Paterson lança novo cartaz nacional

Paterson lança novo cartaz nacional

Paterson é um motorista de ônibus da cidade de Paterson, Nova Jersey — eles têm o mesmo nome. Diariamente, o homem repete uma rotina simples: dirige sua rota, observando a cidade que se revela pela janela e ouvindo fragmentos de conversas que o rodeiam; escreve poesias em um caderno; passeia com o cachorro; para em um bar, bebe uma cerveja e, depois, volta para casa para encontrar a esposa, Laura. Ao contrário do marido, o mundo de Laura está sempre mudando. Ela tem novos sonhos todos os dias. Paterson apoia as ambições dela; ela encoraja o talento dele para a poesia. O filme observa silenciosamente as vitórias e derrotas da vida cotidiana, e a poesia que se evidencia nos pequenos detalhes.
Sobre o atorAdam Driver de 32 anos coleciona com este papel mais um marco em sua carreira já promissora, da série de TV “Girls” ao papel de vilão no último Star Wars, passando pela comédia independente americana (“Frances Ha” e “Enquanto Somos Jovens”).
 
Sobre o diretor: O cineasta Jim Jarmusch, de 63 anos, já foi selecionado diversas vezes para o Festival de Cannes, e foi premiado com um Prêmio do Júri em 2005 por “Flores Partidas”.
 
Sobre a atriza franco-iraniana de 28 anos, Golshifteh Farahani, estrelou “M For Mother”, filme escolhido para representar o Irã na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar de 2008. E, também interpretou uma enfermeira em “Rede de Mentiras”, contracenando com Leonardo DiCaprio e dirigida por Ridley Scott.
Festivais:
* Festival de Cannes
*Festival de Toronto
Anúncios
Filme Eduardo e Mônica estreia em 2017

Filme Eduardo e Mônica estreia em 2017

eduardo-e-monicaSeguindo os passos de Faroeste Caboclo, Eduardo e Mônica, música famosa da Legião Urbana, vai virar filme e estreará em 2017. O filme é dirigido por Renê Sampaio, o mesmo de Faroeste, que teve Isis Valverde como Maria Lucia, a protagonista.
O filme constará de uma série de homenagens aos 20 anos da morte do líder da banda, Renato Russo em outubro de 96. Haverá livros, tributos e outras formas de expressar a saudade de um dos maiores poetas da nossa música.

Não houve atrito entre Giuliano Manfredini, Dado Vila-Lobos e Marcelo Bonfá, já que há uma disputa pelo legado da banda. Giuliano disse que eles não têm a ver com a letra de Eduardo e Mônica pois é de autoria de Renato.

Eduardo e Mônica é uma música revolucionária numa época em que o rap não existia, e mesmo não tendo o ritmo, era uma história cantada de um casal muito diferente de tudo que acaba ficando junto. Anos depois, Renato repetiria a dose em Faroeste Caboclo, cuja música tem uma duração de quase sete minutos.

Para os fãs da Legião Urbana, há a expectativa da estreia do filme que vai arrebatar multidões. Uma operada de celular há pouco tempo já havia homenageado a banda ao colocar a música Eduardo e Mônica em um de seus comerciais e foi um grande sucesso.

Por Anna Barros

 

Filme colombiano é grande vencedor da Semana da Crítica no Festival de Veneza

Filme colombiano é grande vencedor da Semana da Crítica no Festival de Veneza

los-nadieLos Nadie, longa-metragem de estreia do diretor colombiano Juan Sebastián Mesa, é o grande vencedor da Semana da Crítica do Festival de Veneza 2016. Rodado em preto e branco e produzido com um orçamento declarado de 2 mil dólares, o filme acompanha cinco jovens do “enigmático e radical” movimento anarcopunk. Eles representam “uma geração de sonhadores desencantados que sentem que precisam abraçar o desconhecido e explora o mundo eles mesmos”, disse Mesa.

A premiação independente contemplou outro estreante: o diretor tunisiano Ala Eddine Slim foi lembrado pela parte técnica de The Last of Us, sobre a viagem de um imigrante africano pela Europa. Segundo os críticos, “a admirável fotografia de Amine Messadi” e a “contribuição decisiva de Moncef Taleb e Yazid Chabbi” no som representam “uma verdadeira alternativa à narração em um filme sem diálogos” e garantiram o prêmio para o filme tunisiano.

Amanhã, dia 10, saberemos, o grande vencedor do Leão de Ouro.

 

Turma da Mônica Jovem no cinema

Turma da Mônica Jovem no cinema

Desde 1959 a Turma da Mônica coleciona fãs. Suas histórias em quadrinhos foi o começo da diversão, depois passou para a televisão com o desenho animado, até chegar na era da Turma na juventude.

A Turma da Mônica adolescentes vai ganhar um filme para o final de 2018 com atores originais, de “carne e osso”. No filme a Turma ganhará um novo personagem, que também fará parte das histórias em quadrinhos daqui pra frente.

A direção do filme será de Daniel Rezende que vai estrear como diretor.

images

Por: Vitor Arouca

Começa hoje o 18º Festival de Cinema Brasileiro de Paris

Começa hoje o 18º Festival de Cinema Brasileiro de Paris

376893Do dia 5 ao dia 12 deste mês de abril, acontecerá o 18º Festival de Cinema Brasileiro de Paris, que vai exibir os mais recentes filmes nacionais e ainda vai falar sobre literatura, música e outros diferenciados tipos de arte, além de realizar uma votação para escolher o melhor longa.

Entre os 20 filmes apresentados, ‘Nise, o Coração da Loucura’, dirigido por Roberto Berliner e estrelado por Glória Pires, abrirá o Festival, enquanto ‘Tudo Que Aprendemos Juntos’ irá encerrar. O evento exibirá filmes inéditos e também prestará uma homenagem ao cineasta Eduardo Coutinho, que faleceu em
2014.

