Sucessos de 2016 de graça no Net Now

Sucessos de 2016 de graça no Net Now

A operadora televisiva já liberou alguns filmes de 2016 de graça em seu portal. Os filmes de setembro, outubro e novembro podem ser vistos se o cliente pagar um valor a mais pelo produto.

Agora é só escolher e aproveitar as férias com muitos filmes e pipocas.

Filmes pago: Inferno, O Lar das Crianças Peculiares, Procurando Dory, Esquadrão Suicida, Pets – A Vida Secreta dos Animais, entre outros.

Filmes grátis – Telecine: Truman, Snoopy & Charlei Brown – Peanuts, Deadpool,  Mais Forte que o Mundo, O Regresso, As Sufragistas, O Bom Dinossauro, entre outros.

HBO: Ressurreição, Minha Querida Primeira-Dama, Confirmação, Até o Fim, entre outros.

icon-net-now

Desejo um excelente 2017 para todos os leitores do blog. Um ano com muita paz, saúde e amor.

Por: Vitor Arouca

 

Anúncios
Minha Mãe É Uma Peça 2 lidera ranking de bilheteria no Brasil

Minha Mãe É Uma Peça 2 lidera ranking de bilheteria no Brasil

minha-mae-e-uma-pecaNas telonas do Brasil desde 22 de dezembro, ‘Minha Mãe É Uma Peça 2’ ficou em primeiro lugar no ranking de filmes mais assistidos do final de semana do Natal. O longa foi visto por cerca de 715 mil pessoas nos últimos quatro dias, segundo informações do Filme B Box Office. Com direção de César Rodrigues, o filme entrou em 1055 telas em todo o país, o que o consagra também como o maior lançamento entre as comédias nacionais. Com o resultado, ‘Minha Mãe É Uma Peça 2’ deixou para trás as produções internacionais “Rogue One – Uma História Star Wars” e “Sing – Quem Canta Seus Males Espanta”.

Estrelado por Paulo Gustavo, o longa traz as novas peripécias de Dona Hermínia, a mãe mais famosa do Brasil que ganhou as telonas em 2013, quando levou 4,6 milhões de pessoas aos cinemas a primeira versão da franquia “Minha Mãe É Uma Peça”. A sequência ganha nova personagem, Lucia Helena, interpretada por Patricya Travassos e repete o elenco do filme anterior: Alexandra Richter (Iesa), Herson Capri (Carlos Alberto), Bruno Bebianno (Garib), Samantha Schmütz (Waldéia), Malu Valle (Dona Lourdes) e Suely Franco (Tia Zélia).

Com produção da Migdal Filmes, coprodução da Globo Filmes, DiamondBack, Paramount Pictures e Universal Pictures, coprodução e distribuição da Downtown Filmes e Paris Filmes, e investimento do BBDTVM, o filme tem roteiro de Fil Braz e Paulo Gustavo.

 

Sinopse

A mãe mais divertida do Brasil tornou-se apresentadora de TV, ficou famosa, mudou de endereço, de status econômico… mudou quase tudo, só não mudou a si mesma. Dona Hermínia (Paulo Gustavo) continua hilária, irreverente e muito preocupada com os problemas da família: Marcelina (Mariana Xavier) decide ser atriz e Juliano (Rodrigo Pandolfo) se descobre bissexual. Para completar, a irmã Lucia Helena (Patrycia Travassos), que mora há anos em Nova York, resolve fazer uma longa visitinha.

