Cineclube Curta Cinema apresenta os ganhadores do Curta Cinema 2016

Cineclube Curta Cinema apresenta os ganhadores do Curta Cinema 2016

 

curta1A última edição de 2016 do Cineclube Curta Cinema acontece hoje, (17), exibindo os curtas premiados na 26ª edição do Festival Curta Cinema: “O Estacionamento”, “Iniciação”, “Demônia: melodrama em 3 atos” e “Caminho dos Gigantes”.  A sessão começa às 19h30m, seguida de debate organizado pela coordenação de programação do Festival Curta Cinema.  A proposta da mesa-redonda é abordar um dos temas mais polêmicos e discutidos em rodas de cinéfilos: quais são os fundamentos e personalismos que orientam o trabalho de um curador/programador de cinema. A entrada é gratuita, sujeita à lotação.

O projeto é uma iniciativa do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro em parceria com o Oi Futuro, e patrocínio da Oi, Petrobras, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, e pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretária Municipal de Cultura e RioFilme.

O filme brasileiro “O Estacionamento”, de William Biagioli, conta a história real de Jean, um imigrante haitiano que chegou ao Brasil recentemente. Para sobreviver, ele arruma emprego em um estacionamento e passa a viver lá. Já o documentário Iniciação” (Initiation), uma coprodução África do Sul e Alemanha, de Teboho Edkins, venceu como curta estrangeiro na mesma categoria. Ele mostra que do alto das montanhas de Lesoto, Mosaku espera ansiosamente que seu irmão mais velho retorne de uma cerimônia de iniciação.

 

Eleito o melhor curta-metragem do Festival do Rio 2016, “Demônia: melodrama em 3 atos”, de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet, foi premiado como melhor curta na Mostra Competição Nacional escolhido pelo público e também o melhor curta, segundo o júri especial do festival. “Caminho dos Gigantes”, de Alois Di Leo, ganhou na categoria “Prêmio Especial do Júri – Melhor Direção”. A produção é uma busca poética pela razão e propósito da vida, que conta a história de Oquirá, uma menina indígena de seis anos, que enfrenta o ciclo da vida e o conceito de destino.

“Esse ano, vimos nas telas muito do que vivemos hoje. Muitos curtas abordaram temas como imigração, remoções e democracia. É de se esperar uma grande multiplicidade de visões de mundo quando se lida com um produto cultural como o curta-metragem”, comentou Ailton Franco Jr., diretor do festival, na noite de encerramento do festival no último dia 9.

 

Sobre o Cineclube Curta Cinema

O Cineclube Curta Cinema foi criado pelo Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro em parceria com o Oi Futuro Ipanema em comemoração aos 25 anos do festival. Iniciado em junho de 2015, o Cineclube Curta Cinema apresenta mensalmente clássicos do curta-metragem nacional e de curtas inéditos. A exibição dos filmes é sempre acompanhada de debate aberto ao público com os realizadores e artistas convidados. O projeto Cineclube Curta Cinema é uma iniciativa do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro em parceria com o Oi Futuro, e o patrocínio da Oi, Petrobras, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, e pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretária Municipal de Cultura e RioFilme.

 

Sobre o Curta Cinema

O Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro – Curta Cinema – desde 1991 tem sido uma das principais vitrines para o curta-metragem no país. A cada ano são exibidos cerca de 200 filmes dos mais diversos gêneros e nacionalidades. A programação consiste em mostras competitivas (nacional e internacional), panoramas regionais, programas temáticos, de gênero, e especiais. Além da exibição de filmes, o festival desenvolve atividades paralelas com caráter informativo e educativo, como workshop e oficina.

 

Sobre o Oi Futuro 

O Oi Futuro é o instituto de responsabilidade social da Oi, que emprega novas tecnologias de comunicação e informação no desenvolvimento de projetos de educação, cultura, esporte, meio ambiente e desenvolvimento social. Desde 2001, suas ações visam democratizar o acesso ao conhecimento e reduzir distâncias geográficas e sociais, com especial atenção à população jovem.

Na educação, os programas NAVE e Oi Kabum! usam as tecnologias da informação e da comunicação, capacitando jovens para profissões na área digital, fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de educadores da rede pública, e fomentando o desenvolvimento de modelos inovadores. Já na área cultural, o Oi Futuro mantém dois centros culturais no Rio de Janeiro, com uma programação nacional e internacional de qualidade reconhecida e a preços acessíveis, além do Museu das Telecomunicações.

O esporte é apoiado através de projetos aprovados pelas Leis de Incentivo ao Esporte, tendo sido a Oi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos socioeducativos inseridos na Lei Federal. O programa Oi Novos Brasis completa seu escopo de atuação, reafirmando o compromisso do Instituto no campo da sustentabilidade, com o apoio e o desenvolvimento de parcerias com organizações sem fins lucrativos para a viabilização de ideias inovadoras que utilizem a tecnologia da informação e comunicação para acelerar o desenvolvimento humano.

 

Serviço:

Cineclube Curta Cinema – Escolhas estéticas e perfis de programação: Os premiados do Curta Cinema 2016

Data: Quinta-feira, dia 17 de novembro.

Horário: 19h30m

Local: Oi Futuro Ipanema – Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema, Rio de Janeiro

Exibição seguida de debate. Senhas serão distribuídas com 30 minutos de antecedência

Capacidade: 92 lugares

Classificação indicativa: 16 anos

 

Programação:

Initiation, de Teboho Edkins, 11min, África do Sul/ Alemanha, 2016.

No alto das montanhas de Lesoto, Mosaku espera ansiosamente que seu irmão mais velho retorne de uma cerimônia de iniciação.

 

O Estacionamento, de William Biagioli, 15 min, PR, 2016

Jean é um imigrante haitiano que vem para o Brasil. Para sobreviver, ele arruma emprego em um estacionamento de carros e passa a viver lá. Jean descobrirá que essa rotina pode ser enlouquecedora.

 

Demônia: Melodrama em 3 Atos, de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet, 17 min, SP, 2016

Demônia é um ser endiabrado. Ou uma mulher má.

 

Caminho dos Gigantes, de Alois Di Leo, 12 min., SP, 2016

Em uma floresta de árvores gigantes, Oquirá uma menina indígena de seis anos, vai desafiar o seu destino e entender o ciclo da vida.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s