Shell Open Air de volta a São Paulo

Shell Open Air de volta a São Paulo

O maior cinema ao ar livre do mundo está de volta a São Paulo. O Shell Open Air será realizado entre os dias 18 de setembro e 7 de outubro, no Jockey Club, no bairro Cidade Jardim. A programação reúne sucessos de bilheteria, super clássicos, filmes nacionais e infantis, além de contar com shows de grandes artistas nacionais e um espaço gastronômico. O filme escolhido para estreia é o “Jurassic World: Reino Ameaçado”, que, ainda em cartaz nos cinemas, é sucesso de bilheteria no Brasil inteiro. Na SuperTela de 325m², o equivalente à área de uma quadra de tênis, serão projetados desde títulos aclamados como “O Poderoso Chefão 1” e “Forres Gump”, inédito na história do evento, a produções recentes como “A Forma da Água”, grande vencedor do Oscar 2018, e “Deadpool 2”, lançamento de 2018. Com patrocínio da Shell – marca licenciada pela Raízen no Brasil – o evento é realizado pela D+3 Produções e terá ingressos a partir de R$25, disponíveis no site openairbrasil.com.br.

O Shell Open Air alia cinema, música, gastronomia e inovação e reforça o posicionamento da marca Shell – a Humanologia – que busca proporcionar experiências prazerosas e descomplicadas em todos os momentos da jornada do consumidor, seja no posto de combustível ou na hora da diversão com os amigos e a família, para que saiam destas momentos melhores do que entraram.

“As edições anteriores de Shell Open Air tiveram um sucesso estrondoso de público e, ao ouvir os consumidores nas redes sociais, decidimos voltar a São Paulo, praça de grande força da marca, para que mais pessoas possam usufruir desta experiência única. Sabemos que o público paulistano tem interesse especial em ações que envolvam gastronomia e cultura e reforçamos nossas ativações no espaço para que o Shell Open Air seja uma experiência completa, além da exibição do filme, que por si só é um espetáculo. Convidamos o público a chegar ao espaço, aproveitar as atrações gastronômicas, conhecer mais sobre Shell Box, Shell Select e Shell V-Power em ativações interativas e divertidas e se preparar para aproveitar os filmes”, explica Renato Grego, gerente de Comunicação de Marketing da Raízen, que licencia a marca Shell no Brasil. “Este evento oferece uma experiência audiovisual incomparável! Com esse tamanho de tela e a qualidade de projeção e de som, cada filme passa a ser vivenciado de maneira nova e inesquecível”, explica Renato Byington, sócio-diretor da D+3 Produções.

Ao longo de três semanas, sempre de quarta a domingo, o Shell Open Air combina cinema, tecnologia, conforto e entretenimento em 20 sessões para o público. Além da telona, que vem da Suíça em quatro contêineres e pesa 70 toneladas, a projeção digital conta também com um sistema de som que envolve a plateia em uma experiência única.

Aos sábados e domingos, o evento vira um programão para a família, com direito à recreação infantil e filmes dedicados às crianças e adolescentes. O Espaço Gourmet contará com diversas opções de gastronomia para o público curtir o evento do início ao fim. E a pipoca, claro, é por conta da casa!

Sobre a Raízen

A Raízen, companhia que licencia a marca Shell no Brasil desde 2011, se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. Atividades que empregam mais de 30 mil pessoas e envolvem mais de 6.000 postos de serviço com a marca Shell, mais de 980 lojas de conveniência Shell Select, 68 bases de abastecimento em aeroportos e 68 terminais de distribuição de combustíveis, 26 unidades produtoras, e produção anual de cerca de 2 bilhões de etanol, 4,5 milhões de toneladas de açúcar e capacidade de gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar.

