Mostra sobre diários pessoais é atração na CAIXA

Mostra sobre diários pessoais é atração na CAIXA

caro-diarioA CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 3 a 15 de janeiro (terça-feira a domingo), a mostra Diários: do segredo à revelação, um projeto multidisciplinar que abordará todas as formas e tipos de escrita pessoal. Idealizada pela curadora Betch Cleinman, a mostra é inédita e reúne exibição de filmes, palestras, oficinas e leitura dramatizada por atores. Todas as atividades são gratuitas. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

Formada em Comunicação e especialista em cinema e história, Betch também é a coordenadora do projeto, que nasceu a partir de sua descoberta dos diários do fotógrafo e colecionador Joaquim Paiva, um dos palestrantes do projeto. A beleza e a singularidade da coleção despertaram a curadora para a variedade de suportes para narrativas pessoais, bem como para a riqueza de estratégias que as pessoas usam para falar de si.

A ideia da mostra é abordar eclosões de sentimentos e subjetividades variadas e insólitas, trazidas à tona pelo contraponto entre o momento atual, de extrema exposição de privacidades pelas redes sociais, e o conceito de intimidade, formado com o Romantismo do século 19, onde surge a figura do diário como algo “pessoal” e “secreto”.

Para a curadora, as atuais formas de socialização – trocas de mensagem de texto, blogs, twitter, facebook etc – devolveram a escrita ao centro do palco, indicando que as novas tecnologias não só não aboliram a prática de uma escrita pessoal como abriram outras possibilidades de expressão do singular. “E não existe narrativa pessoal sem coautoria, pois ela é criada com o outro e para o outro. Se as novas mídias modificaram a forma de sociabilidade entre as pessoas, os blogs, os diários na internet transformaram-se em um local de troca e de interação, remetendo às origens do diário, quando era um texto comunal, o registro das experiências coletivas”, afirma.

A mostra é dividida em exibição de filmes, realização de palestras, oficinas de diários e leitura dramatizada. Alguns filmes são inéditos, como os diários filmados Diário 1 e Portrait, do dramaturgo francês Jean-Luc Lagarce, O pudor e o impudor, do escritor Hervé Guibert, Sangue, de Pippo Delbono, e Vídeo Palaro – Diários em Vídeo, do cineasta filipino Kidlat Tahimi. Outros filmes como E Agora, Lembra-me, do português Joaquim Pinto, e Walden, de Jonas Mekas, só foram exibidos em festivais e mostras. Outra vertente são filmes baseados em diários reais: Vida de Menina, de Helena Solberg, Memórias do Cárcere, de Nelson Pereira dos Santos, e Noites felinas, de Cyril Collard.

Palestras e oficinas:
As palestras Diários: Registros de uma vida e Diários: Experimentações em torno do cotidiano serão dadas, respectivamente, pela doutora em literatura brasileira Pina Coco e pelo fotógrafo Joaquim Paiva, que inspirou a mostra. Pina falará sobre as modalidades e características dos diários pessoais, a tensão entre a vida pública e privada e a atual exposição pública do íntimo no dia 13 de janeiro (sexta-feira), às 19h30. E Joaquim apresentará suas experiências com os diários no dia 5 (quinta-feira), às 19h20.

O professor e pesquisador Sérgio Barcellos, autor do guia Vida Por Escrito – Guia do acervo de Carolina Maria de Jesus, dará quatro oficinas com exercícios de narrativas pessoais. Com temas distintos, elas acontecerão às quartas-feiras à noite e sábados pela manhã. As oficinas são O diário como testemunha ocular – Escrevendo a vida no limite, dia 4 (quarta-feira), às 19h; O diário de amor – Enquanto a alma gêmea não aparece, dia 7 (sábado), às 11h; O diário como antessala da criação artística, dia 11 (quarta), às 19h, e O diário como companheiro de viagem, dia 14 (sábado), às 11h. É possível participar de mais de uma oficina e não há pré-requisitos. As inscrições devem ser feitas com antecedência pelo email mostradiarios@gmail.com ou no local, de acordo com a disponibilidade.

No dia 12 de janeiro (quinta-feira), às 19h10, os atores Cristina Flores, Karine Teles, Tracy Segal, Camilo Pellegrini, José Mauro Brant e Ricardo Gonçalves realizarão a leitura dramatizada de trechos de diários publicados e inéditos, como Diário de luto, de Roland Barthes; Diário íntimo, de Franz Kafka; e Diário, de Virgínia Woolf.

Programação:

3 de janeiro (terça-feira)
14h – Caro Diário (1993), de Nanni Moretti, Itália/França, 100 min, 12 anos.
16h – Vida de Menina (1992), de Helena Solberg, Brasil, 101 min, livre.
18h – Vídeo Palaro / Diários em vídeo (1992/2006), de Kidlat Tahimik, Filipinas/Japão, 87 min, livre.
19h45 – Retrato (1993), de Jean-Luc Lagarce, França, 1 min, 12 anos; e Diário 1 (1992), de Jean-Luc Lagarce, França, 51 min, 12 anos.

