Thor: O Mundo Sombrio

Thor: O Mundo Sombrio

Por: Gabriel Araújo (@gabriel_araujo1)

Sessão de Matinê: “Thor: O Mundo Sombrio”255px-Thor1

Excelente filme. Mesmo para quem não gosta de produções ligadas a super-heróis ou a comics Marvel, prende e interessa. Sou um ótimo exemplo. Com exceção ao Homem de Ferro, nunca curti nenhum herói. Mas arrisquei acompanhar “Thor: O Mundo Sombrio”, que supera “Thor” (2011), do qual puxa alguns acontecimentos, e saí muito satisfeito do cinema.

Inicialmente, o roteiro parece confuso, mas aos poucos se encontra o fio da meada. A história baseia-se na luta pela famigerada paz nos Nove Reinos, que mal é pregada por Asgard e já sofre com Malekith, vilão que acorda de sono profundo para buscar a escuridão no mundo com o perigoso e poderoso éter. Contra a trupe do vilão, Thor arrisca-se em planos perigosos e conta até mesmo com a ajuda de Loki.

Algo interessante, ainda, é a boa relação dentro da película entre o mundo fantasioso e o real. O mundo fictício de Thor e a Terra, Asgard e Londres ou Nova York, onde inclusive pessoas reconhecem o herói como comic. Uma boa analogia.

Os efeitos especiais chegam a impressionar, assim como os detalhes, percebidos em momentos como funeral e prisão. O filme é, realmente, muito bom. Destaque, ainda, para as atuações de um elenco excelente. Não há como dizer que alguém interpretou mal. De Chris Hemsworth (Thor) a Natalie Portman (Jane Foster), passando por Tom Hiddleston (Loki), até os figurantes, todos incrivelmente bem.

“Thor” chega a misturar gêneros. Passa momentos de comédia, especialmente com o dr. Erik Selvig (Stellan Skarsgard), de ação, heroísmo (óbvio), aventura. Mostra tudo em pouco tempo. Poderia ser classificado com notas máximas em críticas, não fosse a já citada confusão no enredo.

Mas, ao final, o saldo é extremamente positivo, e posso seguramente dizer, sem mesmo ter assistido a todas as outras produções, que “Thor: O Mundo Sombrio” é o melhor filme recente da Marvel. Excelente.

Nota: 4,5/5

Sinopse:
Depois dos acontecimentos de Thor e Os Vingadores, Thor luta para restaurar o equilíbrio em todo o cosmo, mas uma raça antiga liderada pelo vingativo Malekith retorna para afundar novamente o universo em escuridão. Diante de um rival que sequer Odin ou qualquer asgardiano pode enfrentar, Thor embarca em sua jornada mais perigosa e pessoal até agora, que o reunirá com Jane Foster e o forçará a sacrificar tudo para proteger a todos nós.

221- Jogos Vorazes – Em Chamas

221- Jogos Vorazes – Em Chamas

O filme é ótimo, cheio de aventura. Claro, que assistir ao lado da minha sobrinha Bianca facilitou muito. Jennifer Lawrence está ótima! E eu torço para que Katniss fique com Peeta e não com seu melhor amigo, Gale.

Josh Hutcherson, o Peeta, é qualquer nota! #teampeeta

Katriss gosta dos dois e tem muito apreço por sua família.Seu namoro com Peeta é forjado pelo presidente Snow, mas ela acaba gostando dele.

São quase três horas de filme e nem dá para sentir. É uma saga muito interessante. Simplesmente, amei!

O filme é uma crítica explícita ao mundo dos reality shows, das celebridades e ainda usa de um jogo para que haja um vencedor. Também fala de estratégias que políticos usam para desviar atenção,como criar um factóide ou um romance que desperte o interesse do público. Baseado no livro de Suzanne Collins.

E Katniss é uma mocinha atípica, dividida realmente entre dois amores, se preocupa com todas as pessoas e seu bem-estar, mesmo aquelas com as quais nãotêm muito contato e de submissa não tem nada: luta pelo que quer.O filme tem uma ótica feminista e dáum gostinho de quero mais. Não vi o primeiro filme da saga e verei, assim que for possível.

