmente você já ouviu falar deste filme. E talvez tenha torcido seu nariz ao saber que ele é francês.

Mas fique sabendo que se você nunca viu O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (Le Fabuleux Destin d’Amélie Poulain, França 20001, direção de Jean-Pierre Jeunet, com Audrey Tautou e Mathieu Kassovitz) somente porque ele é francês, está perdendo uma experiência cinematográfica única.

O filme conta uma história apaixonante sobre uma personagem que decide consertar a vida das pessoas, levando a felicidade para quem precisa. Mas acaba esquecendo-se da própria vida. Até que finalmente o amor surge e ela consegue ser feliz.

O roteiro de Guillaume Laurant é simples e conta a história de Amélie, uma jovem que dedica sua vida a apenas observar, sem grande envolvimento ou amores. Porém, um dia ela encontra uma caixa de com brinquedos e recordações em seu apartamento. Então ela resolve devolver ao antigo proprietário e levar alegria e boas recordações para ele.

Partindo daí, ela acaba ajudando a zeladora de seu prédio, uma das mulheres que trabalha com ela no café em Paris e um desconhecido que coleciona fotos deixadas para trás nas máquinas automáticas espalhadas no metro.

A interpretação de Audrey Tautou como Amélie é apaixonante. Para falar a verdade, não existe definição melhor para a personagem: apaixonante. Amélie é tratada com frieza por seu pai e certo desprezo pela mãe, que queria um filho homem.

Os personagens que também rondam Amélie também são fascinantes. Vale o destaque principalmente para Raymond Dufayel (Serge Merlin), vizinho de Amélie que tem uma doença que faz seus ossos se quebrarem como cristal. Então ele evitar sair de casa. Então nos últimos 20 anos passa seu tempo reproduzindo a mesma tela de Renoir. Uma por ano. E através da visão dele e da tela de Renoir, Amélie se vê como uma das figuras imortalizadas na pintura.

A música e a fotografia são outros pontos fortes do filme. Paris é o cenário perfeito para esta história. E a trilha sonora de Yann Tiersen é uma maravilhosa.

Amélie Pourlain é um filme que quebra todas as formulas feitas de Hollywood. Só por isso já merece destaque. Mas o que mais me deixou fascinado foi que você acredita em sua história e seus personagens.

O filme teve 5 indicações ao Oscar: Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia, Melhor Som e Melhor Roteiro Original. E uma indicação ao Globo de Ouro como Melhor Filme Estrangeiro.

Enfim, não tem como ao final do filme, você não sair com um sorriso no rosto e um ar mais otimista da vida. Como se você tivesse acabado de acordar de um sonho bom.

Um sonho que vale a pena sonhar de novo.

DEMORA NAS POSTAGENS

DEMORA NAS POSTAGENS

Prezado leitor(a)

Infelizmente, devido a um problema em seu computador, Anna Barros, editora do Poltrona, terá uma certa dificuldade para postar mais notícias e artigos aqui no Poltrona.

Mas não se preocupem que eu irei atualizando o blog conforme for possível e não deixarei vocês sozinhos.

E em breve, voltaremos com força total aqui.

Eduardo Guimarães

109- De volta para o futuro 3

109- De volta para o futuro 3

Como me amarro no passado, esse é meu filme preferido de Marty McFly. E agora lembrarei também de alguém. Gosto de trens, locomotivas e juro que eu gostaria de ter uma máquina do tempo, um De Lorean, mas eu não tenho, infelizmente.

E o Doc encontra o amor. É bem legal a história de uma saga que marcou a minha geração.

Michael J.Fox fez um dos papéis mais antológicos de sua carreira.

Recomendo demais! Todos os três episódios, especialmente esse.

Sinopse

Após de receber uma carta de Doc (Christopher Lloyd) datada de 1885, Marty (Michael J. Fox) viaja ao Velho Oeste, no dia 2 de setembro do mesmo ano, tendo apenas cinco dias para salvar a si e aos seus amigos e voltar para o futuro.

Título original: (Back To The Future Part III)

Lançamento: 1990 (EUA)

Direção: Robert Zemeckis

Atores: Michael J. FoxChristopher Lloyd, Mary Steenburgen, Thomas F. Wilson.

Duração: 117 min

Gênero: Ficção Científica

Poltrona de Opinião/Por Eduardo Guimarães

Poltrona de Opinião/Por Eduardo Guimarães

Desculpem-se só publicar excepcionalmente hoje a coluna que costuma ser publicada às segundas-feiras. Por motivos profissionais estava impossibilitada de fazê-lo. Grata, Anna Barros

 

O QUE ESPERAR DE AKIRA?

Salve pessoal. Aproveitaram bem as férias? Espero que sim. Não fiz tudo o que queria, mas deu para curtir um pouco.

E nos próximos dias, vou mandar alguns filmes que vi e gostei para vocês.

Agora, vamos falar de um assunto que está me preocupando bastante: a versão live action de AKIRA.

Desde o ano passado, várias notícias estão circulando na internet sobre a produção do longa. E a maioria não é boa para os fãs do mangá de Katsuhiro Otomo.

