American Gods: Série sobre novos e antigos deuses ganha data de estreia no Brasil

American Gods: Série sobre novos e antigos deuses ganha data de estreia no Brasil

Depois de algumas especulações, finalmente foi confirmada a data de estreia da nova série ‘American Gods’ no Brasil e resto do mundo: 30 de abril e 1 de maio, respectivamente.

A produção será exibida por meio da Amazon Prime Video e contará inicialmente com 10 episódios. Com produção de Bryan Fuller (Hannibal) e Michael Green, a história nos mostra dois grupos, de deuses e criaturas mitológicas, que são alimentados pelas crenças do povo. Mas com o advento de tecnologias mais avançadas e dos cultos a novos ídolos como cantores, atores, modelos e atletas, os velhos deuses temem perder ainda mais espaço e até mesmo desaparecerem frente a essas novas celebridades.

O elenco terá as participações de Ian McShane, Ricky Whittle, Emily Browning, Orlando Jones, Crispin Glover, Pablo Schreiber e Gillian Anderson.

 

 

Por: Cesar Augusto Mota

Giovanna Antonelli dubla a personagem Janice em O Poderoso Chefinho

Giovanna Antonelli dubla a personagem Janice em O Poderoso Chefinho

O Poderoso Chefinho é uma história universal hilária sobre como a chegada de um novo bebê impacta a família, contada do ponto de vista de um narrador deliciosamente confiável, Tim, um garoto de sete anos com uma imaginação vívida. Com uma mensagem que aquece o coração sobre a importância da família.

 

A atriz Giovanna Antonelli, que iniciou sua carreira aos 15 anos e que já participou de diversas novelas, empresta a voz à mãe do poderoso chefinho – Janice, que na versão internacional conta com a voz de Lisa Kudrow. A animação conta também com as vozes de Alec Baldwin, Steve Buscemi, Jimmy Kimmel, Lisa Kudrow, Patton Oswalt, Miles Bakshi.

 

O Poderoso Chefinho estreia no dia 30 de março.

Paterson lança novo cartaz nacional

Paterson lança novo cartaz nacional

Paterson é um motorista de ônibus da cidade de Paterson, Nova Jersey — eles têm o mesmo nome. Diariamente, o homem repete uma rotina simples: dirige sua rota, observando a cidade que se revela pela janela e ouvindo fragmentos de conversas que o rodeiam; escreve poesias em um caderno; passeia com o cachorro; para em um bar, bebe uma cerveja e, depois, volta para casa para encontrar a esposa, Laura. Ao contrário do marido, o mundo de Laura está sempre mudando. Ela tem novos sonhos todos os dias. Paterson apoia as ambições dela; ela encoraja o talento dele para a poesia. O filme observa silenciosamente as vitórias e derrotas da vida cotidiana, e a poesia que se evidencia nos pequenos detalhes.
Sobre o atorAdam Driver de 32 anos coleciona com este papel mais um marco em sua carreira já promissora, da série de TV “Girls” ao papel de vilão no último Star Wars, passando pela comédia independente americana (“Frances Ha” e “Enquanto Somos Jovens”).
 
Sobre o diretor: O cineasta Jim Jarmusch, de 63 anos, já foi selecionado diversas vezes para o Festival de Cannes, e foi premiado com um Prêmio do Júri em 2005 por “Flores Partidas”.
 
Sobre a atriza franco-iraniana de 28 anos, Golshifteh Farahani, estrelou “M For Mother”, filme escolhido para representar o Irã na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar de 2008. E, também interpretou uma enfermeira em “Rede de Mentiras”, contracenando com Leonardo DiCaprio e dirigida por Ridley Scott.
Festivais:
* Festival de Cannes
*Festival de Toronto
The Big Bang Theory ganha mais duas temporadas

The Big Bang Theory ganha mais duas temporadas

Impossível não amar The Big Bang theory! Pois é, para aqueles que amam a série uma novidade sensacional: The Big Bang ganha mais duas temporadas.

