Maratona Oscar: Elle

Maratona Oscar: Elle

047036-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxxExibida na 40ª Mostra de São Paulo e presente na Palma de Ouro de 2016, “Elle”, do diretor holandês Paul Verhoeven, é sem dúvida uma obra intrigante, de fortes impactos psicológicos e que reforça a imagem de uma mulher segura, apesar das adversidades. Uma produção de forte apelo no circuito nacional e que vai chamar a sua atenção.

A narrativa é sobre Michelle (Isabelle Huppert), proprietária de uma produtora de games, rodeada de amigos e financeiramente bem resolvida. Mas sua tranquilidade é abalada quando é atacada em sua própria casa com requintes de crueldade.

A primeira cena é chocante, apenas com sons de violência, aliada a um olhar atônito do gato preto e o pavor da protagonista. Essa mesma sequência aparece mais vezes em cenas de flashback para ajudar Michelle a compreender o que aconteceu e descobrir a identidade do verdadeiro agressor.

Após essa experiência traumática, Michelle continua cercada pelo criminoso e se sente ameaçada o tempo todo. De início ela compra alguns instrumentos para se defender e resolve não procurar a polícia. Por meio de pistas que foram deixadas, ela procura fazer conexões entre todas elas para desvendar o verdadeiro abusador. A história vai se desdobrando em três atos  e com atitudes seguras e imprevisíveis da personagem central, interpretada magnificamente por Huppert.

O trabalho de Verhoeven na articulação de “Elle” é inquestionável e bastante preciso, com um enredo que toma amplitude na medida em que se desenvolve e a montagem aliada às câmeras junto ao corpo da personagem central contribui para a sensação de impacto real e desconcertante com as cenas de violência presentes. Sem falar que o filme não trata apenas de trauma pós violência física e sexual, como também fala do empoderamento da mulher em uma sociedade predominantemente machista, bem como de relações provocadoras e doentias capazes de instigar e desafiar o ser humano.

Falamos do filme e não poderíamos também deixar de exaltar a atuação de Isabelle Huppert, a força motriz desta produção. A parisiense se entrega de corpo e alma à sua personagem, antes vítima e que acaba por se tornar poderosa. Quando o espectador imagina que ela vai tomar um rumo, vai em direção contrária, o que impressiona ainda mais, fora a força de Michelle em ter de lidar com outros conflitos na vida, como a relação conturbada com a mãe, que se apaixona por homens mais jovens, a dificuldade em aceitar a namorada do filho, o convívio com o ex-marido infiel, fora o amante e o difícil relacionamento com os colegas de trabalho, a maioria homens. A personagem Michelle convive com tudo isso e um trauma de infância que envolve o pai.

O sucesso de “Elle”, sem dúvida, foi fruto da atuação convincente e da genialidade de Isabelle Huppert, que soube compor a personagem e fez o espectador acreditar que é possível enfrentar variadas adversidades ao mesmo tempo, mas sem perder a dignidade. O filme pode ter sido inquietante e polêmico, e com a impressão de que Michelle fez pouco caso à violência que sofreu e que seria masoquista, mas na verdade foi uma maneira de Paul Verhoeven retratar que muitos seres humanos são frágeis, cruéis e agressivos e que o mundo não é violento, mas o homem que o torna.

Não é à toa que Isabelle Huppert foi indicada ao Oscar na categoria de melhor atriz, mas será uma competição acirrada, com excelentes intérpretes, como Emma Stone, Natalie Portman e Meryl Streep, mas Huppert não pode ser considerada carta fora do baralho. Façam suas apostas!

Por: Cesar Augusto Mota

 

Anúncios
SAG Awards 2017: Confira vencedores da premiação, marcada por algumas surpresas

SAG Awards 2017: Confira vencedores da premiação, marcada por algumas surpresas

Elenco de  'Stranger Things' celebra vitória no SAG Awards 2017 (Crédito: Getty Images)
Elenco de ‘Stranger Things’ celebra vitória no SAG Awards 2017 (Crédito: Getty Images)
Um dos termômetros para o Oscar, o Screen Actors Guild Awards (SAG) foi realizado na noite do último domingo (29) em Los Angeles com entrega de prêmios pelo Sindicato dos Atores dos Estados Unidos. Foi uma festa marcada pela confirmação de alguns favoritismos e também com algumas surpresas.