 

Elenco

D. Hermínia – Paulo Gustavo
Juliano – Rodrigo Pandolfo
Marcelina – Mariana Xavier
Lucia Helena – Patricya Travassos
Iesa – Alexandra Richter
Carlos Alberto – Herson Capri
Waldéia – Samantha Schmütz
Tia Zélia – Suely Franco
Dona Lourdes – Malu Valle
Garib – Bruno Bebianno
Pedrinho – Davi Goulart

Zezé – Ilva Niño

 

Ficha técnica

Direção: César Rodrigues

Roteiro: Fil Braz e Paulo Gustavo

Produção: Iafa Britz

Produção Executiva: Camila Medina

Direção de Produção: Roberta Oliveira

Direção de Fotografia: João Pádua

Direção de Arte: Rafael Targat

Figurino: Reka Koves

Maquiagem: Rod Makeup e Maria Inez Moura

Visagista: Adriana Almeida

Montagem: Edu Hartung

Produtor Musical: Zé Ricardo

Som Direto: Frederico Massine

Som e Mixagem: Simone Petrillo e Roberto Leite

Supervisão de Efeitos Visuais: Omar Colocci

Finalização: Marcelo Pedrazzi

 

Sobre o DIRETOR

César Rodrigues trabalhou para a Rede Globo, Rede Record e TV Cultura. Atualmente, dirige a segunda temporada da série de grande sucesso ‘Vai Que Cola’, exibida no canal Multishow. César também foi responsável pela direção dos longas ‘Uma Professora Muito Maluquinha’, que recebeu o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de Melhor Filme Infantil, em 2012, e ‘High School Musical: O Desafio’.

Para a TV, dirigiu os seriados ‘Filhos do Carnaval’, da HBO, ‘Mulher’ e ‘Labirinto’, da Rede Globo, ‘A Segunda Vez’, do Multishow, e ‘Um Menino Muito Maluquinho’, premiada como melhor série infantil para a TV da 33ª Edição do NHK Japan Prize, finalista do Prix Jeunesse e outros prêmios nacionais e internacionais.

César foi ainda assistente de direção dos filmes ‘A Dona da História’, ‘Sexo, Amor e Traição’, entre outros. Em 2015, dirigiu o longa ‘Vai Que Cola – O Filme’.

 

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Última de 2016

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Última de 2016

um-gato-de-rua-chamado-bob-2Um Gato de Rua Chamado Bob: Drama com direção de Roger Spottiswoode. Baseado em fatos reais.

Sinopse: Enquanto trabalhadores lotam as ruas de Covent Garden, em Londres, um simpático gatinho laranja chama a atenção da multidão. Com um vistoso lenço em volta do pescoço, Bob, como é chamado, vive com James Bowen (Luke Treadaway), que toca música pela cidade com seu violão surrado. Mais do que um companheiro de rua, Bob é protagonista da história de superação e da luta contra as drogas de seu dono.

 

2350_capa.jpg

 

Animais Noturnos: Drama com direção de Tom Ford.

Sinopse: A negociante de arte, Susan, vive um relacionamento distante com o atual marido quando recebe um manuscrito de autoria de Edward, seu primeiro marido. No livro uma família está viajando de férias quando tem seu caminho cruzado com uma gangue. A tensa leitura leva Susan a refletir sobre as razões de ter recebido o livro, levando a descobertas dolorosas sobre si mesma e o fracassado relacionamento do passado.

 

2373_capa.jpg

 

Invasão Zumbi: Ação, terror e suspense de Sang-Ho Yeon.

Sinopse: Em um trem de alta velocidade com destino à cidade de Busan, um vírus que transforma as pessoas em zumbis, se espalha.

Por: Vitor Arouca

Retrospectiva: os melhores filmes de 2016

Retrospectiva: os melhores filmes de 2016

julietaVamos fazer uma retrospectiva com os melhores filmes de 2016:

10- Julieta

O filme de Almodóvar mais uma vez é uma obra-prima questionando todas as relações afetivas, dessa vez, de novo, sobre mãe e filha e um grande trauma que as afastou no passado. Julieta perde a companhia da família e acaba resgatando, ao ver uma amiga da mesma, histórias do passado que marcaram as duas, até a reconciliação. Para ver e rever. Fiquei chocada de não conseguir representar a Espanha no Globo de Ouro e no Oscar. Almodóvar sendo Almodóvar. Simplesmente genial!