Congratulações a todo o cast e equipe da série que estreou há dez anos e continua bombando. Cada dia um episódio mais interessante e divertido que outro!!

The Big Bang tem sido a número 1 há cinco anos!!

Vida longa à The Big Bang Theory! Qual é o seu personagem favorito?

Por Anna Barros

 

O Rei Leão: Sucesso da Disney pode ganhar versão live-action após ‘A Bela e a Fera’

O Rei Leão: Sucesso da Disney pode ganhar versão live-action após ‘A Bela e a Fera’

Após lançar ‘A Bela e a Fera’ na última quinta-feira (16), a Disney já pensa em seu próximo live-action inspirado em uma animação de sucesso. De acordo com o site Omega Underground, a próxima produção a ter sua versão com atores será ‘O Rei Leão’, com filmagens previstas para o início de maio, em Los Angeles.

Parte do elenco já está definido. Simba será interpretado por Donald Glover (Atlanta, Han Solo: A Star Wars Story), já James Earl Jones (voz de Darth Vader, da franquia Star Wars) dará vida à Mufasa, mesmo personagem que interpretou na animação de 1994.

Jon Favreau será o diretor da nova versão de ‘O Rei Leão’. O cineasta dirigiu o remake de ‘Mogli: O Menino Lobo’ e será responsável por sua continuação.

A animação ‘The Lion King’, lançada em 1994, foi um dos maiores sucessos da Disney, com arrecadação global de US$ 968 milhões. O filme foi indicado quatro vezes ao Oscar e levou dois prêmios: de Melhor Canção Original (“Can You Feel The Love Tonight”) e Melhor Trilha Sonora.

A estreia do live-action ‘O Rei Leão’ está prevista para 2018.

Por: Cesar Augusto Mota

Octavia Spencer virá ao Brasil para lançar ‘A Cabana’, anuncia produtora

Octavia Spencer virá ao Brasil para lançar ‘A Cabana’, anuncia produtora

A Paris Filmes anuncia a vinda da atriz norte-americana Octavia Spencer, de “Estrelas Além do Tempo”, indicada ao Oscar 2017 como melhor atriz coadjuvante e “Histórias Cruzadas”, pelo qual ganhou em 2012 o Oscar de melhor atriz coadjuvante, para lançar o filme “A Cabana” (The Shack) no Brasil.

No longa,  produção baseada no best-seller homônimo do escritor canadense William P. Young, a atriz da vida à personagem “Papai”, uma mulher afro-americana com atributos divinos que contribuirão para as mudanças experimentadas pelo protagonista Sam Worthington [Mack Phillips]. A atriz chegará ao Brasil na semana anterior à estreia do filme, agendada para 6 de abril, e participará da pré-estreia nacional do longa no Rio de Janeiro.

Dirigido por Stuart Hazeldine, roteirista de “Exame”, o filme apresenta a história de Mack Phillips [Sam Worthington], um homem que viveu um drama pessoal com o desaparecimento de sua filha Missy, de seis anos.

Enquanto o ferido Mack Phillips ainda se vê sem motivos para viver, diante da fatalidade que abalou sua família, ele recebe uma misteriosa carta divina, que o convida a voltar para a cabana onde sua filha foi encontrada morta. Nesta missão, Phillips se encontra com Papai [Octavia Spencer], e é surpreendido por revelações e ensinamentos, que irão ajudá-lo a superar esse trauma.

Além de Octavia Spencer, Alice Braga e Sam Worthington, o longa conta ainda com Radha Mitchell e Graham Greene no elenco. Publicado em 2008 no país, ‘A Cabana’ vendeu cerca de quatro milhões e meio de cópias. No mundo todo, foram mais de 25 milhões de cópias.

