190- Jesus de Nazaré

190- Jesus de Nazaré

Hoje é Sexta-feira Santa e sempre vejo filmes que falam de Jesus. É tempo de recolhimento e reflexão. Jesus de Nazaré, de Franco Zefirelli é meu filme preferido. E Robert Powell, o melhor Jesus de todos, o mais expressivo, o mais completo.

A história me toca muito pois Jesus é o verdadeiro sentido da minha vida. É um filme longo, mas que a Record sempre mostra.

Zefirelli foi fiel às Escrituras e até lançou um livro baseado no filme, que ganhei de minha saudosa avó Constança, com dedicatória e tudo. Relembrar essa história é um ato de fé,mas é uma lembrança afetiva da minha infância, de tudo que vivi ao lado da minha avó, a única pessoa católica praticante da minha família.

Todos os personagens são muito bem feitos, principalmente Maria, interpretado por Olivia Hussey, que também foi Julieta, Maria Madalena, por Anne Bancroft

Um dia, visitarei a Terra Santa que engloba Jerusalém, Palestina e se estende até Turquia.

Para mim, essa é a história mais linda de todas. Um amor que não tem fim.

Sinopse: Concebido pela Virgem Maria (Olivia Hussey) e passando por uma sofrida infância de peregrinação, Jesus (Robert Powell) veio a terra com a missão de salvar os homens, mas é traído e humilhado justamente por eles. Após ser preso, torturado e crucificado, ressuscita divinamente.

Super recomendo!

 

189- Outono em Nova York

189- Outono em Nova York

Se é filme com Richard Gere, já gosto. Com o outono em Nova York, então, amo. Pena que esse filme seja lacrimogêneo ao extremo. Para distrair numa tarde chuvosa como foi o Domingo de Ramos aqui no Rio, vale. Ou para passar o tempo.

É uma história de amor que acontece por acaso e termina de forma triste.

As paisagens são maravilhosas.  Amo a primavera, mas a estação mais bonita de Nova York é mesmo o Outono. Ele também é bem marcado em Harry e Sally, feitos um para o outro e Lado a Lado.

Sinopse: Will Keane (Richard Gere) um playboy cinquentão que tem como promessa nunca ter um compromisso sério com uma mulher. Quando ele conhece Charlotte Fielding (Winona Ryder), uma jovem que tem a metade da sua idade, imagina que terá com ela outro rápido e fácil romance. Mas nada no relacionamento de ambos fácil ou rápido. Apesar da diferença de idade, eles terminam se apaixonando perdidamente e fazendo com que Will resolva abandonar sua decisão de nunca assumir um compromisso amoroso. Mas Charlotte tem um sério motivo para recusar a proposta de ter uma relação com Will que dure para sempre: ela está morrendo.

Top 5 Filmes de Tribunal

Top 5 Filmes de Tribunal

Por Eduardo Guimarães

Tribunais e advogados são um tema recorrente no cinema americano. Muitas histórias boas foram contadas na frente de um juiz e de um júri. E por isso resolvi fazer um top 5 de filmes de tribunal.

5 – UM CRIME DE MESTRECrime de Mestre

Filme de 2007, estrelado por Anthony Hopkins e Ryan Gosling, conta a história de um arquiteto (Hopkins) que é preso ao lado do corpo da esposa, que ele matou a tiros, e com a arma do crime nas mãos. E mesmo assim ele consegue sair livre. Cabe a um obstinado promotor publico (Gosling) prende-lo.

Como se não bastasse uma atuação perfeita de Anthony Hopkins, este filme tem um roteiro perfeito e muito bem elaborado.

O Homem Que Fazia Chover4 – O HOMEM QUE FAZIA CHOVER

No elenco deste filme de 1997 estão Matt Damon, Danny DeVito, Jon Voight, Virginia Madsen, Claire Danes, Mickey Rouke e Danny Glover. E a direção ficou por conta de Francis Ford Coppola. No filme, um jovem advogado (Damon) luta contra uma companhia de seguro que não quer pagar pelo transplante de medula de um garoto.

