Poltrona Resenha: Aquarius/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Resenha: Aquarius/ Cesar Augusto Mota

aquariusCercado por polêmicas, principalmente por conta do protesto realizado pelo cineasta Kléber Mendonça Filho e todo o elenco contra o impeachment da ex-presidente Dilma Roussef em Cannes, o filme “Aquarius” traz importantes reflexões e uma excelente fotografia.

A história gira em torno de Clara (Sônia Braga), uma jornalista e escritora aposentada que mora num antigo edifício de frente para a praia de Boa Viagem, no Recife. Lá ela criou os três filhos e viveu ao lado do marido longas jornadas, tendo inclsive vencido uma luta contra o câncer. Mas Clara terá que resistir a várias investidas de uma construtora que quer derrubar o edifício Aquarius e erguer um mais moderno.

A reposição do velho pelo novo, a preservação da memória e do patrimônio, o assédio e a intolerância, essas foram as questões exploradas por Kleber Mendonça em “Aquarius”, além de ter contado com a atuação de grande elenco, principalmente de Sônia Braga, que há quinze anos estava longe das telonas.

Será que para algo novo ter espaço é necessário destruir o antigo? E como ficam as lembranças? Essas perguntas nos fazemos durante o desenrolar da narrativa e tudo isso se passa na cabeça de Clara. A protagonista defende com unhas e dentes seu direito de permanecer no local onde fincou raízes e se dispõe a mostrar que tem razão de todas as formas, mesmo que precise ir até as últimas consequências.

A problemática vai muito além do dinheiro, se trata de uma vida naquele prédio, que Clara não hesita em defender. Vemos uma mulher guerreira, culta, segura, desprovida de preconceitos e que luta contra todos os tabus que a sociedade impõe sobre pessoas de sua idade. Assim é Clara, interpretada com muita verdade, solidez e brilho por Sônia Braga.

Não se pode esquecer também da importância da família, com as reuniões na casa de Clara, as vistas a fotos antigas, bem como os momentos de escuta a músicas em antigos Lps e que marcaram grandes momentos do núcleo familiar de Clara. Tudo foi muito bem retratado, e a trilha sonora foi excepcional, com referências históricas e emocionais. A fotografia é excelente e mostra bem a amplitude do apartamento de Clara e as belezas e fases da praia de Boa Viagem.

Pode-se concluir que “Aquarius” ilustra o atual momento vivido no Brasil, cercado de intolerância, ódio, preconceitos e bastante dividido, mas o filme não perde a essência da beleza, da nostalgia e das doces lembranças da vida, tudo isso personificado em Sônia Braga, que teve uma volta triunfal ao cinema. Um verdadeiro brinde aos amantes da sétima arte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s