Sinopse: Este é o segundo volume da trilogia Jogos Vorazes, baseada nos romances de Suzanne Collins. A saga relata a aventura de Katniss (Jennifer Lawrence), jovem escolhida para participar aos “jogos vorazes”, espécie de reality show em que um adolescente de cada distrito de Panem, considerado como “tributo”, deve lutar com os demais até que apenas um saia vivo. Neste segundo episódio da série, após a afronta de Katniss à organização dos jogos, ela deverá enfrentar a forte represália do governo local, lutando não apenas por sua vida, mas por toda a população de Panem.

220= Os embalos de sábado continuam

220= Os embalos de sábado continuam

Adoro filmes de dança e também com John Travolta. Este é simplesmente maravilhoso. Fala de superação, de uma pessoa desacreditada que acaba mostrando o seu valor. E fala de relacionamentos. Como só damos valor àquilo que perdemos.

A trilha sonora é de Bee Gees, conjunto sensacional dos anos 70.

No final,o espetáculo é um tremendo sucesso. E Laura tenta reatar com Tony, mas ele fica com Jackie.

Quem não gosta de Tony Manero?

Para ver e rever. Também indico o primeiro filme, o cult Os embalos de sábado à noite.

Recomendo!

Sinopse: Tony Manero (John Travolta) trabalha agora em uma academia de ginástica e anseia ser o dançarino principal de um grande show da Broadway. Em sua vida particular ele se vê dividido entre duas mulheres: Jackie (Cynthia Rhodes), uma professora de dança que trabalha no mesmo lugar de Tony, e Laura (Finola Hughes), a dançarina principal do show da Broadway. Enquanto Tony se apaixona por Laura ela só o vê como alguém atraente que serve para  uma aventura, o que gera uma rivalidade entre eles na vida profissional.

Domingo na Poltrona/Cinema Europeu

Domingo na Poltrona/Cinema Europeu

Olá amigos e amigas  do SpheraGeek

Essa semana,iremos falar dos filmes europeus, clássicos que muito me encantam.Dentre eles, podemos citar a filmoteca italiana. Meus preferidos “La DolceVita”, de Federico Fellini e Cinema Paradiso. O primeiro é muito deprimente pois te faz refletir sobre a vida e tudo que a cerca,mas de uma maneira profunda. E tem a clássica cena da Fontana di Trevi em que Marcello é chamado pela diva sueca Anita Ekberg. O segundo é uma metalinguagem. Ele conta de maneira lúdica,a história do cinema. Também gosto muito de O carteiro e o poeta pois Pablo Neruda, poeta chileno genial é retratado n filme.

Cinema francês é mais intelectualizado, aquele famoso papo-cabeça. Podemos destacar dois gêneros distintos: A fabulosa história de Amelie Poulain que utiliza uma linguagem que mescla cinema e quadrinhos no que tange o enquadramento das cenas. Destaque para Audrey Tautou que recentemente fez Chanel. E também podemos destacar Os Intocáveis, uma comédia deliciosa que fala de amizade e fidelidade,ingredientes que me são caros.

Claro, que não tem como esquecer o cinema inglês. Destaco Um lugar chamado Notting Hill e Razão e Sensibilidade, dirigido pelo taiwanês Ang Lee. Amo a literatura de Jane Austen e recomendo não só o filme,como o livro.Além dele, Orgulho e Preconceito com Keira Knightley. Razão e Sensibilidade teve o roteiro premiado de Emma Thompson e é mil vezes melhor.

Forte abraço a todos,

Anninha

219-Meu passado me condena

219-Meu passado me condena

Não sou muito fã de comédias, mas adoro Fabio Porchat. O filme é  divertido e entretém bastante.

É um pouquinho picante, mas dá para assistir com a família.

Amo Fabio de paixão. Super recomendo. Passei momentos super agradáveis!!!

Sinopse: Quando Fábio (Fábio Porchat) e Miá (Miá Mello) se encontram, é amor à primeira vista. Eles se casam um mês depois de se conhecerem e decidem viajar à Europa em um cruzeiro em lua de mel. Só que, durante a viagem, eles encontram seus antigos namorados, Beto (Alejandro Claveaux) e Laura (Juliana Didone), que hoje estão juntos e também passam sua lua de mel.

Domingo na Poltrona/Meu Top 5

Domingo na Poltrona/Meu Top 5

Olá amigos e amigas do SpheraGeek,

Essa semana, falarei dos meus filmes favoritos, uma espécie de Top 5, em ordem decrescente.