Destaque para as grandes atuações de Danny DeVito e Jon Voight, que em algumas situações roubam a cena de Matt Damon.

3 – O CLIENTEo cliente

Dirigido por Joel Schumacher, este filme de 1994 conta com Susan Sarandon, Tommy Lee Jones, Mary-Louise Parker e Brad Renfro. A história gira em torno de um garoto de 11 anos (Renfro) que presencia o suicídio de um advogado que está defendendo um famoso mafioso. E antes de morrer, o advogado conta para ele informações importantes sobre seu cliente. E para se proteger de um promotor (Jones) que quer a qualquer custo a informação, ele contrata uma advogada inexperiente (Sarandon).

Como é de se imaginar, a grande atuação do filme fica por conta de Tommy Lee Jones. Mas a indicação ao Oscar, na categoria de melhor atriz para Susan Sarandon também foi merecida. Sem duvida é um dos melhores trabalhos dela.

tempo de matar2 – TEMPO DE MATAR

Com um elenco de peso, formado por Samuel L. Jackson, Matthew McConaughey, Sandra Bullock, Kevis Spacey, Oliver Platt, Donald Sutherland e Kiefer Sutherland, esta produção de 1996 conta a história de um pai (Jackson) que mata dentro do tribunal os dois homens que estupraram sua filha de 10 anos. E para se salvar da cadeira elétrica, ele contrata um advogado branco (McConaughey) na esperança de que ele consiga convencer um júri racista de sua inocência.

Tempo de Matar é um filme pesado, que leva o racismo para o tribunal. E com uma atuação impecável de Samuel L. Jackson, é obrigatória para quem gosta de tribunais e cinema.

1- QUESTÃO DE HONRAQUESTÃO DE HONRA

Filme de 1992, dirigido por Rob Reiner, tem em seu elenco Tom Cruise, Jack Nicholson, Demi Moore, Kevin Pollak, Kevin Bacon e Kiefer Sutherland. O roteiro conta a história de um advogado da Marinha Americana (Cruise) convocado para defender dois fuzileiros de Guantánamo acusados de matar um colega.

Talvez uma das melhores atuações de Tom Cruise, o filme tem uma das cenas mais marcantes do cinema atual, que é o embate de Cruise e Jack Nicholson. Perfeito.

@guimaraesedu

Obras de arte nas telonas/Anna Barros

Obras de arte nas telonas/Anna Barros

Não é nenhuma novidade que eu amo Arte. Aprendi com meu pai e foi um dos motivos que me fez escolher Cirurgia plástica. Então,resolvi escrever sobre as pinturas que aparecem em alguns filmes e seus significados. A que mais me toca,dentre todas, é “A noiva”, de Marc Chagall que aparece na casa de Will (Hugh Grant) em Um lugar chamado Notting Hill. Ele tem uma obra falsa, mas a atriz Anna Scott(Julia Roberts) tem uma verdadeira que ela acaba por presenteá-lo quase no fim do filme ao se declarar a ele. Quando Anna viu a tela na casa dele no primeiro encontro, ela diz que é assim que vê o Amor, algo suspenso…

Outro filme que amo que mostra telas de pinturas é Titanic, mas de forma descontextualizada, porque a obra nunca esteve de fato no navio e se chama “Les Demoiselles d’Avignon” e foi pintado em 1907. Mesmo sendo surrealista, gosto de Picasso. E Titanic é um filme lacrimogênio demais, mas eu amo. Além dessa peça, aparecem também obras de Renoir e Monet. Jack(Leonardo Dicapprio) é um desenhista e ao avistar a tela, ele exclama para Rose(Kate Winslet) “Um Monet?” e fica maravilhado com o trabalho.

Além disso, há filmes falando de pintores famosos, como Surviving Picasso, Frida e Pollock. Anthony Hopkins é Picasso, Frida tem como protagonista Salma Hayek e Pollock, Ed Harris. Vi o primeiro e o terceiro. Recomendo!

