Festival do Rio 2012

Festival do Rio 2012

O foco do cinema está na Cidade Maravilhosa. O Festival do Rio começou na última quinta-feira, dia 27 e se estende até o dia 11 de outubro.

O Poltrona de Cinema recomenda:

1- Gonzaga de Pai para Filho, de Breno Silveira

2- A Negociação com Richard Gere

3- Wikileaks: Segredos e Mentiras

4- Meu pé de laranja lima-uma vida inteira

5- Michael Jackson – Bad

6- Argo com Ben Affleck

7- Grandes esperanças de Mike Newell

8- Pietá

9- Cesar deve morrer

10- Método de loucura de Jerry Lewis – documentário

 

158- Nunca é tarde para amar

158- Nunca é tarde para amar

Em homenagem à Hebe Camargo que faleceu na madrugada de sábado, esse filme é uma gracinha.

E eu amo Paul Rudd. Simples assim! Vejo absolutamente tudo que ele faz!

O filme fala de um amor entre uma quarentona e um rapaz de vinte e poucos anos. Ela é roteirista de um programa de TV e ele é ator. Ela rejuvenesce com o relacionamento, mas se questiona até que ponto a imaturidade pode influenciar na continuidade do namoro.

Paul Rudd é um colírio.

O filme fala da dificuldade que alguns tem de envelhecer, como o que acontece com o ex-marido de Rosie.

Diversão garantida!

A filha de Rosie, Izzie manda bem no fim ao cantar Ironic, de Alanis Morrisette e conquistar a sua paixão de colégio.

Sinopse: Rosie (Michelle Pfeiffer) é a mãe de Izzie (Saoirse Ronan), uma adolescente que está apaixonada pela 1ª vez. Esta situação também acontece com Rosie, que, perto dos 40 anos, se apaixona pelo ator Adam (Paul Rudd), que é bem mais jovem. Esta situação deixa Rosie cheia de dúvidas, sobre se deve ou não manter o novo relacionamento.

Dredd

Dredd

Pro Eduardo Guimarães

Estreou neste final de semana o filme Dredd (Dredd, direção de Pete Travis, com Karl Urban, Olivia Thirlby, Wood Harris e Lena Headey). O filme é a segunda adaptação cinematografia do personagem de HQs inglês Juiz Dredd, criado em 1976 pela dupla John Wagner e Carlos Ezquerra.

O filme é estrelado por Karl Urban (o Dr. McCoy da nova versão de Jornada nas Estrelas), que se mostra muito a vontade de fazer um personagem em que nenhum momento do filme aparece sem seu capacete. E quem pensa que isso pode atrapalhar sua atuação está enganado: Dredd é uma coluna de gelo e mesmo quando necessário passar alguma emoção ao espectador, Karl Urban consegue atingir o publico.

Karl Urban consegue passar a imagem de que Dredd não é um ser humano, é sim um juiz, uma pessoa sem emoções, guiado somente pela lei. Enfim, ele convence quando diz “eu sou a lei”.

Destaque também para Olivia Thirlby, que interpreta a Juíza Cassandra Anderson, parceira de Dredd, uma mulher com poderes psíquicos, que está sendo avaliada por Dredd, para poder assumir o posto de juíza de rua.

A história se passa em um futuro apocalíptico, onde a humanidade, após uma guerra nuclear que devastou o planeta, é obrigada em viver em cidades conhecidas como Mega City e os prédios capazes de receber quase 200 mil pessoas são chamados de blocos.

E para controlar o crime e o tráfico de drogas é criada especial com direito de prender, julgar e, se necessário, executar os criminosos conhecida como Juízes. E o mais temidos de todos é o Juiz Dredd.

E no filme, Dredd e a caloura Juíza Anderson vão investigar um assassinato em um bloco, acabam presos dentro do prédio pela Ma-Ma (Lena Headey), responsável pela criação e tráfico de uma nova droga que está se espalhando rapidamente por Mega City One.

Para os fãs de quadrinhos e filmes de ação, Dredd é programa obrigatório no final de semana. Principalmente se for em 3D.

