Saíram as indicações ao Emmy 2019

Saíram as indicações ao Emmy 2019

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE CÔMICA

MELHOR MINISSÉRIE

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE CÔMICA

MELHOR ROTEIRO EM SÉRIE CÔMICA

MELHOR DIREÇÃO EM SÉRIE CÔMICA

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE CÔMICA

MELHOR ATOR EM SÉRIE CÔMICA

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

MELHOR ROTEIRO PARA MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

MELHOR FILME PARA TV

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA

MELHOR REALITY SHOW DE COMPETIÇÃO

MELHOR MINISSÉRIE

MELHOR SÉRIE CÔMICA

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA

MELHOR ANIMAÇÃO

MELHOR CURTA ANIMADO PARA TV

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO PARA SÉRIE CONTEMPORÂNEA

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO PARA SÉRIE DE ÉPOCA OU FANTASIA

MELHOR ELENCO DE SÉRIE DE COMÉDIA

MELHOR ELENCO DE SÉRIE DE DRAMA

MELHOR ELENCO DE SÉRIE LIMITADA OU FILME PARA TV

MELHOR FIGURINO DE ÉPOCA

MELHOR FIGURINO DE FANTASIA OU FICÇÃO CIENTÍFICA

MELHOR DIREÇÃO EM SÉRIE LIMITADA OU FILME PARA A TV

MELHOR MÚSICA DE ABERTURA

MELHOR EDIÇÃO DE SÉRIE DE DRAMA

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE LIMITADA OU FILME PARA A TV

MELHOR ATOR CONVIDADO EM SÉRIE DE COMÉDIA

MELHOR ATOR CONVIDADO EM SÉRIE DE DRAMA

MELHOR ATRIZ CONVIDADA EM SÉRIE DE COMÉDIA

MELHOR ATRIZ CONVIDADA EM SÉRIE DE DRAMA

MELHOR DOCUMENTÁRIO

MELHORES EFEITOS VISUAIS

MELHOR ROTEIRO DE SÉRIE DE DRAMA

‘Anna – O Perigo Tem Nome’ ganha pôster oficial e nova data de estreia

‘Anna – O Perigo Tem Nome’ ganha pôster oficial e nova data de estreia

DIRIGIDO POR LUC BESSON, FILME TEM ESTREIA ANTECIPADA NOS CINEMAS

Depois de “Nikita – Criada Para Matar” e “Lucy”, dois sucessos de ação protagonizados pelas atrizes Anne Parillaud e Scarlett Johansson, respectivamente, o novo longa dirigido pelo francês Luc Besson – “Anna – O Perigo Tem Nome” -, aposta novamente no protagonismo feminino e traz à cena a atriz e modelo russa Sasha Luss, como Anna Poliatova. Com distribuição nacional Paris Filmes, a produção teve sua estreia antecipada e chegará aos cinemas brasileiros dia 15 de agosto. Para o lançamento, a distribuidora divulga o pôster oficial, com o elenco principal sob a mira de uma arma destacando a nova musa de Besson, a talentosa Sasha Luss e outras duas artes teaser.

Tão encantadora quanto letal, Anna se transforma numa assassina temida e requisitada em várias partes do mundo. Sua força e sua frieza são potencializadas a cada evento, e uma corrida eletrizante com surpreendentes cenas de ação dão o tom da produção. O elenco também reúne a vencedora do Oscar Helen Mirren, além de Cillian Murphy e Luke Evans.

Sinopse – Anna – O Perigo Tem Nome

Por trás da beleza marcante de Anna Poliatova há um segredo que irá expor sua indestrutível força e habilidade para se tornar uma das assassinas mais temidas do mundo. Uma eletrizante e emocionante viagem repleta de energia, reviravoltas surpreendentes e ação de tirar o fôlego. ANNA apresenta Sasha Luss na personagem que dá nome ao filme e traz um elenco com várias estrelas, incluindo a vencedora do Oscar Helen Mirren, Cillian Murphy e Luke Evans.