Programação

 

SEMANA 1

 

18/09 – TERÇA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: Jurassic World: Reino Ameaçado

 

20/09 – QUINTA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: Forrest Gump

 

21/09 – SEXTA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: Mamma Mia 2

 

22/09 – SÁBADO – 1ª SESSÃO

Abertura do evento e Recreação Infantil: 16h30

Início da Sessão: 18h30

Filme: Esqueceram de Mim

 

2ª SESSÃO

Abertura do evento: 21h30

Início da Sessão: 22h30

Filme: Pantera Negra

23/09 – DOMINGO – 1ª SESSÃO

Abertura do evento e Recreação Infantil: 16h30

Início da Sessão: 18h30

Filme: Viva! A Vida é Uma Festa

2ª SESSÃO

Abertura do evento: 21h30

Início da Sessão: 22h30

Filme: Clube da Luta

SEMANA 2

 

26/09 – QUARTA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: Lady Bird

 

27/09 – QUINTA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: Poderoso Chefão

 

28/09 – SEXTA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: Chicago

 

29/09 – SÁBADO – 1ª SESSÃO

Abertura do evento e Recreação Infantil: 16h30

Início da Sessão: 18h30

Filme: Quero ser Grande

 

2ª SESSÃO

Abertura do evento: 21h30

Início da Sessão: 22h30

Filme: Deadpool 2

30/09 – DOMINGO – 1ª SESSÃO

Abertura do evento e Recreação Infantil: 16h30

Início da Sessão: 18h30

Filme: Hotel Transilvânia 3

2ª SESSÃO

Abertura do evento: 21h30

Início da Sessão: 22h30

Filme: Operação Dragão

 

SEMANA 3

 

03/10 – QUARTA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: A Forma da Água

 

04/10 – QUINTA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: Thelma & Louise

05/10 – SEXTA-FEIRA

Abertura do evento: 18h

Início da Sessão: 20h

Filme: La La Land

06/10 – SÁBADO – 1ª SESSÃO

Abertura do evento e Recreação Infantil: 16h30

Início da Sessão: 18h30

Filme: Os Incríveis 2

 

2ª SESSÃO

Abertura do evento: 21h30

Início da Sessão: 22h30

Filme: Vingadores: Guerra Infinita

 

07/10 – DOMINGO

Abertura do evento: 16h30

Início da Sessão: 18h30

Filme: A Noviça Rebelde

Serviço

 

Data: 18 de setembro a 07 de outubro de 2018 (quarta-feira a domingo)

Local: Jockey Club de São Paulo – Rua Dr. José Augusto de Queiroz, Portão 1 – Cidade Jardim, São Paulo, Brasil

Ingressos: R$50 (inteira) e R$25 (meia-entrada)

Vendas no site openairbrasil.com.br, pelo site eventim.com.br, e em pontos de venda e postos Shell. Durante o evento, vendas também no local, das 16h às 00h.

Telefone: (11) 2161-8300

Capacidade de público do evento: 1.300 pessoas

Classificação Etária: 16 anos. Menores de 16 anos apenas acompanhados dos pais/responsáveis. Em dias com show e/ou cujo filme tem classificação indicativa maior do que 16 anos, a classificação do evento passa a ser 18 anos

Assentos não marcados

Evento acessível a cadeirantes

Estacionamento terceirizado no local. Sujeito à lotação.

Anúncios
Começa a produção do live-action Mulan

Começa a produção do live-action Mulan

A produção de “Mulan”, da Disney, uma adaptação live-action do longa-metragem de animação de 1998, começou. O filme será gravado em locações na China e na Nova Zelândia e tem estreia prevista no Brasil para 26 de março de 2020.

Liu Yifei foi escalada como Hua Mulan após uma busca global que durou um ano. Juntando-se a ela no filme estão: Donnie Yen, Jason Scott Lee, Yoson Na, Utkarsh Ambudkar, Ron Yuan, Tzi Ma, Rosalind Chao, Cheng Pei-Pei, Nelson Lee, Chum Ehelepola, Gong Li e Jet Li.

“Mulan” é a aventura épica de uma jovem destemida que se disfarça de homem para combater os Invasores do Norte que estão atacando a China. A filha mais velha de um honrado guerreiro, Hua Mulan, é espirituosa, determinada e muito ágil. Quando o imperador emite um decreto que um homem de cada família deve servir no exército imperial, ela entra em cena para tomar o lugar de seu pai doente como Hua Jun, tornando-se um dos maiores guerreiros da China.

