Poltrona Cabine: Minha Mãe é uma Peça 2/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: Minha Mãe é uma Peça 2/ Cesar Augusto Mota

maxresdefaultRica, descolada e angustiada com os problemas que envolvem a maternidade, assim está Dona Hermínia (Paulo Gustavo), de volta às telonas após o grande sucesso de Minha Mãe é uma Peça, de 2013. Passamos agora a acompanhar uma história com novos contornos, mas com o talento inquestionável e a impressionante naturalidade de Paulo Gustavo de como dá vida a sua personagem, mais engraçada do que nunca.

Agora rica e comandando um programa no estilo Talk Show, Dona Hermínia assume vários papéis ao mesmo tempo, de apresentadora, mãe e avó, e se verá às turras com a irmã Lúcia Helena (Patrícya Travassos), que chega de Nova York para visitá-la. Você tem a impressão que Hermínia entrará em colapso, vai ter um ataque de nervos e tudo irá pelos ares, mas o resultado é excelente, com ótimas tiradas da protagonista e uma grande conexão com o público, como ocorreu no primeiro filme.

Mesmo com tantos percalços, o que é mais importante para Hermínia são os filhos Juliano (Rodrigo Pandolfo) e Marcelina (Mariana Xavier), e o sentimento materno se acentua ainda mais quando percebe que eles estão dispostos a criar asas e ganhar o mundo. Superprotetora, Hermínia sente o duro golpe, mas o seu jeito espontâneo, despojado e de levar a vida fazendo sátiras com as situações do cotidiano a fazem encarar a mudança dos dois herdeiros para São Paulo como algo natural e necessário, e ela consegue aceitar isso também com a ajuda do ex-marido Carlos Alberto (Herson Capri), que a trocou por uma mulher mais jovem, mas sem admitir que a traiu.

A impressão que temos que o filme é composto por vários quadros de humor, mas o que realmente visualizamos é uma trama apoiada no talento, carisma e desenvoltura impressionante de Paulo Gustavo, que também escreve o roteiro, juntamente de Fil Braz. A composição de Hermínia foi inspirada na própria mãe e a preocupação de não tornar as cenas cansativas e repetitivas foram também essenciais para a boa evolução do filme.

E o elenco? Posso afirmar que de alta qualidade, o entrosamento entre todos é excelente e cada um consegue imprimir autenticidade para os respectivos personagens, além de prender a atenção do público até o fim e promover grandes momentos de descontração. Rodrigo Pandolfo e Mariana Xavier estão ótimos como Juliano e Marcelina, ambos convencem e conseguem transmitir bem o amadurecimento e a segurança necessárias para uma decisão importante, de tomar novo rumo na vida e viver em outra cidade. Herson Capri tem participação satisfatória como Carlos Alberto e se destaca mais nas cenas quentes com a nova namorada e quando tira sarro de Hermínia, dizendo que terminou o casamento e minutos depois co meçou novo relacionamento. Patrícya Travassos mostra talento para o humor, mas sua personagem não recebeu tanta importância na história, sem esquecer de Suely Franco, que se mostra espetacular como a Tia Zélia

O resultado da obra é acima da média, e se conseguir ter um bom resultado de bilheteria, aposto numa continuação. Foi acertado transformar em filme a peça de Paulo Gustavo em filme, e seremos brindados com uma trama de roteiro robusto e com boas risadas. Com direção de César Rodrigues, “Minha Mãe é uma Peça 2” estreia em 22 de dezembro nos cinemas.

Anúncios

Um comentário sobre “Poltrona Cabine: Minha Mãe é uma Peça 2/ Cesar Augusto Mota

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s