 

Acompanhe as novidades sobre esse e outros lançamentos por meio das redes sociais:

facebook.com/ParisFilmesBR
instagram.com/ParisFilmes
youtube.com/ParisFilmes

Big little lies está com um tom diferente na segunda temporada

Big little lies está com um tom diferente na segunda temporada

A segunda temporada de “Big Little Lies” já está indo ao ar na programação da HBO há cinco semanas e, faltando dois episódios para terminar o ciclo, a sensação geral é de que o novo ano do seriado ficou muito abaixo das expectativas da emissora e do público perto do impacto explosivo dos primeiros sete episódios em 2017. Além da decisão de converter a minissérie em série não ter rendido o resultado esperado, a recepção dos cinco episódios iniciais foi fria, apoiado muito mais na expectativa de ver o elenco estelar da produção contracenando que de saber os efeitos da morte que era o principal mistério da temporada inicial.

Uma nova reportagem da IndieWire, porém, mostra que os problemas desta segunda incursão da série começaram antes do lançamentos dos episódios e aconteceram de fato nos bastidores. Bastidores que mais exatamente envolvem a decisão criativa crucial da temporada de aproveitar a conversão de formato e substituir o canadense Jean-Marc Vallée pela britânica Andrea Arnold na direção: embora a troca tenha sido feita para oferecer um novo olhar à história e suas personagens, erros de má comunicação resultaram na situação lamentável de Arnold ficar de fora do comando dos episódios na pós-produção e Vallée voltar a assumir a série para manter intocado o seu estilo visual.

De acordo com o site, a questão que descambou este processo todo foi uma falta de alinhamento entre o que a produção comandada pelo showrunner David E. Kelley queria e o que foi proposto a Arnold no momento de sua contratação. Embora tenha sido dito à diretora que ela teria todo o controle criativo para filmar a história do segundo ano, o desejo real de Kelley e outros produtores é de que ela se adequasse ao estilo proposto por Vallée na primeira temporada, que voltaria de qualquer forma ao núcleo criativo do seriado na pós-produção após concluir seus trabalhos com a adaptação de “Objetos Cortantes” para a emissora.

O problema é que a cineasta nunca chegou a ser avisada desta dinâmica e portanto tocou a produção buscando exatamente o que havia sido pedido: um olhar diferente. De acordo com fontes internas no estúdio, Arnold buscou aplicar na filmagem dos episódios o seu estilo mais “cru” e pautado no uso de câmera na mão que definiu seus trabalhos no cinema, uma medida que se por um lado agradou o elenco (que elogiou seu comando nas redes sociais após a conclusão das filmagens) tornou mais problemática o objetivo de Kelley em “unir os estilos” de ambos os criativos – e não ajudou muito a diretora fazer suas próprias escolhas de equipe, incluindo colocar Jim Frohna na direção de fotografia da temporada. Além do showrunner sequer visitar o set, Vallée e Arnold nunca chegaram a se reunir antes ou durante o processo de produção para definir o “tom” pedido pela HBO.

O caldo começou a entornar de vez depois que Arnold seguiu o planejamento e moveu a pós-produção de Montreal para Londres, quando Kelley e a HBO perceberam que precisariam intervir. Mesmo antes da diretora terminar de montar o primeiro episódio da temporada, Vallée começou a trabalhar na edição dos sete episódios no Canadá e marcou 17 dias de refilmagens. Arnold até chegou a comparecer ao set para trabalhar na produção das cenas necessárias, mas a partir daí Vallée já estava passando por cima de suas decisões criativas e ditando o que seria feito.

O mais bizarro é que pelo visto esta tomada de comando pode ser acompanhada dentro da estrutura da temporada: enquanto os primeiros episódios carregam a maior parte das cenas dirigidas por Arnold (embora totalmente picotadas), os últimos já são quase inteiros de Vallée. No momento, onze profissionais são creditados com a montagem do segundo ano de “Big Little Lies”.

O sétimo e último episódio da atual temporada da série será exibido na HBO no próximo dia 21 de julho.

Playmobil® chega aos cinemas em setembro e ganha novo trailer dublado

Playmobil® chega aos cinemas em setembro e ganha novo trailer dublado

HUMOR E AÇÃO RECHEIAM TRAMA DIRIGIDA POR LINO DISALVO

O universo imaginário no primeiro longa-metragem inspirado na marca de brinquedos Playmobil® chega aos cinemas brasileiros dia 12 de setembro em “Playmobil– O Filme”. Escolhida para abrir a edição 2019 do Festival de Cinema de Animação de Annecy, maior festival de animação do mundo, a produção tem novo trailer recém-revelado.