O Festival, que acontece no cinema l’Alerquim, terá um show de Teresa Cristina relendo Cartola junto ao violinista Carlinhos Sete Cordas e do cantor e compositor Criolo.

Confira a lista completa:

Ficção
– Nise, o Coração da Loucura, de Roberto Berliner – Apresentado pelo diretor Roberto Berliner e
pela atriz Gloria Pires;
– Tudo que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado – Apresentado pelo ator e cantor Criolo;
– Amores Urbanos, de Vera Egito – Debate com a diretora Vera Egito e o ator Thiago
Pethit e a atriz Maria Laura Nogueira;
– Aspirantes, de Ives Rosenfeld – Debate com o diretor Ives Rosenfeld, a atriz Julia Bernat e a
produtora Tati Leite;
– Boi Neon, de Gabriel Mascaro
– Campo Grande, de Sandra Kogut – Debate com a diretora Sandra Kogut e a atriz Julia Bernat;
– Jonas, de Lô Politi – Debate com a diretora Lô Politi;
– Mundo Cão, de Marcos Jorge – Debate com o diretor Marcos Jorge e a produtora Claudia da
Natividade;
– O Olmo e a Gaivota, de Petra Costa
– Órfãos do Eldorado, de Guilherme Coelho – Debate com o diretor Guilherme Coelho e o
escritor Milton Hatoum;
– Vidas Partidas, de Marcos Schechtman – Debate com o diretor Marcos Schertman e a produtora e
atriz Naura Scheinder;
– Estive em Lisboa e Lembrei de Você, de José Barahona – Debate com o diretor José
Barahona, o escritor Luiz Ruffato, a produtora Carolina Dias e os atores Paulo Azevedo, Renata
Ferraz e Rodrigo Almeida (lançamento da edição francesa do livro Estive em Lisboa e lembrei de você);
– Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, de Marcelo Gomes e Karim Aïnouz – Debate com o
diretor Karim Ainouz (lançamento do dvd);

Documentário
– Arpoador, Praia e Democracia, de Hamsa Wood e Helio Pitanga – Debate com o diretor Helio
Pitanga e a produtora Marcia Rocha;
– Betinho, a Esperança Equilibrista, de Victor Lopes – Debate com o diretor Victor
Lopes;
– Últimas Conversas, de Eduardo Coutinho – Debate com a diretora e montadora Jordana Berg e os diretors Marie-Clémence Paes, César Paes e Sandra Kogut, em homenagem ao grande cineasta;
– A Loucura Entre Nós, de Fernanda Fontes Vareille – Debate com a diretora e a equipe do filme;
– Noir Brésil, de Angèle Berland – Debate com a diretora Angèle Berland;

Público jovem
– As Aventuras do Pequeno Colombo, de Rodrigo Gava e Eduardo Campos – Debate com o produtor Marco Altberg;
– A Família Dionti, de Alan Minas – Debate com o diretor Alan Minas.

Por Lívia Lima

Bryan Cranston e Kevin Hart estão cotados para remake de Os Intocáveis

Bryan Cranston e Kevin Hart estão cotados para remake de Os Intocáveis

bryan_cranston_kevin_hart_split.jpgO ator de Breaking Bad e o famoso comediante estão em negociações para atuar no remake do sucesso Os Intocáveis.

O filme original, estrelado por Francois Cluzet e Omar Sy, conta a história da inusitada amizade entre um milionário deficiente que só possui os movimentos da face e um homem desempregado da periferia que acaba sendo contratado para trabalhar como seu cuidador.

O filme de 2011 custou cerca de 12 milhões e obteve um lucro de aproximadamente 430 milhões no mundo todo. Logo após, a The Weinstein Co.’s comprou os direitos para o remake.

Simon Curtis será o diretor e o roteiro será feito por Paul Feig. Cranston foi  indicado ao último Oscar por sua atuação no filme Trumpo e Hart estrelou Policial em Apuros 2.

Por Lívia Lima

Recorde de bilheterias na estreia no Brasil: Batman vs Superman

Recorde de bilheterias na estreia no Brasil: Batman vs Superman

“Batman vs Superman – A Origem da Justiça” quebrou o recorde de bilheterias de estreias de filme aqui no Brasil.

Duas milhões e quatrocentas mil  pessoas assistiram à película no final de semana, superando “Velozes e Furiosos 7” que era o recordista.

Em homenagem aos dois recordistas de bilheterias, vou colocar os trailers dos filmes e as sinopses. Se for para escolher um dos dois filmes para assistir, eu escolheria o “Batman vs Superman”.

Batman vs Superman: O confronto entre Superman e Zod  em Metrópolis fez com que a população mundial se dividisse acerca da existência de extra-terrestres na Terra. Enquanto muitos consideram o Superman como um novo Deus, há aqueles que consideram extremamente perigoso que haja um ser tão poderoso, sem qualquer tipo de controle. Bruce Wayne é um dos que acreditam nesta segunda hipótese. Sob o manto de um Batman violento e obcecado, ele investiga o laboratório de Lex Luthor, que descobriu uma pedra verde que consegue eliminar e enfraquecer os filhos de Krypton.

Velozes e Furiosos 7: Após os acontecimentos em Londres, Dom, Brian, Letty e o resto da equipe tiveram a chance de voltar para os Estados Unidos e recomeçarem suas vidas. Mas a tranquilidade do grupo é destruída quando Deckard Shaw, um assassino profissional, quer vingança pela morte de seu irmão. Agora, a equipe tem que se reunir para impedir este novo vilão. Mas dessa vez, não é só sobre ser veloz. A luta é pela sobrevivência.

Por: Vitor Arouca