 Sinopse – A Cabana 

Baseado no best-seller homônimo, “A Cabana” apresenta a jornada espiritual de um pai. Depois de sofrer uma tragédia familiar, Mack Phillips [Sam Worthington] entra em uma profunda depressão, que o faz questionar suas crenças mais íntimas. Diante de uma crise de fé, ele recebe uma carta misteriosa que o convida para ir a uma cabana abandonada no deserto de Oregon. Apesar das suas dúvidas, Mack vai à cabana e encontra um enigmático grupo de estranhos liderados por uma mulher chamada Papa [Octavia Spencer]. Por meio deste encontro, Mack encontra verdades significativas que irão transformar o seu entendimento sobre a tragédia que abalou sua família e sua vida mudará para sempre.

Ficha técnica

Direção: Stuart Hazeldine

Elenco: Sam Worthington, Oscar Octavia Spencer,Alice Braga, Radha Mitchell, Graham Greene

Classificação: 12 anos

Mostra na Caixa Cultural destaca o papel da mulher no Cinema Indiano

Mostra na Caixa Cultural destaca o papel da mulher no Cinema Indiano

A programação inclui a exibição de 12 filmes, além de debates e apresentações de dança e música tradicionais

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 21 de março a 2 de abril, a mostra Devi: Mulher em Cena, que faz um recorte na mais extensa cinematografia mundial – a indiana – focando a mulher como a grande protagonista. Serão exibidos 12 filmes que tratam do papel da mulher na Índia, revelando as diferentes facetas dentro de uma sociedade complexa e diversa, que caminha entre tradições milenares e estilo de vida moderno e global. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

A curadora Carina Bini priorizou obras dirigidas por mulheres e que foram realizadas nas últimas três décadas, alcançando produções de diversas regiões do país e privilegiando o cinema autoral.

Retratando uma tradição milenar de culto ao feminino, mas que atualmente vem enfrentando contradições ao expor ações de misoginia, os filmes da mostra apresentam uma provocante reflexão sobre qual a condição da mulher no século XXI. Entre os destaques da programação, estão o recente filme de Bollywood, Pink (2016), de Aniruddha Roy Chouwdhury; Uma mulher e dois homens (2008), de Adoor Gopalakrishnan, um dos mestres do cinema indiano autoral; e Gulabi Gang (2012), de Nishtha Jain, que retrata a luta de um grupo ativista que combate a violência contra a mulher na Índia.

“Selecionei filmes com temas que passeiam por questões pertinentes ao universo feminino e seus desafios atuais. A Índia é um país que apresenta uma estrutura social complexa, que tenta alinhar padrões tradicionais e modernos, tornando-se uma nação curiosa e que tem sido fonte de estudos e reflexões”, comenta a curadora Carina Bini. “O cinema é um forte elemento que compõe esse espectro social e cultural. Os indianos consomem seu próprio cinema, que traz suas histórias, desejos e aflições para as telas das milhares de salas do país, e as produções acabam construindo um imaginário de forte influência para a sociedade”, complementa.

Carina apresentará sua própria visão da sociedade indiana no filme India, my love story (2016), que será exibido junto com Devoto (2010), de Marina Gante, em um sessão de obras de cineastas brasileiras realizadas na Índia.

Atividades extras:
A mostra ainda inclui uma série de atividades ao longo dos doze dias de exibições. Na terça-feira de abertura (21), às 17h, haverá uma apresentação de dança indiana Mohiniattan, com Ludymilla Van Lameren, na sala de cinema.

Já o foyer da CAIXA Cultural Rio de Janeiro será palco de duas atividades gratuitas: no dia 25 de março (sábado), às 15h30, a dançarina Patrícia Travassos faz uma apresentação de dança indiana Kathak e, no dia 1º de abril (sábado), às 16h, o músico Jean Cristophe Aveline faz um concerto de música indiana.