 

9- Truman

Ricardo Darín é sempre sinal de ótimo filme e dessa vez não ficou diferente. É a saga de um homem em estado terminal que tenta achar alguém que herde seu cachorro fofo. Aí ele reencontra um velho amigo e revê o filho que mora em Amsterdã. Um filme sensível e profundo. Mais um gol de placa dos hermanos.

 

8- A Grande Aposta

O filme é um pouco complexo de se entender para quem não entende de Matemática ou Bolsa de Valores mas fala das relações em torno do dinheiro. Christian Bale mais uma vez arrasa em uma interpretação.

 

7- Deadpool

Não é mais um filme de super-herói, é o filme. aliás de um anti-herói. Sarcástico, que fala palavrão, politicamente incorreto. E com meu muso eterno Ryan Reynolds. Excelente diversão! Simplesmente imperdível!

 

6- O quarto de Jack

É um filme impactante, claustrofóbico e libertador. Um dos melhores do Oscar, com certeza. Um filme que faz você refletir sobre o cárcere privado, estupro, aliciamento de menores, exposição na mídia e consequências psíquicas de um isolamento forçado. Acaba sendo uma fábula também porque a mãe recria um mundo paralelo para que seu filho não perceba o sequestro e o abuso que ela sofreu. Excelente filme! Para reavaliar a vida, mesmo. E com um final, apesar das intempéries e percalços, feliz!

 

5-Como eu era antes de você

Amei o filme! Chorei demais! E depois fui ler o livro. Tem paixão, enriquecimento interior, generosidade e temas polêmicos em discussão como a eutanásia. Além disso, uma musa de Game of Thrones e um aspirante a galã no elenco. Como não amar? Prepare os lencinhos e tenha uma linda história de amor para se inspirar!

 

4- Animais Fantásticos e onde habitam

Um filme pré-Harry Potter é sucesso na certa. E esse não poderia ser diferente, ainda mais com Eddie Redmayne no elenco. Ali tem tudo de JK Rowling e tudo que os fãs amam! Sensancional! Saudade? Nem deu para sentir do bruxinho mais amado, Harry Potter, e sua trupe, Hermione e Ronnie Weasley,

 

3- Aquarius

Um dos melhores filmes brasileiros de todos os tempos. Pena que não teve a sua indiação para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Mas continua ganhando prêmios por onde passa. Há esperança que Sonia Braga tenha uma indicação para o Oscar de Melhor Atriz.

 

2- Doutor Estranho

Não dava nada pelo filme, achei que era mais um da grife Marvel e me surpreendi. O filme tem suspense, excelente atuação de Benedict Cumberbatch e até doses de romance. Claro, que por falar de Medicina, é um prato cheio. O filme te prende do início até o fim e já esperamos a sequência.

 

1- Rogue One

Porque um spin-off de Star Wars tem que ser maravilhoso, não? Alegra o Natal dos fãs da saga Star Wars. Há vida pós-George Lucas.

 

Por Anna Barros

 

Carrie Fisher, a Princesa Leia de Star Wars, morre aos 60 anos

Carrie Fisher, a Princesa Leia de Star Wars, morre aos 60 anos

5dea49e85d1672067a19ae1306b8ba353e1eac91be17d09a3ee9a50c3fa7db8dÉ com muito pesar que o blog Poltrona de Cinema, seus leitores e cinéfilos recebem a notícia da morte de Carrie Fisher, a eterna Princesa Leia da saga Star Wars. A atriz tinha 60 anos e tem participação confirmada no próximo filme da franquia, ainda sem título, com lançamento previsto para 14 de dezembro de 2017.

Carrie Fisher começou sua carreira em 1975, quando estreou em Hollywood no filme “Shampoo”, mas sua consagração se deu em 1977 em “Star Wars Episódio IV-Uma Nova Esperança”, interpretando a princesa Leia Organa. Fisher também atuou em mais três filmes: “O Império Contra-ataca”, de 1980, “O Retorno de Jedi”, de 1983, e “O Despertar da Força”, de 2015.