“Mulan” é dirigido por Niki Caro com roteiro de Rick Jaffa & Amanda Silver e Elizabeth Martin & Lauren Hynek baseado no poema narrativo “The Ballad of Mulan”. Os produtores são Jason T. Reed, Chris Bender e Jake Weiner com Barrie M. Osborne, Bill Kong e Tim Coddington atuando como produtores executivos.

O longa de animação da Disney, lançado em 1998, tinha vozes de estrelou Ming-Na Wen, Miguel Ferrer e Eddie Murphy e foi indicado ao Oscar® e a dois Globos de Ouro®.

A história do guerreiro lendário é um dos contos populares mais populares da China e ainda hoje faz parte do currículo nas escolas chinesas.

Sobre Walt Disney Studios 

Por mais de 90 anos, The Walt Disney Studios foi a base sobre a qual a The Walt Disney Company foi construída. Hoje, o Estúdio oferece filmes de qualidade, músicas e peças de teatro para consumidores em todo o mundo. Os filmes longa-metragem são lançados sob os seguintes selos: Disney, incluindo Walt Disney Animation Studios e Pixar Animation Studios; Disneynature; Marvel Studios; e Lucasfilm. The Walt Disney Music Group abrange os selos Walt Disney Records e Hollywood Records, bem como Disney Music Publishing. O Disney Theatrical Group produz e licencia eventos ao vivo, incluindo Disney on Broadway, Disney On Ice e Disney Live!

Filme “De perto ela não é normal” com Suzana Pires, Ivete Sangalo, Marcelo Serrado e Gaby Amarantos começa filmagens

Filme “De perto ela não é normal” com Suzana Pires, Ivete Sangalo, Marcelo Serrado e Gaby Amarantos começa filmagens

Após Suzana Pires ​rodar os palcos de todo o país e chegando até Portugal, levando mais de 500 mil pessoas ao teatro, a Escarlate Conteúdo Audiovisual leva o monólogo “De Perto Ela Não é Normal” para os cinemas. Dirigida por Cininha de Paula (“Crô em família” e “Duas de mim”), o filme tem coprodução da Globo Filmes , distribuição da H20 Films e produção associada de Carlos Diegues. Protagonizada por Suzana Pires, que interpreta três personagens na trama, a comédia conta também com Ivete Sangalo, Marcelo Serrado, Samantha Schmutz  Gaby Amarantos e Laura Cardoso.  O roteiro é da própria Suzana (coautora ao lado de Walter Negrão de novelas como “Sol Nascente” e “Flor do Caribe”), que escreve pela primeira vez para o cinema, em parceria com Martha Mendonça e Renato Santos. O longa-metragem começa a ser rodado no dia 10 de agosto.

 

Cristina Pereira, Maria Clara Gueiros, Jane Di Castro, Arthur Aguiar e o ator mirim João Bravo somam ao elenco. “De perto ela não é normal” contará com diversas participações especiais, como Thalita Rebouças, David Brazil, Lenny Niemeyer, Tati Quebra Barraco, Dadá Coelho, Fafá de Belém, DJ Zé Pedro – todos interpretando a si próprios. A previsão de estreia é no primeiro semestre de 2019.

 

Na comédia Suzana Pires interpreta três personagens: Suzie, Neide e Tia Suely, três faces femininas de uma mesma família. Suzie é hoje uma mulher de 40 e poucos anos, casada e com duas filhas adultas, que segue exatamente a vida tradicional que a sua mãe, Neide, lhe pediu que ela tivesse antes de morrer. Esposa de seu amigo de infância, Pedrinho (Marcelo Serrado), um homem sem muita opinião própria, Suzie ainda tem que lidar com Dora (Cristina Pereira), uma sogra rabugenta que faz a vida dela um verdadeiro inferno. Sentindo-se infeliz e pressionada por tudo e por todos, ela não consegue mais se enxergar como a menina sensível e criativa que foi na infância. Quando reencontra sua Tia Suely, uma mulher livre e decidida, ela resolve dar uma guinada na vida e ir em busca de si mesma.

