Maratona Oscar: Jackie/ Pablo Bazarello

Maratona Oscar: Jackie/ Pablo Bazarello

2420_capaQuando teve sua estreia no prestigiado Festival de Veneza, no início de setembro passado, Jackie, o novo filme do chileno Pablo Larraín, arrancou elogios da imprensa especializada. Os jornalistas enalteciam o longa e, em especial, a atuação de Natalie Portman como a personagem título, chegando ao êxtase cinematográfico de garantir uma indicação na categoria de melhor atriz para ela. De fato, a nomeação (e possível vitória) era cantada desde o lançamento do filme ao longo dessa jornada pré-Oscar. Dito e feito, Portman se posiciona novamente na história da Academia e está entre as três possíveis ganhadoras no próximo domingo, elencada com Emma Stone (La La Land) e Isabelle Huppert (Elle).

Com Jackie, Natalie Portman conquista sua terceira indicação ao maior prêmio da sétima arte após Closer (2004) e a vitória por Cisne Negro (2010) – o que pode prejudicar sua vitória – já que tem uma estatueta recente. O roteiro escrito por Noah Oppenheim narra os eventos pós-assassinato do presidente norte-americano John F. Kennedy, em 1963. Funcionando em algumas linhas narrativas diferentes e simultâneas, o filme de Larraín aborda uma entrevista de Jackie com um jornalista interpretado pelo ótimo Billy Crudup (creditado apenas como “o jornalista”), na qual a figura intocável e imaculada da Primeira Dama, pode finalmente se mostrar como ser humano pensante e cheia de fúria.

Além deste contexto, somos levados aos minutos que sucederam o fatídico dia, com a Primeira Dama ainda em estado de choque, e mais atrás ao passado, quando em um vídeo para uma matéria, revela-se bela, recatada e do lar, apresentando as mudanças que fez em sua nova moradia, a Casa Branca. Como disse um amigo, Jackie é o filme que dá voz a uma figura que nunca a teve. O objetivo realmente é explorar os bastidores desta figura tão querida para os EUA, e humanizá-la.

Outro fato curioso no longa, é que Larraín opta por incluir sua protagonista em todas as cenas do filme. Não existe um segmento em Jackie no qual Portman não esteja presente. Isso faz com que sua atuação seja ainda mais importante para a obra, se comportando como a espinha dorsal desta representação quase documental, tamanha é a inspiração. É como se o espírito de Jacqueline Kennedy Onassis realmente tivesse pairado sobre a atriz e acompanhado as gravações.

Somado a isso, temos coadjuvantes de luxo, encorpando bastante o produto final, como as participações de Peter Sarsgaard como Bobby Kennedy, o cunhado de Jackie, Greta Gerwig como Nancy Tuckerman, John Carroll Lynch como o sucessor de Kennedy na presidência Lyndon Johnson, Max Casella como Jack Valenti e a despedida do saudoso John Hurt, falecido no dia 25 de janeiro, em seu último trabalho lançado ainda em vida (o ator ainda possui quatro trabalhos a serem lançados, de forma póstuma), na pele de um padre. Neste momento, Jackie ganha, através da interação com o personagem de Hurt, significados existencialistas e religiosos mais profundos, onde sentimos a presença do grande texto de Oppenheim.

Junto com Jackie, o cineasta chileno lançou outra biografia, esta mais artística e com maiores liberdades narrativas: a do conterrâneo poeta Pablo Neruda, no filme Neruda. O longa esteve indicado ao Globo de Ouro, mas infelizmente não teve força de chegar até o Oscar, embora Larraín não seja estranho a indicações da Academia. Com Jackie, o diretor igualmente se apoia em grandes profissionais para entregar um exímio produto cinematográfico, chamando atenção a fotografia de Stéphane Fontaine (que este ano fotografou outros dois indicados: Capitão Fantástico e Elle) e a trilha insana e hipnotizante de Mica Levi (Sob a Pele). Jackie é emocionante, contundente, desesperador e humano. Um grande filme que, com 3 indicações ao Oscar 2017 (melhor atriz, figurino e trilha sonora), podemos argumentar ser merecedor de mais nomeações.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s