Com distribuição nacional Paris Filmes, a animação dirigida por Lino DiSalvo leva o público a uma jornada épica embalada por humor e ação e uma combinação de personagens cativantes em paisagens deslumbrantes.

Nesta produção original, o enredo explora a relação dos irmãos Marla e Charlie. Quando seu irmão mais novo, Charlie, inesperadamente desaparece no universo mágico e animado de Playmobil®, Marla deve embarcar na maior aventura de sua vida para trazê-lo de volta para casa. Enquanto se aventura numa fantástica jornada por incríveis novos mundos, Marla encontra amigos corajosos e inesperados: o caminhoneiro Del, o agente secreto e carismático Rex Dasher, um robô rebelde, uma fada madrinha extravagante e muitos outros.

Nesta vibrante aventura, Marla e Charlie percebem que não importa onde a vida os leve. É possível conseguir qualquer coisa quando se acredita em si mesmo.

Antigo colaborador da Disney Animation, Lino DiSalvo assina em “Playmobil – O Filme” seu primeiro trabalho como diretor e roteirista. Em sua carreira, DiSalvo contabiliza projetos de sucesso internacional como chefe da equipe de animadores, supervisor de animação e animador, em “Frozen – Uma Aventura Congelante”, “Enrolados”, “Bolt – Supercão”, “O Galinho Chicken Little”, entre outros. Além dele, Greg Erb, Blaise Hemingway e Jason Oremland também assinam o roteiro desta animação.

Acompanhe as novidades do lançamento por meio das redes sociais:
Facebook: https://www.facebook.com/PlaymobilOFilme/
Instagram: https://www.instagram.com/playmobilofilmebr/
Youtube: http://www.youtube.com/ParisFilmes

O Homem Cordial é selecionado para o Festival de Gramado

O Homem Cordial é selecionado para o Festival de Gramado

Dirigido por Iberê Carvalho, que também assina o roteiro ao lado do uruguaio Pablo Stoll (Wisky, 2003), O HOMEM CORDIAL fará sua estreia nos cinemas brasileiros no 47º Festival de Cinema de Gramado, para o qual foi selecionado na mostra competitiva.

O longa é um thriller psicológico, no qual o afloramento de uma onda de ódio e intolerância é visto a partir do ponto de vista de Aurélio (Paulo Miklos), um homem de 60 anos, branco, rico e heterossexual, que de sua posição social privilegiada se vê perdido e impotente, sem saber como reagir a essa realidade que se apresenta.

A ideia inicial para o roteiro surgiu em 2015, quando Carvalho começou a se incomodar com a crescente onda de polarização no país. A partir disso, passou a pesquisar o tema e se deparou com o vídeo de um garoto de dez anos sendo linchado numa manifestação pró impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. “A reação e o ódio das pessoas que o cercaram me chocaram tremendamente e me perguntei o que eu faria se estivesse ali. Foi daí que surgiu a premissa inicial do argumento de O HOMEM CORDIAL”, recorda Carvalho. Depois, o corroteirista Pablo Stoll se uniu ao projeto, chegando ao roteiro final do longa.

“À época, o Brasil vivia o início de uma polarização política, mas que não se expressava de forma tão violenta e extremista como hoje. Quando filmamos, em meados de 2018, na véspera da eleição, o clima já era outro e esse novo cenário foi incorporado ao universo do filme. Mesmo assim, em setembro de 2018, quando a montadora Nina Galanternick assistiu ao material bruto, ela temeu que as cenas estivessem um pouco exageradas no tom e no seu desenrolar. Três meses depois, ela me confessou que sua percepção sobre as cenas havia mudado completamente, que agora elas lhe pareciam até suaves perto dos episódios de intolerância e violência que vinham acontecendo no Brasil”, conta o diretor. “Estamos vivendo um momento tão estranho e revelador de nossa sociedade que é impossível qualquer ficção ter a pretensão de acompanhar a realidade”, completa.

