Terror psicológico com Jennifer Lawrence ganha primeiro teaser. Veja!

Terror psicológico com Jennifer Lawrence ganha primeiro teaser. Veja!

A Paramount Pictures acaba de lançar o primeiro teaser de ‘Mãe!’, terror psicológico dirigido por Darren Aronofsky e protagonizado por Jennifer Lawrence. O primeiro trailer será lançado em 8 de agosto.

A narrativa conta a história de um casal que passa a ter o relacionamento testado após a chegada de pessoas não convidadas e que acabam com a tranquilidade entre eles. O elenco conta com as atuações de Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Michelle Pfeiffer e Ed Harris.

 

 

O longa chega aos cinemas brasileiros em 21 de setembro de 2017.

Por: Cesar Augusto Mota

Anúncios
Galeria

Filmes para ver em Agosto no cinema

O mês de agosto traz boas atrações para as telas de cinema por todo o Brasil. Uma das mais esperadas é chegada de Planeta dos Macacos – A Guerra,  dirigido por Matt Reeves e considerado o que mais ombreia com o filme original de 1968. O terceiro filme da série iniciada em 2011 chega ao cinema nesta quinta, 3 de agosto.

Outro filme de destaque que estreou no final de julho é o longa Em Ritmo de Fuga. Conta elenco estrelado e badalado com as presenças das jovens estrelas Ansel Elgort (A Culpa É das Estrelas e Divergente) e Lily James (Cinderela), além dos consagrados Jamie Foxx e Kevin Spacey (House of Cards). Vamos conferir se o enredo do filme será tão bom quanto seu elenco.

Mesmo já tendo estreado, a produção Dunkirk, de Christopher Nolan, parece ser um dos grandes filme da temporada. O longa narra a história dos soldados das tropas aliadas que se encontraram cercados pelos nazistas na praia de Dunkirk, na França. Aos poucos, os soldados são evacuados, mas até lá, devem tentar sobreviver.

Poltrona Cabine: O Estranho que Nós Amamos/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: O Estranho que Nós Amamos/ Cesar Augusto Mota

As opiniões dos cinéfilos sempre ficam divididas quando é lançado um remake de um  grande sucesso. Alguns aprovam, outros questionam a qualidade do novo título, e o que veremos em breve certamente fará as rodas de debates bombarem. A premiada cineasta Sofia Coppola, de filmes consagrados como ‘Maria Antonieta’, ‘As Virgens Suicidas’ e ‘Encontros e Desencontros’, dirige a nova versão de ‘O Estranho que Nós Amamos’, protagonizado por Clint Eastwood e dirigido por Don Siegel na versão de 1971. Sofia promete dar um novo foco e sob o olhar feminino. Será que ela conseguirá ter êxito em sua abordagem?

A história se passa durante a Guerra Civil americana, no século XIX, entre os anos de 1861 e 1865. John McBurney (Colin Farrel), soldado da União, está gravemente ferido e encontra refúgio em uma escola para moças no sul Confederado, dirigida por Miss Martha (Nicole Kidman). O internato conta com as aulas da professora Edwina (Kirsten Dunst) e possui apenas cinco jovens que restaram por conta da devastação da guerra, e um dos destaques é Alicia (Elle Fanning). A presença do soldado em um local rodeado por mulheres nos faz lembrar de ‘As Virgens Suicidas’, filme no qual várias pessoas presas em um mesmo teto passam a se relacionar e ter um envolvimento emocional com alguém de fora.

Com o passar dos dias, nota-se uma maior aproximação e uma relação ainda mais próxima entre o homem e mulheres das mais diferentes idades e personalidades, e cada uma se sentindo atraída por ele, das mais diversas formas. As paisagens do Sul dos Estados Unidos retratadas no começo da trama passam a dar lugar a um ambiente de delírio, muitas intrigas, desespero e claustrofobia, que farão o espectador ficar impactado e se sentir mais envolvido com a história. Questões como o espírito cristão, a moral e os sentimentos reprimidos são bem trabalhados, e cada uma se acentua em momentos chaves da história.

A fotografia é impressionante, principalmente a retratada no ambiente interno, da escola para moças. No início do filme percebemos tons pasteurizados e suaves, enquanto na casa sentimos um ar mais intimista, com iluminação por velas e um ambiente mais sombrio e pesado. O som e a trilha sonora também se destacam, e contribuem para as mudanças bruscas que ocorrem na narrativa.