Além dos cortes no orçamento (inicialmente o filme custaria US$ 230 milhões e agora pode cair para US$ 70 milhões), a direção do filme ficou a cargo do espanhol Jaume Collet-Serra, que tem em sua filmografia filmes como A CASA DE CERA e GOL!2: VIVENDO O SONHO.

Mas o que realmente está enfurecendo os fãs (e eu me incluo nesta categoria) é a história que será contada no filme.

Em primeiro lugar, o filme se passa em Neo-Manhattan e não em Neo-Tokio. Então os atores serão todos americanos, apesar de manterem os nomes japoneses.

Bom, vamos a sinopse divulgada pela Warner Bros, que está produzindo o filme:

Kaneda, dono de um bar em Neo-Manhattan, descobre que seu irmão Tetsuo foi seqüestrado por agentes do governo liderados pelo Coronel. Para recuperar seu irmão, Kaneda aceita se juntar a Ky Reed e o movimento do submundo que ela integra que planeja revelar o que aconteceu em Nova York 30 anos atrás, quando a cidade foi destruída. Apesar de achar estas teorias bobagens, Kaneda se junta ao movimento e reencontra Tetsuo, que agora tem poderes telecinéticos e está no meio de uma crise que pode destruir Neo-Manhattan novamente.

No elenco já estão confirmados nomes como o de Garret Hedlund, Kristen Stewart e Ken Watanabe.

Outro problema pelo qual o filme está passando é o roteiro. Devido ao corte no orçamento, várias cenas estão sendo repensadas, o que pode causar reflexo na história.

Que leu AKIRA sabe muito bem que essa história não tem nada a ver com o mangá. É mais ou menos o que fizeram com CONSTANTINE. O filme não tem nada do HQ Hellblazer.

Em primeiro lugar, John Constantine é britânico e não americano; ele é ruivo e tem muito mais carisma que Keanu Reeves. Tem outros furos que eu prefiro nem comentar.

Outra outro filme que “matou” sua origem foi TRANSFORMERS. Quem me acompanha por aqui sabe que eu não posso ouvir falar em Michael Bay e seus filmes.

Infelizmente a única coisa que podemos fazer e sentar e esperar.

Esperar que o a versão live action de Akira não se torne uma decepção geral para os fãs, como foi Constantine e Transformers.

 

 

108- Seabiscuit – Alma de heroi

108- Seabiscuit – Alma de heroi

Já falei que amo filmes com cavalos e este é simplesmente emocionante e com um show de interpretação de Tobey Maguire, ex-homem aranha.

Sensível película que nos leva à reflexão quanto à persistência de um sonho e quanto à perseverança.

Aliás, perseverança é a minha palavra de 2012.

Sinopse

Charles Howard (Jeff Bridges) é um milionário que ganhou um cavalo de pequeno porte e indisciplinado, chamado Seabiscuit, que nunca teve grande destaque nas corridas. Howard decide treiná-lo de forma a torná-lo competitivo, contratando para tanto o jóquei Red Pollard (Tobey Maguire) e o treinador Tom Smith (Chris Cooper), conhecido no meio por sua capacidade de se comunicar com cavalos. Juntos eles conseguem transformar Seabiscuit no cavalo do ano em 1938, chamando a atenção da população americana para sua história de sucesso.

Título original: (Seabiscuit)

Lançamento: 2003 (EUA)

Direção: Gary Ross

Atores: Tobey MaguireJeff BridgesChris CooperWilliam H. Macy.

Duração: 140 min

Gênero: Drama

107- Missão Impossível: Protocolo Fantasma

107- Missão Impossível: Protocolo Fantasma

Eu convidei as minhas irmãs e fomos ver o Tom Cruise. O filme é eletrizante! Do início ao fim, nem dá para respirar. O melhor da série, até agora. Tirando os cenários. Budapeste, Moscou, Dubai e Mombaim. Sensacionais.

A idade chegou para o Tom Cruise, infelizmente, mas eu o levaria para casa com todas as suas ruguinhas. Li uma vez que ele fez algum procedimento estético com Ivo Pitanguy. Não descobri ainda qual.

Há algumas cenas que parecem mentira, ao estilo MacGuyver em Profissão: Perigo. Mas a entrada vale.

Recomendo!

Sinopse: Acusado pelo bombardeio terrorista ao Kremlin, o agente Ethan Hunt é desautorizado junto com o resto da agência quando o Presidente dá início ao ´Protocolo Fantasma´. Deixado sem qualquer recurso ou apoio, Ethan tem que encontrar uma maneira de limpar o nome de sua agência e prevenir um outro ataque.

Ficha Técnica:

Elenco: Tom Cruise, Jeremy Renner, Paula Patton, Jonathan Rhys Meyers, Simon Pegg, Ving Rhames, Vladimir Mashkov, Léa Seydoux, Michael Nyqviste, Anil Kapoor
Direção: Brad Bird
Gênero: Ação
Duração: 132 min.
Distribuidora: Paramount
Classificação: 14 Anos