4 de janeiro (quarta-feira)
14h – O filmador (1994/2005), de Alain Cavalier, França, 97 min, livre.
16h – E agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto, Portugal/Espanha, 164 min, 12 anos.
19h – Oficina O diário como testemunha ocular – Escrevendo a vida no limite com o professor e pesquisador Sérgio Barcellos

5 de janeiro (quinta-feira)
14h – Sangue (2013), de Pippo Delbono, Itália/Suíça, 92 min, 12 anos.
16h – A Paixão de JL (2015), de Carlos Nader, Brasil, 82 min, 14 anos.
18h – O pudor e o Impudor (1992), de Hervé Guibert, França, 62 min, 12 anos.
19h20 – Palestra Diários: Experimentações em torno do cotidiano, com o fotógrafo e colecionador Joaquim Paiva + exibição de Cinzas (2016), de Betch Cleinman, Brasil, 7 min, livre.

6 de janeiro (sexta-feira)
14h – Diário de um pároco de aldeia (1951), de Robert Bresson, França, 117 min, 14 anos.
16h15 – Retrato (1993), de Jean-Luc Lagarce, França, 1 min, 12 anos;
Diário 1 (1992), de Jean-Luc Lagarce, França, 51 min, 12 anos;
Cinzas (2016), de Betch Cleinman, Brasil, 7 min, livre.
17h35 – Memórias do Cárcere (1984), de Nelson Pereira dos Santos, Brasil,185 min, 16 anos.

7 de janeiro (sábado)
11h – Oficina O diário de amor – Enquanto a alma gêmea não aparece, com o professor e pesquisador Sérgio Barcellos.
14h – Walden: diários, notas, esboços (1969), de Jonas Mekas, Estados Unidos, 180 min, 14 anos.
17h20 – Sangue (2013), de Pippo Delbono, Itália/Suíça, 92 min, 12 anos.
19h15 – O pudor ou o Impudor (1992), de Hervé Guibert, França, 62 min, 12 anos.

8 de janeiro (domingo)
14h – Vida de Menina (1992), de Helena Solberg, Brasil, 101 min, livre.
16h – Vídeo Palaro / Diários em vídeo (1992/2006), de Kidlat Tahimik, Filipinas/Japão, 87 min, livre.
18h – E agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto, Portugal/Espanha, 164 min, 12 anos.

10 de janeiro (terça-feira)
14h – Vida de Menina (1992), de Helena Solberg, Brasil, 101 min, livre.
16h – A Inglesa e o Duque (2001), de Éric Rohmer, França, 129 min, 14 anos.
18h30 – Noites Felinas (1992), de Cyril Collard, França, 126 min, 18 anos.

11 de janeiro (quarta-feira)
14h – Memórias do Cárcere (1984), de Nelson Pereira dos Santos, Brasil, 185 min, 16 anos.
17h25 – A Paixão de JL (2015), de Carlos Nader, Brasil, 82 min, 14 anos.
19h – Oficina O diário como antessala da criação artística, com o professor e pesquisador Sérgio Barcellos.

12 de janeiro (quinta-feira)
14h – Diário de um pároco de aldeia (1951), de Robert Bresson, França, 117 min, 14 anos.
16h15 – Vídeo Palaro / Diários em vídeo (1992/2006), de Kidlat Tahimik, Filipinas/Japão, 87 min, livre.
18h – Retrato (1993), de Jean-Luc Lagarce, França, 1 min, 12 anos;
Diário 1 (1992), de Jean-Luc Lagarce, França, 51 min, 12 anos.
19h10 – Leitura dramatizada: construção de dramaturgia a partir da seleção de trechos extraídos de obras selecionadas, com os atores Cristina Flores, Karine Teles, Tracy Segal, Camilo Pellegrini, José Mauro Brant e Ricardo Gonçalves.

13 de janeiro (sexta-feira)
14h – Noites Felinas (1992), de Cyril Collard, França, 126 min, 18 anos.
16h30 – E agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto, Portugal/Espanha, 164 min, 12 anos.
19h30 – Palestra Diários: Registros de uma vida, com Pina Coco, doutora em literatura + exibição de Cinzas (2016), de Betch Cleinman, Brasil, 7 min, livre.

14 de janeiro (sábado)
11h – Oficina O diário como companheiro de viagem, com o professor e pesquisador Sérgio Barcellos.
14h – Caro Diário (1993), de Nanni Moretti, Itália/França, 100 min, 12 anos.
16h – A Inglesa e o Duque (2001), de Éric Rohmer, França, 129 min, 14 anos.
18h30 – Cinzas (2016), de Betch Cleinman, Brasil, 7 min, livre;
O filmador (1994/2005), de Alain Cavalier, França, 97 min, livre.

15 de janeiro (domingo)
14h – Memórias do Cárcere (1984), de Nelson Pereira dos Santos, Brasil, 185 min, 16 anos.
17h30 – Walden: diários, notas, esboços (1969), de Jonas Mekas, Estados Unidos, 180 min, 14 anos.

Serviço:
Mostra Diários: do segredo à revelação
Entrada franca
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Data: 3 a 15 de janeiro de 2016 (terça-feira a domingo)
Horários: Consultar programação
Lotação: 78 lugares (mais 3 para cadeirantes)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s