Assim como no Globo de Ouro, Viola Davis levou o prêmio de melhor atriz coadjuvante por “Fences”, bem como Emma Stone, melhor atriz por “La La Land-Cantando Estações”. Na categoria televisão, Claire Foy foi escolhida melhor atriz de série dramática por “The Crown” e Sarah Paulson levou a estatueta por melhor atriz em minissérie ou filme para TV pelo trabalho em “People vs. O.J. Simpson: American Crime Story”.

A maior surpresa da noite ficou por conta de Casey Affleck, que já havia conquistado outros prêmios, mas não levou o SAG Awards como melhor ator, perdendo para Denzel Washington, que brilhou em “Fences”. Os elencos de “Stranger Things” e “Estrelas Além do Tempo” surpreenderam e também levaram estatuetas para casa.

Confira abaixo a lista completa com todos os premiados.

Melhor Elenco em Filme
Hidden Figures

Melhor Ator
Denzel Washington por Fences

Melhor Atriz
Emma Stone por La La Land

Melhor Performance por Ator Coadjuvante
Mahershala Ali por Moonlight

Melhor Performance por Atriz Coadjuvante
Viola Davis por Fences

Melhor Elenco em Série Dramática
Stranger Things

Melhor Elenco em Série de Comédia
Orange is the New Black

Melhor Atriz em Série Dramática
Claire Foy por The Crown

Melhor Ator em Série Dramática
John Lithgow por The Crown

Melhor Ator em Série de Comédia
William H. Macy por Shameless

Melhor Atriz em Série de Comédia
Julia Louis Dreyfus por Veep

Melhor Ator em Minissérie ou Filme para a TV
Bryan Cranston – All the Way

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para a TV
Sarah Paulson – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Por: Cesar Augusto Mota

Screen Actors Guild 2017: Confira todos os indicados ao evento deste domingo em LA

Screen Actors Guild 2017: Confira todos os indicados ao evento deste domingo em LA

sag_logo_horizontal_0

A temporada de premiações de 2017 segue a todo vapor. Enquanto não chega a cerimônia do Oscar, vamos acompanhar neste domingo (29) a 23ª edição do Screen Actors Guild (SAG), evento que premia as melhores atuações em filmes, séries e minisséries.

Os melhores do ano em cinema e televisão são escolhidos por meio de votos dos próprios intérpretes filiados ao Sindicato dos Atores dos Estados Unidos. Assim como o Globo de Ouro, o SAG serve como termômetro para o Oscar.

Alguns artistas que aspiram à maior premiação de Hollywood estão entre os indicados ao SAG, como Meryl Streep, Ryan Gosling, Natalie Portman e Emma Stone. Mahershala Ali e Viola Davis, que disputam a estatueta do Oscar como atores coadjuvantes, também concorrem ao SAG 2017.

Confira abaixo a lista completa com todos os indicados.

Melhor Elenco em Filme

Captain Fantastic
Fences
Hidden Figures
Manchester by the Sea
Moonlight

Melhor Ator

Casey Affleck por Manchester By the Sea
Andrew Garfield por Hacksaw Ridge
Ryan Gosling por La La Land
Viggo Mortensen por Captain Fantastic
Denzel Washington por Fences

Melhor Atriz

Amy Adams por Arrival
Emily Blunt por The Girl on the Train
Natalie Portman por Jackie
Emma Stone por La La Land
Meryl Streep por Florence Foster Jenkins

Melhor Performance por Ator Coadjuvante

Mahershala Ali por Moonlight
Jeff Bridges po Hell por High Water
Hugh Grant por Florence Foster Jenkins
Lucas Hedges por Manchester by the Sea
Dev Patel por Lion

Melhor Performance por Atriz Coadjuvante

Viola Davis por Fences
Naomie Harris por Moonlight
Nicole Kidman por Lion
Octavia Spencer por Hidden Figures
Michelle Williams por Manchester by the Sea