 

Ambientado no Rio de Janeiro, o filme terá locações na Lagoa Rodrigo de Freitas, Praia de Copacabana, Boate Hippopotamus, Marina da Glória, Araruama, entre outras.

 

O filme foi criado  a partir do monólogo homônimo de Suzana, escrito em 2005. “Quando eu escrevi a peça eu estava com a necessidade de falar sobre como é difícil para uma mulher escolher uma trajetória própria, sem ser a trajetória que já te apontam como a certa. Eu estava em uma idade que eu estava escolhendo não me casar, estava escolhendo um monte de coisas que eram diferentes do que a maior parte das mulheres fazia, então eu queria escrever sobre isso. A gente é muito exigida de ser bem sucedida, magra, inteligente, a mulher perfeita, e eu quis fazer uma crítica a isso, mostrar que o “chegar lá” não é o que os outros apontam, mas o que você quer definir para si mesma”, comenta Suzana Pires.

 

A peça foi montada por Suzana ​com apenas 3 mil Reais, em  um teatro de 100 lugares. O sucesso foi tanto que, ao invés de se apresentar somente em um final de semana, como Suzana imaginava, foram meses de temporada. “Depois da repercussão dessas primeiras apresentações, eu fui procurar um edital, colocar a peça para frente. Eu não imaginava nada além de ficar fazendo o monólogo em um lugar pequeno. Quando o espetáculo começou a viajar eu nem era uma atriz de televisão e já lotava. Comecei e pensar O que é isso?”. Depois de alguns anos viajando o país com a montagem, atriz achou que era o momento do conteúdo se multiplicar em outras plataformas. Então procurou em 2015 a direção da TV Globo e o primeiro spin-off  foi a websérie “Look do Dia com Tia Suelly”, sucesso do portal GShow. No mesmo ano, Suzana começou a desenvolver o roteiro para o cinema e procurar uma produtora para desenvolvê-lo​.

 

Para levar a peça para a telona, a artista fez algumas adaptações no roteiro. A mais importante delas é a idade da protagonista. “Para fazer uma estrutura de roteiro eu precisei atualizar a Suzie para minha idade atual. No cinema ela é uma mulher de 42 anos, com duas filhas, casada. A história começa de outro ponto”.

 

Na trama Samantha Schmütz interpreta ‘Naninha’, a amiga de academia que tenta fazer Suzi emagrecer de formas não convencionais. Ivete Sangalo é ‘Dayse Aparecida’, uma hilária professora de filosofia na faculdade de Direito. Gaby Amarantos vive  ‘Maria Pia’, uma advogada bem sucedida, que oferece o primeiro trabalho na área para ‘Suzie’. Laura Cardoso é ‘Dona Dolores’, senhora que frequenta o INSS. Cristina Pereira interpreta ‘Dora’, a sogra rabugenta de ‘Suzie’. Jane Di Castro é ‘Geralda Maltêz’, chefe de departamento no INSS.

 

A parceria com a produtora Escarlate teve início em 2016. Além do longa-metragem “De perto”, a negociação entre a Escarlate e a Suzana Pires contempla mais dois filmes em cinco anos. Suzana nos abordou com um roteiro e não tivemos dúvida do seu potencial, poder investir em um contrato de longo prazo possibilita uma construção orgânica da nova empreitada na carreira dela, como roteirista de cinema. O filme é voltado para o público de diversas gerações, e apesar da trama feminina, dialoga de forma divertida com cenas cotidianas da vida de homens e mulheres. O elenco está engajado com a história e com a Suzana de tal forma, que muitos toparam participar independente do papel. Prometemos divertir! conta Joana Henning Generoso – CEO da Escarlate.

 

O filme é a primeira produção brasileira a contar com a cláusula de inclusão (“inclusion rider”), que ficou mundialmente conhecida após o discurso de agradecimento da atriz Frances McDormand da última edição Oscar. A cláusula exige um nível de diversidade tanto no elenco quanto na equipe técnica.

