Poltrona Cabine: Dolores/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: Dolores/ Cesar Augusto Mota

Baseado numa história real, ‘Dolores’, uma coprodução Brasil e Argentina, é um retrato fiel da vida de fazendeiros argentinos que buscam meios de sobreviver durante a Segunda Guerra Mundial. Um misto de romance e drama que promete impressionar o público.

A história nos mostra Dolores (Emilia Attías), uma argentina residente na Escócia, que retorna à sua terra natal após a morte da irmã Helen para cuidar do sobrinho Harry. Lá reencontra Jack (Guillermo Pfening), cunhado e antiga paixão durante a adolescência. O cenário é de melancolia, não só pela dor da perda de Helen, como também de desespero, tendo em vista que a casa da família está hipotecada e a dívida com 14 meses de atraso.

Com a chegada de Dolores, o núcleo familiar ganha novo fôlego e as negociações com o banco são retomadas, mas a questão da paixão mal resolvida entre Dolores e Jack se torna cada vez mais perturbadora. A irmã de Jack, Florrie (Mara Bestelli), tenta impedir o romance, mas a situação piora quando entra na história o rico fazendeiro e descendente de alemães, Octavio Brandt (Roberto Birindelli).

Com o coração dividido, Dolores terá que se resolver com quem quer ficar em meio a um cenário de guerra. Se a questão histórica de rivalidade entre ingleses e alemães era latente, acabou por desembocar para o lado pessoal, tendo em vista a descendência inglesa de Jack e a alemã de Octavio.

A sequência de ações, bem como o trabalho de direção de arte, com as réplicas de figurinos da década de 1940 são excepcionais. O diretor Juan Dickinson acerta na proposta de trazer ao público um filme de uma das épocas mais cruciais para a humanidade, aliado ao charme e glamour dos bailes existentes na ocasião. O roteiro é sólido, com incríveis reviravoltas na trama, bem como atuações dignas do elenco.

E por falar em atuações, o desempenho de Emilia Attías como Dolores é impressionante, sua interpretação é de tamanha elegância e ilustra uma mulher forte e que conseguiu se impor numa época predominantemente masculina, além de ser o oposto de Jack, seu antigo amor, frágil e que raramente tomava decisões difíceis. Essa postura firme e a personalidade forte fazem de Dolores uma das razões para acompanhar o filme de nome homônimo, de ótima produção e extremo bom gosto.

‘Dolores’ participou da Première Latina no Festival do Rio de 2016 e produzido pela produtora brasileira Angelisa Stein, da empresa Valkyria Filmes e a argentina Dar A Luz Cine, de Fernando Musa. A estreia no circuito nacional está prevista para 30 de março de 2017.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s