Se deu vontade de ver os filmes, tente também numa próxima viagem, ver os quadros. A noiva, de Chagall, não será possível porque pertence a uma coleção particular japonesa que autorizou a réplica para o filme e pediu que fosse incinerada depois.

Se quiserem, podem rever Notting Hill e Titanic para observar melhor as passagens em que os quadros aparecem.

Aproveitem!

POLTRONA DE OPINIÃO: As comédias esquecidas de Tom Hanks

POLTRONA DE OPINIÃO: As comédias esquecidas de Tom Hanks

Por Eduardo Guimarães

Tom-HanksTom Hanks é sem duvida um dos maiores nomes da história de Hollywood. Participou de grandes e inesquecíveis produções, como Forrest Gump – O Contador de Histórias, A Espera de um Milagre, O Resgate do Soldado Ryan entre outros.

É sem duvida merecedor das cinco indicações e dos dois Oscar que levou para casa.

Também já trabalhou com animações como Toy Story e Expresso Polar; já dirigiu e produziu filmes e séries de sucesso para o cinema e para TV.

Mas o que pouca gente sabe é que por trás deste grande ator dramático existe um grande tomhankscomediante. Tanto que seus primeiros sucessos de critica e bilheteria (e sua primeira indicação ao Oscar) vieram com comédias.

Quero Ser Grande (filme que rendeu a Hanks sua primeira indicação ao Oscar), Splash – Uma Sereia em Minha Vida, Joe Contra o Vulcão e O Homem do Sapato Vermelho são apenas alguns dos títulos que Tom Hanks já participou.

Mas hoje que falar somente sobre dois: Um Dia a Casa Cai e A Última Festa de Solteiro.

a última festa de solteiroA Última Festa de Solteiro (Bachelor Party, de 1984, direção de Neal Israel, com Tom Hanks, Tawny Kitaen e Angela Aames) conta a história de Rick Gassko (Hanks) que decide se casar com sua namorada Debbie Thompson (Kitaen). Mas antes da cerimônia, seus amigos decidem promover uma despedida de solteiro, envolvendo muitas confusões com a policia, cafetões, prostitutas e um ex-namorado vingativo.

Várias cenas deste filme ficaram marcadas, como a mula que morre de overdose; a mulher que pega um cachorro quente com uma “salsicha” muito especial nele; ou o primo de Rick tentando se matar com um barbeador elétrico.

É sem duvida uma das melhores comédias non sense da década de 80.

Já Um Dia a Casa Cai (The Money Pit, de 1986, direção de Richard Benjamin, com TomUm Dia a Casa caiHanks e Shelley Long) conta a história de um casal que compra uma mansão por um preço muito baixo e logo que eles se mudam descobrem que a casa está caindo aos pedaços. E após meses de reforma e quase o fim do relacionamento, eles finalmente conseguem restaurar a casa e se casam no jardim principal.

O tom de comédia pastelão deste filme é forte, mas mesmo assim é uma excelente pedida, que ainda não envelheceu. E este filme também marca o inicio de uma parceria de sucesso em Hollywood: Steven Spielberg foi produtor do filme e lá começou sua longa lista de trabalhos junto com Tom Hanks.

Enfim, se você achar qualquer um destes filmes em DVD, pode comprar sem medo. É diversão garantida.

@guimaraesedu

188- Por que Argo mereceu ganhar o Oscar?

188- Por que Argo mereceu ganhar o Oscar?

Argo mereceu ganhar o Oscar. É um filme de suspense, bem construído por Ben Affleck e bastante interessante.

O coração palpita a cada cena. Não dá para entender como Ben Affleck não foi indicado a Melhor Diretor. E ele poderia entrar na categoria de Melhor Ator.

Fiquei apreensiva por bastante tempo, apesar de saber qual seria o final.

É um filme polêmico que despertou declarações do Irã e do Canadá.O governo do Irã quer fazer um filme anti-Argo. A cena da fuga é sensacional. E o senso de responsabilidade pelos reféns americanos que Tony Mendéz tem comove. Quero ler o livro.

No final, quando ele brinca com o filho e os bonequinhos de Star Wars percebemos a parte lúdica do filme.