Para o protagonista, Carvalho precisava de um ator que tivesse carisma e ao mesmo tempo agressividade, que tivesse quase 60 anos, mas com espírito jovem, e logo que o personagem principal, Aurélio, foi desenhado, pensou em Paulo Miklos. “Ele era perfeito para o papel. Claro que o fato de sua experiência em uma das maiores bandas de rock do Brasil era um fator excepcional, já que o roteiro previa uma cena de show, mas a escolha foi principalmente por seu trabalho em O Invasor, que é umas das referências estéticas do filme”.

O diretor conta que foi um privilégio trabalhar com Miklos, que já possui 20 anos de experiência como ator, e que o ponto principal foi buscar as divergências entre o personagem e o intérprete, já que as convergências eram nítidas e poderiam se tornar uma armadilha no processo. “O trabalho de preparação de elenco da Amanda Gabriel (Aquarius, Bacurau) foi fundamental para encontrar uma unidade entre todo o elenco”.

Trabalhando ao lado dos produtores de elenco Guilherme Angelim e Alice Wolfenson, os demais personagens foram ganhando seus intérpretes. “Thaíde foi das apostas que fiz que mais me orgulho. Uma potência incrível diante da tela. Dandara de Morais eu tinha visto em Ventos de Agosto, do Gabriel Mascaro, e quando a conheci pessoalmente surgiu uma vontade de trabalhar junto”, conta Carvalho.  O filme conta, ainda, com atores e atrizes de Brasília e paulistas no elenco, como Thalles Cabral (Yonlu), Bruno Torres (Somos Tão Jovens), Theo Werneck (Que Horas Ela Volta), Murilo Grossi (Linha de Passe, Batismo de Sangue), Fernanda Rocha ( O Último Cine Drive-in), Felipe Kenji (Boas Maneiras) e com a participação da rapper Mc Sofia.

A cidade de São Paulo, onde O HOMEM CORDIAL foi rodado, também é uma personagem do filme. A opção do diretor pela capital foi devido ao cenário urbano de uma grande metrópole que simboliza o desenvolvimento. Incorporá-la ao longa pelo olhar ‘estrangeiro’ foi um desafio, “mas conseguimos trazer um olhar fresco da cidade”, finaliza.

O longa tem fotografia de Pablo Baião, vencedor do Kikito de Melhor Fotografia no último Festival de Gramado por Simonal, e Maíra Carvalho, ganhadora do Kikito de Melhor Direção de Arte em 2015 por O Último Cine Drive-in, assina a arte.

Com montagem de Nina Galanternick, som de Daniel Turini, Fernando Henna e Henrique Chiurciu, som direto de Marcos Manna, figurino de Eduardo Barón e Vinicius Couto e maquiagem por Vanessa Barone, O HOMEM CORDIAL é produzido por Maíra Carvalho, Rodrigo Sarti Werthein, Rune Tavares e Iberê Carvalho, numa coprodução Quartinho Direções Artísticas, Acere, Momento Filmes e Pavirada Filmes. A distribuição nacional é da O2 Play e a representação internacional da Media Luna Films.

SINOPSE 
Aurélio é vocalista de uma famosa banda de rock que fez muito sucesso até o final dos anos 90. Na noite de retorno de sua banda aos palcos, viraliza na internet um vídeo que o envolve na morte de um policial militar.  Ninguém sabe o que de fato aconteceu, mas o astro passa a ser alvo de grupos radicais. Aurélio, então, se vê inserido em uma tensa e violenta jornada pelas ruas de São Paulo. Durante uma única noite, encontrará figuras importantes de sua carreira e Helena, uma jovem jornalista determinada a descobrir o que realmente aconteceu.

FICHA TÉCNICA 
Direção: Iberê Carvalho
Roteiro: Pablo Stoll e Iberê Carvalho
Produção: Quartinho Direções Artísticas, Pavirada Filmes, Acere e Momento Filmes
Produtores: Maíra Carvalho, Rodrigo Sarti Werthein, Rune Tavares e Iberê Carvalho
Produção Executiva: Rune Tavares, Camila Ciolim e Rodrigo Sarti Werthein
Fotografia: Pablo Baião
Direção de Arte: Maíra Carvalho
Som: Daniel Turini, Fernando Henna e Henrique Chiurciu
Montagem: Nina Galanternick
Som direto: Marcos Manna
Figurino: Eduardo Barón e Vinicius Couto
Maquiagem: Vanessa Barone
Elenco: Paulo Miklos, Thaíde, Dandara de Morais, Thalles Cabral, Theo Werneck, Fernanda Rocha, Bruno Torres, Murilo Grossi, Mauro Shames, Felipe Kenji, Tamirys O’Hanna e André Deca
País: Brasil
Ano: 2019
Duração: 83 min.