Melhor Elenco em Série Dramática

The Crown
Downton Abbey
Game of Thrones
Stranger Things
Westworld

Melhor Elenco em Série de Comédia

The Big Bang Theory
Blackish
Modern Family
Orange is the New Black
Veep

Melhor Atriz em Série Dramática

Millie Bobby Brown por Stranger Things
Claire Foy por The Crown
Thandie Newton por Westworld
Winona Ryder por Stranger Things
Robin Wright por House of Cards

Melhor Ator em Série Dramática

Sterling K. Brown por This Is Us
Peter Dinklage por Game of Thrones
John Lithgow por The Crown
Rami Malek por Mr. Robot
Kevin Spacey por House of Cards

Melhor Ator em Série de Comédia

Anthony Anderson por Black-ish
Titus Burgess por Unbreakable Kimmy Schmidt
Ty Burrell por Modern Family
William H. Macy por Shameless
Jeffrey Tambor por Transparent

Melhor Atriz em Série de Comédia

Uzo Aduba por Orange is the New Black
Jane Fonda por Grace and Frankie
Ellie Kemper por Unbreakable Kimmy Schmidt
Julia Louis Dreyfus por Veep
Lily Tomlin por Grace and Frankie

Melhor Ator em Minissérie ou Filme para a TV

Riz Ahmed – The Night Of
Sterling K. Brown – People v. O.J. Simpson: American Crime
Bryan Cranston – All the Way
John Turturro – The Night Of
Courtney B. Vance – People v O.J. Simpson: American Crime

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para a TV

Bryce Dallas Howard – Black Mirror
Felicity Huffman – American Crime
Audra MacDonald – Lady Day at Emerson’s Bar & Grill
Sarah Paulson – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story
Kerry Washington – Confirmation

O Screen Actors Guild 2017 ocorre em Los Angeles e terá a transmissão do canal TBS a partir das 23h.

Por: Cesar Augusto Mota

Líder de indicações ao César Awards 2017, ‘Frantz’ ganha trailer legendado

Líder de indicações ao César Awards 2017, ‘Frantz’ ganha trailer legendado

frantz4Após o término da Primeira Guerra Mundial, Anna (Paula Beer), uma jovem alemã, visita todos os dias o túmulo do noivo Frantz, morto em uma batalha na França. Pouco tempo depois ela conhece o francês Adrien (Pierre Niney), que também coloca flores na sepultura e afirma ter sido um grande amigo do soldado falecido. Em seguida nasce uma grande paixão entre os dois.

Essa é a história do longa “Frantz”, do cineasta François Ozon, que ganha seu primeiro trailer legendado em português. O filme recebeu 11 indicações ao César (Oscar francês) ao lado de “Elle” e foi premiado no Festival de Veneza. A culpa, o perdão e o luto serão os temas centrais da obra e mostrará os pontos de vista de França e Alemanha sobre a Primeira Guerra.

A estreia de “Frantz” no circuito nacional está prevista para 2 de março de 2017. Confira o trailer legendado do filme abaixo.

Por: Cesar Augusto Mota

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 2

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 2

resident-evil-6-o-capitulo-final-poster-desktop

Resident Evil – O Capítulo Final:  Ação de Paul W.S. Anderson.

Sinopse: Sobrevivente do massacre zumbi, Alice retorna para onde o pesadelo começou, Raccoon City, onde a Umbrella Corporation reúne suas forças para um ataque final contra os remanescentes do apocalipse. Para vencer a dura batalha final e salvar a raça humana, a heroína recruta velhos e novos amigos.

quatro-vidas-de-um-cachorro-poster-desktop.png

Quatro Vidas de um Cachorro: Drama de Lasse Hallstrom.

Sinopse: Um cachorro morre e reencarna várias vezes na Terra. Embora encontre novas pessoas e viva muitas aventuras, ele mantém o sonho de reencontrar o seu primeiro dono, que sempre foi seu maior amigo.

download-14

A Morte de Luís XIV: Drama de Albert Serra.

Sinopse: No ano de 1715, mais especificamente no mês de agosto, o monarca Luís XIV (Jean-Pierre Léaud) começa a sentir dores na perna. Ele continua a exercer suas funções nos dias seguintes, mas passa a ter sonos intranquilos, além de problemas com alimentação e febre. Cada dia mais fraco, acompanhamos os lentos últimos dia da sua vida.