O roteiro aborda temas que se fazem ainda mais presentes no cotidiano, como o machismo, o empoderamento feminino e paixões proibidas, mas tudo acontece de maneira muito rápida, não dá tempo de o espectador respirar, pois uma ação já desencadeia outra, além de não trazer muitas surpresas e apresentar um desfecho bem previsível. A duração curta do filme, de pouco mais de uma hora e meia, contribui para tudo isso.

Não poderia esquecer das atuações, todas competentes, mas dou destaque maior para Colin Farrel, que foi a força-motriz da trama, Nicole Kidman, que apresentou uma personagem forte e com o forte desafio de lidar com a perda de um grande amor, miss Marta consegue segurar as pontas e vai ser a chave para os conflitos e a conclusão da história, além de Kirsten Dust, uma moça delicada, mas que foi capaz de amadurecer, porém com a missão de evitar que as jovens internas caiam nas armadilhas feitas pela vida.

Sofia Coppola fez um trabalho elogiável, inclusive o roteiro leva seu nome, ela é capaz de passar importantes mensagens, de que se pode dar importância aos outros, mas antes é necessário se importar consigo mesmo e que existe confiança, mas não de forma plena. O filme ilustrou um grupo forte de mulheres, com suas próprias crenças e regras, além de umas protegendo as outras, mas a questão do empoderamento feminino, como Sofia fez questão de explorar, poderia ter sido de uma forma mais acentuada, uma guerra de sexos, digamos assim, mas a produção é de alto nível e merece ser apreciada. Uma produção eficiente, mas que poderia oferecer e entregar muito mais ao espectador.

 

 

Por: Cesar Augusto Mota

Começam as filmagens de ‘Isn’t It Romantic?’, da New Line Cinema

Começam as filmagens de ‘Isn’t It Romantic?’, da New Line Cinema

As câmeras já estão trabalhando nas filmagens da nova comédia romântica da New Line Cinema Isn’t It Romantic?, ainda sem título em português, estrelada por Rebel Wilson (“Como Ser Solteira”, filmes “A Escolha Perfeita”), Liam Hemsworth (filmes “Jogos Vorazes”), Adam Devine (“Um Senhor Estagiário”, filmes “A Escolha Perfeita”) e Priyanka Chopra (série “Quantico”, “Baywatch: SOS Malibu”), sob a direção de Todd Strauss-Schulson (“Um Natal Muito Louco”, “Terror nos Bastidores”).

A arquiteta nova-iorquina Natalie se esforça para ser reconhecida em seu trabalho, mas é mais provável que lhe peçam para servir café e bolachinhas do que projetar o próximo arranha-céu da cidade. Para piorar as coisas, Natalie, sempre cética quando o assunto é amor, tem um encontro com um assaltante que a deixa inconsciente e, ao acordar, descobre que, de uma hora para a outra, sua vida se tornou seu pior pesadelo – uma comédia romântica – da qual ela é a protagonista.

Wilson estrela como Natalie, contracenando com Liam Hemsworth como Blake, um cliente atraente; Adam Devine, no papel de seu sincero melhor amigo, Josh; e Priyanka Chopra, como a instrutora de ioga Isabella.

Strauss-Schulson dirige o filme a partir do roteiro de Erin Cardillo, Dana Fox & Katie Silberman e Paula Pell. Todd Garner (“Segurança de Shopping”, “Tag”), Gina Matthews & Grant Scharbo (“De Repente 30”, “Do Que as Mulheres Gostam”) são os produtores, com Marty Ewing (“O Contador”, “It – A Coisa”) e Jeremy Stein (“No Olho do Tornado”) como produtores executivos. As filmagens estão acontecendo em Nova York e arredores.

Colaboram com Strauss-Schulson nos bastidores o diretor de fotografia Simon Duggan (“O Grande Gatsby”, “Até O Último Homem”), a designer de produção Sharon Seymour (“Argo”, “Atração Perigosa”), o editor Andrew Marcus (“Mesmo Se Nada Der Certo”, “Sing Street: Música e Sonho”) e a figurinista Leah Katznelson (“Como Ser Solteira”, “Dormindo com as Outras Pessoas”).