Além de “Star Wars”, Carrie Fisher também brilhou nos longas “Hannah e Suas Irmãs”, de Woody Allen, e “Os Irmãos Cara de Pau”, de John Landis, dentre outros. Em paralelo com o cinema, a atriz também era escritora e roteirista, e lançou o livro “Postcards from the Edge”, adaptado pelo diretor Mike Nichols com o título “Lembranças de Hollywood”, com Meryl Streep e Shirley McLaine nos papéis principais. Sua mais recente obra foi “Memórias da Princesa: os Diários de Carrie Fisher”, no qual relata um breve romance com o ator Harrison Ford, o Han Solo de Star Wars, seu par romântico.

Fica o nosso agradecimento e saudade para um dos grandes ícones que marcaram a história do nosso cinema, e que todos os pensamentos, forças e esperança estejam com vocês. Saudades, Carrie Fisher!

Algumas participações de Carrie Fisher:

Star Wars Episódio IV-Uma Nova Esperança (1977)

Star Wars Episódio V-O Império Contra-Ataca (1980)

Star Wars-Episódio VI-O Retorno de Jedi (1983)

Hannah e suas Irmãs (1986)

Star Wars- Episódio VII-O Despertar da Força (2015)

Por: Cesar Augusto Mota

#265 Maratona do Oscar: Florence: quem é essa mulher?

#265 Maratona do Oscar: Florence: quem é essa mulher?

florence3O filme poderia ter um roteiro melhor, mas os desempenhos de Meryl Strepp, sempre maravilhosa, e Hugh Grant arrebatam. Os dois concorrem ao Globo de Ouro e prevejo que possam concorrer ao Oscar 2017.

Florence é desafinada, desaprendeu a cantar e quer, porque quer, cantar no Carnegie Hall. Todos escondem dela a verdade, até mesmo o devotado marido, Saint Clair, que mesmo assim, tem uma namorada fora do casamento. Ela caba convencendo um excelente pianista a comprar a ideia dela.

Stephen Frears é o mesmo diretor de Philomena. O talento de Meryl é desperdiçado, mas o filme prende a atenção. Florence sofre todo tipo de chacota e inocentemente parece não ver o que ocorre à volta dela. Florence ama o que faz, mesmo não sendo capaz para realizá-lo, sem o mínimo de senso crítico. Isso porque na época não tinham as redes sociais porque se existissem, rapidinho ela saberia que era péssima soprano, nada tinha a ver com música lírica, um fracasso total.

Foi o fracasso do primeiro casamento que a fez partir para Nova York, onde conheceria o segundo companheiro, o ator inglês St Clair Bayfield (1875-1967), que a ajudaria a realizar o sonho da música, com apresentações fechadas para amigos e conhecidos, a gravação de cinco discos de 78 rotações e o concerto histórico pouco antes da morte.

O marido a preserva de tudo isso. Tenta evitar que o crítico do New York Post não vá ao concerto e tenta subornar os outros críticos. Quando o crítico do Post vai ao Carnegie Hall e faz uma crítica pesada e real à Florence, ele compra todos os exemplares dos jornais e os joga no lixo.

Florence acaba descobrindo a farsa e acaba morrendo porque ela contraíra sífilis do primeiro marido e padecia com sequelas dessa terrível doença sexualmente transmissível.

Vale a pena assistir às atuações de Meryl e Hugh e ouso dizer, que mesmo sendo um filme considerado mediano, Florence: quem é essa mulher? pode ser um candidato ao Oscar 2017. É esperar para ver.

3/5 poltronas.

