Poltrona Cabine: A Lenda de Tarzan/Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: A Lenda de Tarzan/Cesar Augusto Mota

maxresdefaultCertamente muitos conhecem a história de Tarzan, um garoto adotado e criado por macacos na floresta, que aprende a interagir com os outros animais e conhece Jane, se casando com ela posteriormente. Pois bem, “A Lenda de Tarzan” traz uma nova abordagem, com atenção voltada para cenas de ação, efeitos visuais e o foco num dos momentos mais tristes e enfrentados por nossa civilização: a escravidão.

A história começa com Tarzan(Alexander Skarsgård) já ambientado a uma nova vida fora das selvas, em Londres, como John Clayton III, o Lorde Greystoke, e ao lado de sua amada esposa(Margot Robbie). Mas a Rainha Vitória faz um convite para que John Clayton retorne ao Congo para investigar uma série de abusos sofridos pelos habitantes da colônia. Lá descobre que o povo africano é dominado e escravizado pelo capitão belga Leon Rom(Christoph Waltz), homem frio, ganancioso e disposto a capturar o Rei das Selvas e trocá-lo por diamantes.

As cenas de flashback que ilustram a origem de Tarzan, bem como o início e aperfeiçoamento de suas habilidades podem parecer dispensáveis ou até clichês para alguns, mas se fizeram necessárias e importantes para a história, pois tudo o que o protagonista aprendeu se tornou imprescindível não só para sua sobrevivência, bem como para ajudar na libertação da população congolesa da escravidão, como também para salvar Jane, acorrentada e usada como isca pelo capitão Rom na tentativa de captura do protagonista da história.

O enredo, além de contar com Waltz na pele do capitão Rom, traz também a participação de Samuel L. Jackson, estrela de “Os Oito Odiados”, como George Washington Willians, um americano que participou da Guerra Civil nos Estados Unidos e um dos responsáveis pelo massacre de centenas de índios nativos da terra do Tio Sam. Willians surge na trama não só com a chance de se redimir do ocorrido em seu país natal, como também vem para auxiliar Tarzan nessa intensa perseguição e batalha travadas por Rom, que busca poder e dominação.

O filme apresenta um ótimo plano visual, com priorização aos tons de cinza e azul, tornando as cenas mais sombrias, e uma valorização das cenas que envolvem ação e explosões, mas notam-se problemas em tomadas frontais e aéreas na floresta, podendo-se notar falhas nos cenários. O foco no físico do Tarzan é demasiadamente exagerado, e notamos uma África bem representada visualmente, com savanas, montanhas, cataratas e rios, palco ideal para embates entre colonizadores e colonizados.

Quanto às atuações, Alexander Skarsgård e Margot Robbie cumprem muito bem os papéis de protagonistas, com a relação amorosa do casal sempre fortalecida e nunca estremecida, mesmo com o passado agitado e sempre recorrente do personagem John Clayton III. Além disso, Robbie, com sua brilhante interpretação, consegue quebrar a imagem de donzela e moça frágil que Jane aparentava ter, o que é determinante para o desfecho da história, que promote envolver o espectador do início ao fim. Christoph Waltz e Samuel L. Jackson não comprometem, mas poderiam seus personagens terem sido melhor explorados na história.

“A Lenda de Tarzan” foi adaptado da série de livros de Edgar Rice Burroughs, com roteiro de Adam Cozad e Craig Brewer e direção de David Yates, responsável pelos quatro últimos filmes da saga “Harry Potter “, além de “Animais Fantásticos e Onde Habitam”. O filme será distribuído pela Warner Bros. Pictures e Village Roadshow Pictures, com estreia prevista para 21 de julho nos cinemas brasileiros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s