5. Um Dia

O filme é pior que o livro, mas me sensibiliza muito. Fala do amor entre amigos, mas mostra como duas pessoas completamente diferentes podem se gostar e lidar com as diferentes. Anne Hathway, guardadas as devidas proporções, é a nova Julia Roberts, a queridinha da América. Vi muitas vezes e choro todas elas.

 

4. Sociedade dos Poetas Mortos

Gosto demais de Robin Williams e esse filme conta a relção de um professor com seus alunos numa escola tradicional. Ele os ensina a pensar e a gostar de poesia. Ele muda tanto a perspectiva dos alunos que acaba sendo demitido. Um filme para se ter na sua dvdteca ou em blu-ray.

 

3- O Segredo dos seus olhos

Filmes argentinos são ótimos. Os hermanos estão  à nossa frente quando o assunto é cinema. O filme é profundo. Fala de um amor não-correspondido, de uma trama policial e de futebol. Além  disso, é falado numa língua que amo: Espanhol. Poderia ter escolhido n filmes de Almodóvar, mas esse flime me tocou demais. Adoro Ricardo Darín.

 

2- O lado bom da vida

Um dos melhores filmes que assisti. Pena que concorreu num ano dificílimo como esse de 2013. Fala de relacionamentos familiares, de relacionamentos homem-mulher, preconceito contra pessoas esquisitas e algumas doenças que afligem as pessoas. Todos estão impecáveis. Tanto Bradley Cooper,como Jennifer Lawrence, ganhadora do Oscar de Melhor Atriz de 2013. Filme para ver e rever.

 

1- Brilho Eterno de uma mente sem lembranças

Melhor filme que já vi. Fala da discussão de relacionamentos de uma forma inteligente e sensível. Jim Carey e Kate Winslet estão soberbos. Filme para refletir e para não queremos apagar lembranças de relacionamentos fracassados, por mais que tenham doído.

Forte abraço,
Anninha
218-Uma professora muito maluquinha

218-Uma professora muito maluquinha

Não gosto muito das atuações de Paolla Oliveira, mas nesse filme ela se supera. Está ótima! O filme fala de uma professora diferente que quer que seus alunos descubram o mundo e sejam independentes na forma de pensar.

Seu modo de dar aula acaba revolucionando uma cidade pequena de Minas e incomodando as professoras mais antiquadas , principalmente em seus métodos.

Baseado no livro de um gênio dos quadrinhos: Ziraldo.

Senti muitas saudades dos meus tempos de escola!

Recomendo a crianças, jovens e pessoas de todas as idades!!!

Sinopse: Depois de estudar na capital, a jovem Cate, 18 anos, volta a sua cidadezinha no interior de Minas Gerais, para dar aulas na escola primária. Entusiasmada, livre e comunicativa, ela conquista os alunos no ato, mas seu comportamento de vanguarda não agrada às professoras conservadoras da década de 40. As aulas da Professora Maluquinha são uma aventura feliz, uma contínua brincadeira. A cada dia ela traz ideias novas. Toda aula começa com uma frase diferente no quadro e um prêmio para quem a ler mais depressa. Depois, Cate inventa a máquina de ler: uma bobina de papel de embrulho de loja com uma manivela. Ela gira o rolo e as crianças leem os versos que surgem. De outra vez, leva a turma para assistir ao filme Cleópatra no cinema. E assim seus alunos conhecem a História universal, decoram tabuada com música e leem cada vez mais depressa. Ao mesmo tempo em que descobrem o prazer de aprender, os amigos da escola também têm as primeiras aulas sobre amor, amizade e liberdade. E a professorinha não conquista só os alunos: os rapazes mais bonitos da cidade caem de amores por ela. O professor de Geografia Mário, o romântico Pedro Poeta, o boêmio Carlito e o galã Rodolfo Valentino se revezam nas tentativas de conquistar a moça. Criada por Tia Cida e sobrinha do Monsenhor Aristides, Cate cresceu junto com o afilhado do tio, Beto, que se tornou padre e volta à cidade depois de ter estudado fora. Padre Beto é quem supervisiona a escola e repreende a moça a cada queixa das outras professoras. Os namoricos de Cate o deixam mordido de ciúme, mas ele não admite. Conta tudo ao Monsenhor, que tem a maior paciência com as maluquices de sua protegida.  No fim do ano, Cate propõe uma revolução: seus alunos não precisam fazer a prova final, porque ela garante que eles aprenderam muito além do que está nos livros didáticos. Mas sua maior ousadia ainda estava por vir, passar por cima de qualquer barreira em nome do amor.