Por Anna Barros

 

 

John From divulga cartaz nacional

John From divulga cartaz nacional

john-fromSinopse

Rita (Júlia Palha) é uma adolescente que não tem muito a fazer na vida. Para ocupar o tempo ocioso, ela pega sol na varanda de sua casa e deixa bilhetes para a melhor amiga Sara em um vão no teto do elevador do prédio aonde mora. Até que, um dia, ela se interessa por um novo vizinho, bem mais velho do que ela e que tem uma filha pequena. Decidida a conquistá-lo, Rita elabora planos para que possa atrair sua atenção.

Bio-filmografia do diretor

João Nicolau nasceu em Lisboa e trabalha como diretor, montador, ator e músico.
Realizou os longas metragens A Espada e a Rosa (2010) e JOHN FROM (2015) e as curtas Rapace (2006), Canção de Amor e Saúde (2009), O Dom das Lágrimas (2012) e Gambozinos(2013).

Os seus filmes são regularmente exibidos nos mais prestigiados festivais de cinema: Cannes, Veneza, Locarno, São Paulo, Belfort, Viena, Busan, Buenos Aires, Sevilha, Vila do Conde, Angers, Milão, Montreal, Mar del Plata, Belo Horizonte, Valdivia, Roma, Sarajevo, entre outros.

Nota do diretor

“Nada é tão feroz como o coração de uma menina. Se há coisa mais pura e violenta eu não sei qual é.
Assumidamente pudico e lúdico, este filme procura auscultar a lógica e as metamorfoses da paixão juvenil. Respeitando os seus códigos particulares, acompanhando-os, a exploração a que me propus quis-se sempre distante daquela que olha a atração entre uma adolescente e alguém mais velho como uma disfunção psicológica ou um sintoma de doença social. Ao filme e à protagonista não restou por isso outro caminho senão o da constante transfiguração que nos aproxima daquilo que nessa paixão é mais verdadeiro: a beleza.”

Festivais

NOVOS CINEMAS [Espanha, 2016]: Prémio do Júri Oficial – Melhor Filme
FILMADRID [Espanha, 2016]: Prémio do Júri Oficial – Melhor Filme | Prémio do Júri Jovem – Melhor Filme
FICUNAM [México, 2016]: Menção Especial
BAFICI [Argentina, 2016]: Menção Especial
D’A Barcelona Int Auteur Film Fest [Espanha, 2016]: Menção Especial
Mostra de São Paulo [Brasil, 2015]
Panorama Internacional Coisa de Cinema [Brasil, 2015]
Sevilla European Film Festival [Espanha, 2015]
Cineuropa [Espanha, 2015]
Cinemed [França, 2015]
Torino IFF [Itália, 2015]
Entrevues [França, 2015]

Festival Luso Brasileiro de Santa Maria da Feira [Portugal, 2015]
Premiers Plans d’Angers [France, 2016]
Uruguay IFF [Uruguai, 2016]
Wisconsin Film Festival [EUA, 2016]
Festibérico [Países Baixos, 2016]
D’A – Fest Int de Cinema de Autor Barcelona [Espanha, 2016]
Sicilia Queer Filmfest [Itália, 2016]
Filmadrid [Espanha, 2016]
Novos Cinemas – Pontevedra IFF [Espanha, 2016]
Museum of Contemporary Art, Sydney [Austrália, 2016]
AFI Latin American Film Festival [EUA, 2016]
Eurocine [Equador, 2016]
Meetings of Young European Cinema [Bulgária, 2016]

Elenco

Júlia Palha  Clara Riedenstein  Filipe Vargas  Leonor Silveira Adriano Luz

Ficha técnica

realização João Nicolau argumento João Nicolau e Mariana Ricardo música original João Lobo diretor de fotografia Mário Castanheira som Miguel Martins montagem Alessandro Comodin, João Nicolau guarda-roupa Susana Moura decoração Bruno Duarte e Cypress Cook director de produção Joaquim Carvalho co-produtor Thomas Ordonneau produtores Luís Urbano, Sandro Aguilar

cor | 100’  © O SOM E A FÚRIASHELLAC SUD 2015 – Distribuição Fênix Filmes.

 

Por Anna Barros