Maratona Oscar: O Apartamento

Maratona Oscar: O Apartamento

filme-o-apartamentoUma trama de carga psicológica com temas polêmicos e atuais e que faz o espectador se colocar no lugar dos personagens. Esses são os ingredientes de “O Apartamento”, filme do cineasta iraniano Asghar Farhadi e que vem com chances de levar para casa o Oscar de melhor filme estrangeiro.

A história tem como ponto central o casal Emad (Shahab Hosseini) e Rana (Taraneh Alidoosti). Ambos são atores e encenam a peça clássica “A Morte do Caixeiro Viajante”, de Arthur Miller, mas são obrigados a deixar o prédio onde vivem por risco de desabamento. Por recomendação de um amigo, eles vão morar em um apartamento cuja dona sai às pressas e deixa diversos objetos pessoais, para incômdo de Rana e Emad. O local guarda um passado que afetará seriamente o presente dos dois.

Em uma certa noite, Rana deixa a porta da frente do apartamento entreaberta por pensar se tratar de que era Emad nas escadarias, mas é atacada durante o banho por um estranho ligado à antiga moradora. A partir daí começa um grande drama e um enorme trauma, principalmente para Rana, não apenas físico, com cicatrizes da agressão, mas o forte abalo psicológico, a dor e o medo constantes e um enorme vazio pelo descaso de Emad.

Descaso? Sim, ele se mostrou tão manchado quanto a esposa, porém mais preocupado em descobrir a verdadeira identidade do agressor para poder se vingar. Faltou apoio, afeto, e a raiva muitas vezes foi transferida para a peça e também para a sala de aula. Foi sugerido à Rana que esta procurasse a polícia e denunciasse, mas a postura dela é surpreendente, ela deseja esquece o ocorrido e seguir em frente, tamanho o constrangimento e a dor que carregava consigo.

Observa-se nesse contexto uma postura machista e a questão do direito do homem de preservar a esposa para si, ideais presentes na sociedade iraniana e também em outras comunidades. Esses são determinantes para a deterioração da relação do casal. Ambos não falam a mesma língua e a presença de mais um personagem no terço final da trama faz a tensão aumentar ainda mais e Rana ter postura mais enérgica com Emad, mas sem quebrar a hierarquia social.

As interpretações dos atores são magníficas, os conflitos são bem articulados e complexos e a realização de tomadas em plano fechado e ambientes livres nos dão a sensação de vazio e solidão, como sentiu Rana após a agressão e o desinteresse do marido pela dor dela. É uma produção que nos faz pensar sobre a posição do homem e da mulher na sociedade contemporânea, além da alta carga psicológica existente e dos conflitos morais existentes.

O Apartamento” foi premiado no Festival de Cannes como  melhor roteiro e Shahab Hosseini levou o troféu de melhor ator por sua atuação como Emad. O filme também saiu vencedor outros festivais, como o World Cinema Amsterdam, Satellite Awards e Munich International Film Festival e com chances reais de levar a estatueta da maior premiação de Hollywood. Recomendo!

Por: Cesar Augusto Mota

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s