 

 

@guimaraesedu

Vencedores do Prêmio Contigo de Cinema 2012

Vencedores do Prêmio Contigo de Cinema 2012

JÚRI OFICIAL

Melhor Filme – O Palhaço
Melhor Diretor – Selton Mello – O Palhaço
Melhor Ator – Rodrigo Santoro – Heleno
Melhor Atriz – Camila Pitanga – Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios
Melhor Ator Coadjuvante – Paulo José – O Palhaço
Melhor Atriz Coadjuvante – Maria Luisa Mendonça – Luz nas Trevas – A Volta do Bandido da Luz Vermelha
Melhor Roteiro – Juliana Rojas e Marcos Dutra – Trabalhar Cansa
Melhor Trilha Sonora – Plinio Profeta – O Palhaço
Melhor Figurino – Kika Lopes – O Palhaço
Melhor Fotografia – Adriano Goldman – Xingu
Melhor Documentário – Raul: o Início, o Meio e o Fim
Melhor Diretor de Documentário – Walter Carvalho – Raul: o Início, o Meio e o Fim

JÚRI POPULAR

Melhor Atriz Coadjuvante Voto Popular – Ana Cecília Costa – Capitães da Areia
Melhor Ator Coadjuvante Voto Popular – Cauã Reymond – Reis e Ratos
Melhor Atriz Voto Popular – Grazi Massafera- Billi Pig
Melhor Ator Voto Popular – Selton Mello – O Palhaço

HOMENAGEM – Prêmio Especial pela Carreira – Othon Bastos

Fonte: Adoro Cinema

157-Dzi Croquetes, o documentário

157-Dzi Croquetes, o documentário

Não conhecia a história dos Dzi Croquetes e adorei o documentário dirigido por Tatiana Issa e Raphael Alvarez.

Recomendo! Muito bom!

Sinopse: Em 1972 estreava o primeiro show dos Dzi Croquettes. Com homens usando roupas femininas, de forma a mostrar as pernas cabeludas e a barba, ele logo foi um sucesso. Apesar disto, foi também banido pelo Serviço Nacional de Teatro. Incorporando o espírito da contracultura reinante na época, os Dzi Croquettes usavam a irreverência para criticar a ditadura militar brasileira.

Divulgada a lista dos filmes brasileiros inscritos para a seleção do Oscar

Divulgada a lista dos filmes brasileiros inscritos para a seleção do Oscar

A Secretaria de Audiovisual do Ministério da Cultura divulgou a lista dos 16 filmes inscritos para a seleção do representante brasileiro no Oscar 2013.

A definição será anunciada na próxima quinta-feira(20), após avaliação de uma comissão especial da pasta.

“Xingu”, “À Beira do Caminho”, “O Palhaço”, “Heleno” e “Paraísos Artificiais” estão entre os que concorrem.

A lista:

À Beira do Caminho
Billi Pig
Capitães da Areia
Colegas
Corações Sujos
2 Coelhos
Heleno
Elvis & Madona

Histórias Que Só Existem Quando Lembradas
Luz Nas Trevas
Menos Que Nada
Meu País
O Carteiro
O Palhaço
Paraísos Artificiais
Xingu

Fonte: Correio do Povo

Obs: O Blog Poltrona de Cinema torce por O Palhaço e por Heleno.

156- Vestida para casar

156- Vestida para casar

Em homenagem ao aniversário de James Marsden(39 anos) falaremos de Vestida para Casar com Katherine Haegl.

É um filme doce que nos faz até refletir.

Me identifico um pouco com ela nessa parte de ser madrinha de casamento. Já fui de treze.  Já peguei o buquê duas vezes: no casamento da minha amiga Priscilla e no casamento do meu sobrinho Guto. Sei falar não, mas tive alguns amores platônicos.

Jane está acostumada a ser madrinha de casamento até que sua irmã Tess se apaixona por seu chefe, George, por quem ela tem um amor platônico.A partir daí ela organiza o casamento e se mete em muitas confusões ao conhecer o jornalista Kevin.

Ela acaba desmascarando a irmã e provocando uma tremenda revolução familiar.

A cena romântica de Jane e Kevin é linda. E James Marsden é um espetáculo!

Recomendo!

Sinopse: Jane (Katherine Heigl) é uma mulher idealista e romântica, que jamais encontrou o amor de sua vida. Ela imagina tê-lo encontrado em George (Edward Burns), seu chefe, por quem nutre uma paixão secreta, mas sua irmã caçula Tess (Malin Akerman) é mais rápida e conquista seu coração antes. Isto faz com que Jane repense sua vida, já que sempre foi boa em fazer com que as outras pessoas sejam felizes sem que ela própria seja.