SOBRE O DIRETOR 

“O Homem Cordial” é o segundo longa-metragem do premiado diretor Iberê Carvalho. “O Último Cine Drive-in” (2015) foi eleito melhor filme brasileiro do ano pela Folha de São Paulo. Entre outros, recebeu os prêmios de Melhor Filme no 18º Punta del Este International Film Festival, Prêmio da Crítica de Melhor Filme no 43º Festival Internacional de Gramado, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Direção de Arte. Melhor Filme pelo Público do Festival Cine Las Americas, no Texas. Também participou dos festivais de Chicago, Beijing e Marselle. Como curta-metragista recebeu o prêmio de Melhor Curta no 31º Festival del Nuevo Cine Latinoamericano de Havana e o prêmio Cartoon Network de melhor Curta Infantil no Prix Jeunesse Latino-Americano.

 

 

Por Anna Barros

Paramount Pictures libera novo cartaz do live-action ‘Dora e a Cidade Perdida’

Paramount Pictures libera novo cartaz do live-action ‘Dora e a Cidade Perdida’

Filme em parceria com a Nickelodeon chega aos cinemas em 07 de novembro

O live-action ‘Dora e a Cidade Perdida’ (DORA AND THE LOST CITY OF GOLD), que estreia em 07 de novembro no Brasil, acaba de ganhar novo cartaz. Na imagem, Dora (Isabela Moner) lidera sua nova ‘gangue’ de aventuras pela selva.
Baseado na animação “Dora, a Aventureira” – uma das séries mais populares da Nickelodeon – o filme é dirigido por James Bobin, e traz ainda no elenco Eva Longoria, Michael Peña, Jeff Wahlberg e Eugenio Derbez. O longa é uma distribuição do selo Paramount Players, divisão da Paramount Pictures que produzirá conteúdo destinado a audiências mais jovens em conjunto com outras marcas emblemáticas do Grupo Viacom.
Lançada em 2000 e apresentada na Nickelodeon, Nick Jr. e na CBS, a série original “Dora, a Aventureira” acompanhava as aventuras de uma menina de origem latina, de sete anos de idade, que viaja por um mundo fantasioso com a ajuda de uma mochila falante, um mapa antropomórfico e seu melhor amigo, um pequeno macaco chamado Botas.
SINOPSE
Tendo passado a maior parte de sua vida explorando a floresta com seus pais, nada poderia preparar Dora (Isabela Moner) para a aventura mais perigosa de todos os tempos – o ensino médio. A aventureira Dora rapidamente se vê liderando o macaco Botas (seu melhor amigo), o primo Diego (Jeff Wahlberg), um misterioso habitante da selva (Eugenio Derbez), seus pais (Eva Longoria, Michael Peña) e um grupo de adolescentes em uma aventura para resolver um mistério impossível por trás de uma cidade perdida de ouro.
TRAILER
Sobre a Paramount Pictures Corporation
A Paramount Pictures Corporation (PPC), uma importante produtora e distribuidora global de entretenimento filmado, é uma unidade da Viacom (NASDAQ: VIAB, VIA), casa de marcas globais famosas que cria emocionantes programas de televisão, filmes de longa-metragem, conteúdo de curta-metragem, apps, jogos, produtos de consumo, experiências nas mídias sociais e outros conteúdos de entretenimento para audiências de mais de 180 países.