O filme tem estreia prevista para 21 fevereiro de 2019 no Brasil, e será distribuído pela Warner Bros. Pictures, uma empresa da Warner Bros. Entertainment.

Poltrona Cabine: Planeta dos Macacos: A Guerra/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: Planeta dos Macacos: A Guerra/ Cesar Augusto Mota

Que a franquia ‘Planeta dos Macacos’ é sinônimo de sucesso, isso não podemos negar. Adaptado do romance  La Planète des Singes, do escritor francês Pierre Boule, de 1963, surgiu o primeiro filme, em 1968, de Franklin J. Schaffner, e mais outros sucessos surgiram. Foram ‘Planeta dos Macacos’, de Tim Burton (2001), além de ‘Planeta dos Macacos: A Origem’ (2011), de Rupert Wyatt, e ‘Planeta dos Macacos: O Confronto’ (2014) de Matt Reeves. E o que dizer desse novo filme, também de Reeves, que está chegando ao circuito nacional e que encerra uma trilogia?

Em ‘Planeta dos Macacos: A Guerra’, da Fox Films, a raça humana passa a enfrentar uma grande ameaça, de um vírus que confere capacidade cognitiva a um grupo de macacos e faz o homem chegar ao seu estado primitivo e sem possibilidade de fazer comunicação verbal. Um grupo de homens, liderados pelo impiedoso Coronel, entendem que para salvar a espécie devem enfrentar o grupo de símios liderados por César e exterminá-los. Para César, é a chance de lutar pela salvação de sua família e também de sua raça.

Nota-se uma diferença abissal de comportamento em César em ‘O Confronto’ para ‘A Guerra’. No primeiro filme, ele se mostra bastante rebelde e inconsequente, no segundo é mais clemente e um tanto reservado, acumula ódio e lembranças da morte de Koba, seu arqui-inimigo. Mas isso não faz o público diminuir a empatia pelo personagem, brilhantemente interpretado por Andy Serkis, pois ele mostra um lado mais emocional e nos ajuda a compreender sua dor e seu sentimento de alívio em alguns momentos, além de mostrar uma postura corporal imponente e intimidante. Além de César, o Coronel, com a atuação de Woody Harrelson, também se destaca, por sua personalidade forte e implacável e movido por muita força e coragem na luta pela salvação da raça humana, indo até as últimas consequências.

A trama não traz apenas Coronel e César como as principais figuras, temos também o chimpanzé Rocket, o orangotango Maurice, o gorila Luca, além da garotinha Nova (Amiah Miller), que não fala, mas forma junto com eles uma espécie de exército e que vai lutar com todas as forças pela salvação e preservação dos símios. A interpretação de todos os que compõem esse núcleo, bem como os humanos, é de se reverenciar, e junto aos efeitos especiais empregados, deu um ar mais carregado e mais emoção nos confrontos, mesmo o foco do filme não ser a guerra em si.

As locações utilizadas, bem como a fotografia do filme, são impressionantes, com cenas rodadas em cenários com muito gelo e escuridão, e ambas conseguem refletir o sentimento de César, de semblante abatido, bastante retraído e tomado por raiva, mas capaz de mostrar misericórdia pelos humanos, como bem demonstra.

Se era esperado um filme com entretenimento e muita ação, não é o que acontece. A produção foca mais em desenvolver cada personagem, traçar um paralelo entre homens e macacos e procurar uma reflexão, sobre o que separa um do outro e levantar algumas virtudes, de os humanos terem facilidade em se adaptar a determinadas situações e os símios com maior chance de sobreviver a um cenário caótico. A narrativa é bem estruturada, mas é prejudicada na reta final da trama, por conta de sua lentidão, além de não entregar tudo aquilo que poderia. Mas faz um trabalho eficiente com todo o seu elenco, fotografia, montagem e trilha sonora de Michael Giacchino, de ótima qualidade.

Se peca em alguns elementos, ‘Planeta dos Macacos: A Guerra’ apresenta excelentes recursos técnicos, além de valorizar o legado de César. Uma trilogia que se encerra com gosto de quero mais.

 

 

Por: Cesar Augusto Mota

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 02

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 02

114392.jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxxO Reencontro: Comédia e Drama de Martin Provost.