 

Sobre a Escarlate

 

Combinando a experiência dos seus executivos em áreas complementares da indústria do entretenimento, a Escarlate elabora conteúdos capazes de combinar inovação, qualidade e sucesso, através de plataformas de ampliação de marcas e valorização do talento e criatividade de seus parceiros. A empresa possui aliados estratégicos que atuam como correalizadores, investidores e multiplicadores de novos negócios. Criada por Joana Henning e Sérgio Sá Leitão, a Escarlate cria, gerencia e realiza projetos nas áreas de cinema, TV, Games, inovação e transmídia, além de eventos culturais de grande porte e consultorias. Com a saída de Sá Leitão para assumir o posto de Ministro da Cultura, Joana Henning assume o posto de CEO, Melissa Donatti entra como sócia e executiva de operações no escritório Rio de Janeiro, enquanto Daniela Pistone, diretora executiva associada, assume o escritório São Paulo, com suporte de equipes especializadas. A empresa realiza sociedades específicas, construindo redes para a execução de cada empreendimento.

 

Construímos um diálogo permanente com o mercado. A proposta da Escarlate é criar conexões de interesses entre investidores e conteúdos, nos mais diversos setores da produção cultural e audiovisual, além de parceria entre produtoras para projetos específicos” Joana Henning Generoso – Sócia Fundadora e CEO

 

Sobre a Globo Filmes

Desde 1998, a Globo Filmes já participou de mais de 250 filmes, levando ao público o que há de melhor no cinema brasileiro. Com a missão de contribuir para o fortalecimento da indústria audiovisual nacional, a filmografia contempla vários gêneros, como comédias, infantis, romances, documentários, dramas e aventuras, apostando na diversidade e em obras que valorizam a cultura brasileira. A Globo Filmes participou de alguns dos maiores sucessos de público e de crítica como, ‘Tropa de Elite 2’, ‘Minha Mãe é uma Peça 2’ – com mais de 9 milhões de espectadores -, ‘Se Eu Fosse Você 2’, ‘2 Filhos de Francisco’, ‘Aquarius’, ‘Que Horas Ela Volta?’, ‘O Palhaço’, ‘Getúlio’, ‘Carandiru’ e ‘Cidade de Deus’ – com quatro indicações ao Oscar. Suas atividades se baseiam em uma associação de excelência com produtores independentes e distribuidores nacionais e internacionais.

 

Sobre a H2O Films

 

Fundada em 2012, a H2O Films é uma distribuidora de Cinema com capital 100% nacional. Sua missão é potencializar ao máximo o desempenho dos filmes que lança, com prioridade para as produções brasileiras. Em um mercado altamente competitivo, a H2O Films busca tratar e pensar cada projeto de forma exclusiva. Para isso, tem como grande diferencial a expertise em marketing e o know-how em programação de sua equipe. Em seu quinto ano de atuação, já é responsável pela distribuição de mais de 30 filmes, incluindo títulos nacionais e internacionais. Dentre os filmes internacionais, distribuiu “Ouija – O Jogo dos Espíritos”, em uma de suas parcerias com a Universal Pictures que arrebatou mais de 500 mil espectadores, e o primeiro filme da saga de grande sucesso “Fallen”. Dentre os nacionais, a H2O Films lançou “Made in China”, com direção de Estevão Ciavatta e protagonizado por Regina Casé, com mais de 400 mil espectadores; Cássia Eller, de Paulo Henrique Fontenelle, que, com 72 mil espectadores, um dos documentários mais bem-sucedidos de mercado e de crítica; “Vai Que Cola – O Filme”, com a maior bilheteria de abertura nacional do ano de 2015, que contou com um público de mais de 3,2 milhões de espectadores; a continuação da comédia de Andrucha Waddington “Os Penetras 2 – Quem dá mais?” e o longa “Um Tio Quase Perfeito”, com Marcus Majella, ambos em 2017.