Na verdade, Argo é um filme de metalinguagem pois mostra como se faz a produção de um filme na escolha das locações e como os estúdios de hollywood funcionam para que o filme fake pareça real e os iranianos engulam a história. Eles quase descobrem.

Super Recomendo!

 

Colegas

Colegas

Por Gabriel Araújo

4Trailer-Colegas

Estreou na última sexta-feira (1) nos cinemas de todo o Brasil o filme “Colegas”, de Marcelo Galvão. Que é ótimo! Acredito já ter deixado claro em alguma coluna não gostar de filmes nacionais. Encontrei uma exceção. A produção, na lista da revista “Super Interessante” como um dos 13 filmes imperdíveis de 2013, é sensacional, uma comédia muito divertida.

O mais especial, porém, é a questão social abordada no filme. Os três atores principais, Ariel Goldenberg, Rita Pokk e Breno Viola, que interpretam, respectivamente, Stalone, Aninha e Márcio, têm Síndrome de Down, e mostram como pode-se viver muito bem e com alegria com ela. O grande Lima Duarte também tem papel importante no filme. Narra a história dos três amigos e ainda faz um personagem.

O filme se baseia nos sonhos dos três, que trabalham na videoteca do instituto onde moram. Stalone quer conhecer o mar, Aninha se casar e Márcio voar. Usando chavões de clássicos filmes, como “Thelma & Louise” (o favorito de Stalone, líder da turma), “Titanic”, “Cidade de Deus” e outros, eles partem em uma aventura muito divertida – embalada pelo som de Raul Seixas – que passa principalmente pelo Sul do país e Buenos Aires. Até assalto, com muito humor, acontece!

A obra de Marcelo Galvão é fantástica. O diretor usou o filme para homenagear seu tio Márcio, morto em 2011 e que também tinha Down, e se inspirou em “I Am Sam” (em português, “Uma Lição de Amor”), filme que também gosto muito, e um dos poucos que já me fez chorar. Lembro que após a primeira – e até agora única – vez que o vi, desabei. Isso gerou a campanha “Vem Sean Penn”, famosa na internet, pedindo a presença do protagonista de I Am Sam no Brasil.

Voltando a Colegas: o filme vem colecionando prêmios por onde passa. Venceu o Festival de Gramado nas categorias melhor filme, direção de arte e os protagonistas ainda ganharam o especial do júri. Destacou-se na Mostra de São Paulo. Melhor Roteiro no Festival de Paulínia. Hors-Concours no Festival do Rio. Além, claro, do sucesso internacional: levou o prêmio de público no Festival de Trieste, na Itália, será exibido no Red Rock Film Festival, em Utah (EUA), e ganhou como melhor filme em festival de Moscou, na Rússia, onde concorreu com o sucesso francês “Intocáveis”, inclusive.

Tudo não é para menos. A mensagem do filme é muito bonita. Vale sempre destacar que não é um documentário sobre a Síndrome de Down, mas sim uma bela comédia com atores que a têm. Desde pequeno aprendi a respeitar o Down. Do maternal ao quinto ano, estudei com uma querida amiga com Down, com quem ainda fiz catequese e crisma. Tenho também uma prima com Down. A convivência com pessoas especiais é muito importante. Mas infelizmente o preconceito ainda existe.

Acredito que Colegas é um bom passo para que cada vez menos tal preconceito, que vem de pessoas medíocres, aconteça.

Recomendo muito “Colegas”. Tenho certeza de que a produção irá satisfazer a todos. Vale muito.

Sinopse:

Três amigos portadores da síndrome de Down vão superar suas limitações para correr atrás de seus maiores sonhos. Um dia, inspirados pelo filme Thelma & Louise, o grupo foge no antigo carro do jardineiro (Lima Duarte) e parte numa viagem que tem a felicidade como objetivo. Márcio deseja voar como um pássaro, Aninha espera arrumar um bom partido para se casar e Stalone só quer ver o mar pela primeira vez. Eles vão viver diversas aventuras juntos e irão descobrir que a liberdade é um direito de todos.