Sinopse: Claire exerce sua profissão de parteira com muita paixão. Ela é conhecida por ser uma mulher séria e prudente, além de bastante solitária. Sua vida se transforma com a aparição inesperada de Béatrice, uma antiga amante de seu pai, em busca de ajuda para problemas pessoais. Claire hesita em ajudá-la a princípio, mas logo apoia a mulher extravagante, e descobre um modo de vida muito diferente do seu.

 

2591_capa.jpg

 

Esteros: Drama e Romance de Papu Curotto.

Sinopse: Matias e Jeronimo são dois grandes amigos que cresceram juntos em Paso de Los Libres, uma região simples e folclórica na Argentina. Durante sua adolescência, surgiu uma inesperada atração sexual entre os dois, que viveram os sentimentos com curiosidade. Mas a vida acabou separando seus destinos. Após anos afastados, eles lidam de maneiras totalmente distintas com as lembranças do passado. Mas, quando os dois se reencontram, o sentimento renascerá e se confrontará com todos os tipos de conflitos morais.

2622_capa

 

Monsieur e Madame Adelman: Comédia Dramática de Nicolas Bedos.

Sinopse: Por mais de 45 anos, Sarah e Victor estiveram juntos. Como eles conseguiram isso? Quem realmente é Sarah, essa mulher enigmática que sempre viveu na sombra do seu marido? Amor, ambição, traição e segredos alimentam a odisséia deste casal incomum.

 

2684_capa.jpgLove Film Festival: Romance de Manuela Dias, Vinicius Coimbra, Bruno Safadi, Juancho Cardona. Elenco – Leandra Leal, Manolo Cardona, Nanda Costa, Du Moscovis.

Sinopse: Luzia, uma roteirista brasileira, e Adrián, um ator colombiano, se conhecem e se apaixonam em meio a um festival de cinema. Uma história de amor que é desenvolvida em outros 5 encontros, todos eles em festivais de cinema ao redor do mundo. Nessa mistura de ficção e realidade, tudo é possível, e o casal revive clássicas cenas românticas de filmes.

Por: Vitor Arouca

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 1

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 1

285827.jpg-r_1382_2048-f_jpg-q_x-xxyxxDunkirk: Guerra de Christopher Nolan. Elenco – Tom Hardy, Cillian Murphy, Mark Rylance e Harry Styles.

Sinopse: Baseado na história real da Operação Dínamo, mais conhecida como a Evacuação de Dunquerque, operação militar que aconteceu no início da Segunda Guerra Mundial.

Resenha do Filme: https://poltronadecinema.wordpress.com/2017/07/26/poltrona-cabine-dunkirk-cesar-augusto-mota/

em-ritmo-de-fuga

 

Em Ritmo de Fuga: Ação e Comédia de Edgar Wright.

Sinopse: Baby é um rapaz mudo que precisa ouvir músicas o tempo todo para silenciar o zumbido que perturba seus ouvidos. Motorista de uma gangue de criminosos, ele cai na estrada em fuga após um assalto a banco não sair como planejado.

Resenha do Filme: https://poltronadecinema.wordpress.com/2017/07/17/poltrona-resenha-em-ritmo-de-fuga-cesar-augusto-mota/

 

Pôster_Como-Se-Tornar-Um-ConquistadorComo Se Tornar Um Conquistador: Comédia de ken Marino.

Sinopse: Um homem mulherengo é despejado pela namorada e se vê forçado a voltar a morar com a distante irmã e seu jovem filho, que aparentemente é problemático.

Resenha do Filme: https://poltronadecinema.wordpress.com/2017/07/18/poltrona-cabine-como-se-tornar-um-conquistador-cesar-augusto-mota/

 

7-desejos.jpg

 

7 Desejos: Terror de John Leonetti.

Sinopse: Clare Shannon é uma garota de 17 anos que está tentando sobreviver a vida de estudante, até que seu pai encontra uma antiga caixa de música e lhe dá de presente. O que a garota vem a descobrir é que a misteriosa caixa pode lhe conceder 7 desejos e com eles ela pode ter a chance de conquistar tudo o que quer. Porém, tudo tem um preço e ela vai aprender da pior maneira. Faça um desejo! Mas cuidado com o que você deseja, as consequências podem ser fatais.

Por: Vitor Arouca