Poltrona Resenha – https://poltronadecinema.wordpress.com/2017/01/22/poltrona-cabine-a-morte-de-luis-xiv/

Por: Vitor Arouca

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 1

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 1

20170123152049458966iBeleza Oculta: Drama de David Frankel.

Sinopse: Após uma tragédia pessoal, Howard entra em depressão e passa a escrever cartas para a Morte, o Tempo e o Amor – algo que preocupa seus amigos. Mas o que parece impossível, se torna realidade quando essas três partes do universo decidem responder. Morte, Tempo e Amor vão tentar ensinar o valor da vida para o protagonista.

Poltrona Resenha -https://poltronadecinema.wordpress.com/2017/01/25/poltrona-cabine-beleza-oculta-por-vitor-arouca/

2396_capa.jpg

 

Até o Último Homem: Drama de mel Gibson. História real.

Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 homens, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.

 

2372_capa.jpg

 

A Bailarina: Filme infantil dos diretores Eric Summer e Eric Warin.

Sinopse: Paris, 1869. Uma sonhadora menina órfã toma uma atitude arriscada para conseguir o que quer: foge para Paris para realizar o sonho de ser uma grande bailarina. Lá ela decide se passar por outra pessoa, e consegue uma vaga no Grand Opera, onde vai aprontar muitas aventuras.

 

max-steel-poster-desktop

 

Max Stell: Aventura de Stewart Hendler.

Sinopse: Max é um adolescente de 16 anos que, como todas as pessoas da sua idade, está passando por um período de descobertas. Entretanto, as transformações na vida do jovem estão relacionadas aos incríveis poderes que ele descobre ter quando entra em contato com uma força extraterrestre.

Por: Vitor Arouca

Fences ganha título em português e concorre a quatro Oscars

Fences ganha título em português e concorre a quatro Oscars

fencesCom quatro indicações ao Oscar, “Fences” acaba de ganhar título em português e ainda não tem data de lançamento definida no Brasil. O longa-metragem concorre às categorias de Melhor Filme, Melhor Ator (Denzel Wahington), Melhor Atriz Coadjuvante (Viola Davis) e Melhor Roteiro Adaptado. Assim como o livro que a Editora Única lançará em fevereiro, o filme se chamará “Um Limite entre Nós” no Brasil.

Baseado na peça escrita pelo autor americano ganhador do Prêmio Pulitzer em 1987, August Wilson, a adaptação para o cinema é dirigida e protagonizada por Denzel Washington. “Obrigado à Academia por este maravilhoso reconhecimento e por honrar as brilhantes palavras de August Wilson. Eu tenho apenas a sorte de ter feito parte desse projeto e ter a chance de trabalhar com a incrível Viola Davis e o resto do meu talentoso elenco e equipe”, disse o ator e diretor ao saber das nomeações.

A trama retrata a vida de Troy Maxson (Denzel) e os conflitos que permeiam suas relações sociais e familiares. Casado com Rose (Viola Davis), ele leva uma vida difícil, em uma América hostil aos negros. Quando seu filho Cory (Jovan Adepo) decide seguir carreira no beisebol – antigo sonho do pai – a convivência entre os eles começa a ficar cada vez mais difícil.

DA LITERATURA AO TEATRO E AO CINEMA

A história escrita por August Wilson já havia sido interpretada por Denzel e Viola no teatro, rendendo a eles o Tony Award de Melhor Ator e Melhor atriz, em 2010. No cinema, a carreira de “Um Limite Entre Nós” tem seguido o mesmo reconhecimento da crítica e do público e o filme já recebeu três prêmios – Melhor Atriz Coadjuvante para Viola Davis no Globo de Ouro, Critic’s Choise Award e Washington D.C Arena Film Critics Association. Sobre as indicações do filme ao Oscar, Viola fez questão de endossar os agradecimentos de Denzel e expressar o carinho pelo colega de profissão: “Obrigado à Academia por reconhecer este filme extraordinário e importante e meu trabalho nele. Obrigado Denzel por estar no comando!”.

Por Anna Barros