 

Trailer e Cartaz de Vai que Cola 2 são lançados

Trailer e Cartaz de Vai que Cola 2 são lançados

Trailer e cartaz de ‘Vai Que Cola 2 – O Começo’ dão um gostinho da nova história

COM ESTREIA EM 12 DE SETEMBRO, FILME É DIRIGIDO POR CÉSAR RODRIGUES E CONTA AS ORIGENS DA PENSÃO DA DONA JÔ
Acabam de ser divulgados o cartaz e o trailer de “Vai Que Cola 2 – O Começo”. Eles  revelam um pouco da história de como a turma mais famosa do Méier se conheceu. O longa se passa num ponto anterior ao primeiro filme da franquia e à série de TV do Multishow. A casa de Dona Jô (Catarina Abdalla) não era pensão e ela vivia sozinha com Jéssica (Samantha Schmütz), uma adolescente em fase de prestar vestibular. Já Ferdinando (Marcus Majella) e Máicol (Emiliano d’Avila) ainda sonhavam em vir morar no Rio. Enquanto Terezinha (Cacau Protásio) morava no Morro do Cerol com seu amado Tiziu. A divertida história já tem data para chegar nas telonas: dia 12 de setembro.

Para assistir ao trailer, clique aqui: https://youtu.be/BbRfFeAUYv8

Para fazer download do cartaz e de imagens, clique aqui: https://bit.ly/30qlJVC

Neste segundo filme, o público vai matar a curiosidade e conhecer a figura de Tiziu (Fábio Lago), grande amor da vida de Terezinha, que nunca foi revelada anteriormente. O grupo todo se encontra, justamente, em uma feijoada que Terezinha organiza para o bicheiro. Estão também no elenco do filme Fiorella Mattheis, Silvio Guindane, Érico Brás, Alice Morena, Paulinho Serra, Mary Sheyla, Sergio Mallandro e Marcelo Medici.

O longa é uma coprodução Conspiração Filmes, A Fábrica, Universal Pictures International e Globo Filmes e a responsável pela distribuição é a H2O Films. O longa é derivado da série “Vai Que Cola”, exibida pela Multishow, que completa sete temporadas no ar e, no segundo semestre deste ano, ganha uma nova temporada com episódios inéditos.

Sinopse

Antes de Dona Jô ter uma pensão. Antes de Jéssica conhecer Máicol. Assim que Ferdinando desembarcou ao Rio e quando Terezinha ainda vivia com Tiziu… era uma vez “Vai Que Cola 2 – O Começo”. O novo longa da franquia que nasceu como série no Multishow e ganhou as telas dos cinemas reúne toda a turma do Méier para contar como tudo começou. Uma feijoada no Morro do Cerol põe juntos pela primeira vez os personagens que conquistaram o público na TV e no cinema.

Lançamento: 12 de setembro

Elenco

Samantha Schmütz– Jéssica

Marcus Majella – Ferdinando

Cacau Protásio – Terezinha

Emiliano d’Avila – Máicol

Catarina Abdalla – Dona Jô

Fiorella Mattheis – Velna

Silvio Guindane – Lacraia

Érico Brás – Afânio

Alice Morena – Shirley

Paulinho Serra – Zélio

Mary Sheyla – Neusa

Sergio Mallandro – príncipe

*Participação especial*

Marcelo Medici – Sanderson

Fábio Lago – Tiziu

Equipe técnica

Coprodução: Conspiração, A Fábrica, Universal Pictures International e Globo Filmes

Distribuição: H2O Films

História: Luiz Noronha, Renato Fagundes e João Paulo Horta

Roteiro: Renato Fagundes, João Paulo Horta e Leandro Soares

Direção de fotografia: André Horta

Direção de arte: André Weller

Figurinos: Carol Li

Caracterização: Uirandê Holanda

Montagem: Eduardo Hartung, Danilo Lemos, Well Dutra

Supervisão de Imagem: Sergio Pasqualino

Música: Lucas Marcier

Som Direto: Frederico Massine

Mixagem: Rodrigo Noronha e Gustavo Loureiro

Edição de Som: Tomás Alem e Bernardo Uzeda

Supervisão de efeitos visuais: Claudio Peralta

Produção de elenco: Vanessa Veiga

Supervisão de pós-produção: Adriana Basbaum

Coordenação de Pós-Produção: Thiago Silva

Coordenação de lançamento: Paula Lima

Coordenação de produção executiva: Milla Monteiro

Produtora delegada: Adriana König

Produtor Associado: Carlos Diegues

Coprodutoras executivas: Clarisse Goulart e Tânia Pacheco

Produtores Executivos: Cecilia Grosso e Gustavo Baldoni

Produzido por: Pedro Buarque de Hollanda e Luiz Noronha

Dirigido por: César Rodrigues