A programação também conta dois debates, ambos com entrada franca. No dia 23 de março (quinta), às 19h, a curadora Carina Bini, a professora de Vedanta e Sânscrito Glória Arieira e a cineasta Marina Gante conversam sobre “A mulher na sociedade indiana do século XXI”. E, no dia 30 de março (quinta), às 19h, o tema “O olhar feminino no cinema indiano” será debatido com nova participação da curadora da mostra, ao lado da pesquisadora Marina Costin, que faz parte do Coletivo Elviras de críticas de cinema, e da cineasta Lucia Murat.

Outras informações, fotos e sinopses dos filmes exibidos, podem ser acessadas na página da mostra no Facebook pelo link http://www.facebook.com/mostracinemaindiano .

Programação:

21 de março (terça-feira)
17h – Apresentação de dança indiana Mohiniattan. Com Ludymilla Van Lameren.
18h – Margarita com um canudo (2014), de Shonali Bose, 140 min, 16 anos.

22 de março (quarta-feira)
16h – Dharma (2007), de Bhavna Talwar, 105 min, 14 anos.
18h – Gulabi Gang (2012), de Nishtha Jain, 96 min, 14 anos.

23 de março (quinta-feira)
16h – Índia, my love story (2016), de Carina Bini, 23 min, Livre;
Devoto (2010), de Marina Gante, 70 min, Livre.
18h – Debate – A mulher na sociedade indiana do século XXI. Com Carina Bini, Glória Arieira e Marina Gante.

24 de março (sexta-feira)
16h – Caminho do Silêncio (2012), de Manju Bohra, 90 min, Livre.
18h – Uma mulher e dois homens (2008), de Adoor Gopalakrishnan, 115 min, 14 anos.

25 de março (sábado)
15h30 – Apresentação de dança indiana Kathak. Com Patrícia Travassos. (Foyer)
16h30 – A menina e a coruja (2015), de Manju Bohra, 78 min, Livre
18h30 – Margarita com um canudo (2014), de Shonali Bose, 140 min, 16 anos.

26 de março (domingo)
15h30 – Assim seja (2014), de Sumitra Bhave e Sunil Sukhtankar, 135 min, Livre.
18h – Pink (2016), de Aniruddha Roy Chowdhury, 136 min, 14 anos.

28 de março (terça-feira)
17h – Lakshmi and me (2007), de Nishtha Jain, 59 min, 12 anos.
18h30 – A menina e a coruja (2015), de Manju Bohra, 78 min, Livre.

29 de março (quarta-feira)
17h – Caminho do Silêncio (2012), de Manju Bohra, 90 min, Livre.
19h – Gulabi Gang (2012), de Nishtha Jain, 96 min, 14 anos.

30 de março (quinta-feira)
15h30 – Água (2005), de Deepa Mehta, 114 min, 14 anos.
18h – Debate – O olhar feminino no cinema indiano. Com Carina Bini, Marina Costin e Lucia Murat.

31 de março (sexta-feira)
15h30 – Pink (2016), de Aniruddha Roy Chowdhury, 136 min, 14 anos.
18h30 – Assim seja (2014), de Sumitra Bhave e Sunil Sukhtankar, 135 min, Livre.

01 de abril (sábado)
16h – Apresentação de música indiana. Com Jean Cristophe Aveline. (Foyer)
17h – Lakshmi and me (2007), de Nishtha Jain, 59 min, 12 anos.
18h30 – Uma mulher e dois homens (2008), de Adoor Gopalakrishnan, 115 min, 14 anos.

02 de abril (domingo)
16h – Água (2005), de Deepa Mehta, 114 min, 14 anos.
18h30 – Dharma (2007), de Bhavna Talwar, 105 min, 14 anos.

Serviço:
Mostra Devi: Mulher em Cena
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1 e Foyer
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Data: de 21 de março a 2 de abril de 2017
Horários: Consultar programação
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
Lotação: 78 lugares (mais 3 para cadeirantes)
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Classificação Indicativa: Consultar programação
Acesso para pessoas com deficiência

 

Por Anna Barros