 

 

FICHA TÉCNICA

Produtora: Escarlate Conteúdo Audiovisual e Experiências Criativas

Coprodutora: Globo Filmes

Distribuidora: H2O Films

Produção: Joana Henning Generoso

Produção Associada: Suzana Pires, Carlos Diegues e Sandro Rodrigues

Produção Executiva: Melissa Donatti e Paula Torres

Direção de Produção: Valéria Martins e Madge Pontes de Miranda

Roteiro: Suzana Pires

Colaboração de Roteiro: Martha Mendonça e Renato Santos

Direção: Cininha de Paula

Direção Assistente: Tatiana Fragoso

Diretor de Fotografia: Marcelo Brasil

Diretor de Arte: Marcos Flaksman

Som direto: Zezé D’Alice

Figurino: Sônia Soares

Caracterização: Marcos Freire

Curta! estreia série que mostra artistas como Arnaldo Antunes e Liniker debatendo suas linguagens

Curta! estreia série que mostra artistas como Arnaldo Antunes e Liniker debatendo suas linguagens

“OS IRMÃOS ROBERTO”, DOCUMENTÁRIO SOBRE DOIS GRANDES ARQUITETOS BRASILEIROS, É OUTRA ESTREIA DE DESTAQUE NA PROGRAMAÇÃO DO CANAL

 

Um debate entre artistas sobre suas linguagens e suas experiências com as artes, em suas várias vertentes. É isso que nomes como Arnaldo Antunes, Antonio Cicero, Mariana Lima, Mariana Aydar e Liniker fazem em “Palavras Permanecem”, série documental original que o Curta! estreia na Quinta do Pensamento,16, às 23h. Em cada um dos seis episódios, uma dupla de artistas brasileiros se encontra e conversa sobre seus processos criativos. O resultado é um retrato da intimidade desses artistas, com direito a uma performance inédita e exclusiva ao fim. No programa de estreia, a cantora Ná Ozzetti e o compositor e escritor José Miguel Wisnik revelam como mantêm o brilho nos olhos quando se encontram, mesmo tendo uma parceria que já dura mais de 30 anos. A dupla também presenteia o espectador com um número musical inédito.

 

Uma dupla responsável por grandes marcos da arquitetura brasileira é tema de outra estreia da semana no canal: o longa-metragem “Os Irmãos Roberto”, que vai ao ar na Terça das Artes, 14, às 22h40. Da mesma geração de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, os irmãos Marcelo, Milton e Maurício foram autores do prédio do aeroporto Santos Dumont. Neste filme, a partir dos depoimentos de diversos arquitetos contemporâneos, reavalia-se a contribuição da dupla, especialmente na formulação de projetos de moradia de classe média que, embora voltados para o mercado, nunca perderam de vista a beleza e o bem-estar dos ocupantes, valores negligenciados pela visível padronização de estilos e materiais nas últimas décadas.

 

“A MPB Calada”, novo episódio da série “Cale-se – A censura musical no Brasil”, estreia na Segunda da Música, 13, às 20h. Os oito episódios da série exploram a produção musical brasileira afetada pelos departamentos de censura durante a Ditadura Militar. Por meio de números musicais históricos ou produzidos para a série, conheceremos o repertório vetado pelos censores e suas motivações mais surpreendentes. Imagens da época e depoimentos de compositores censurados, artistas exilados, advogados, jornalistas e pesquisadores trazem à tona os bastidores da censura musical durante os anos de chumbo.

 

Na Sexta da Sociedade, 17, às 23h, o Curta! exibe a segunda parte do documentário inédito no Brasil “Revoluções Sexuais”, do historiador e antropólogo Sylvain Desmille. Através de arquivos inéditos e análises de pensadores, a produção mostra as ações feministas que impactaram e transformaram o mundo entre as décadas de 1950 e 2000. Dos movimentos feministas e LBGTs à popularização de métodos anticoncepcionais, a revolução sexual redefiniu as sociedades ao redor do mundo, e Desmille apresenta um olhar sobre o desenvolvimento dessas questões.

 

Na Quinta do Pensamento, 16, às 23h30, o episódio inédito da série “Alegorias do Brasil” investiga as revoltas e os conflitos que perpassam a história do Brasil e desfazem os mitos de país e povo pacíficos. Em “Conciliação e Conflito”, intelectuais, historiadores e representantes da sociedade civil refletem sobre como a conciliação marcou um modo de lidar com as tensões sociais de um país desigual, que adiava o seu enfrentamento, e como lidamos com os conflitos na atualidade.

“Alegorias do Brasil” é a primeira produção do cineasta Murilo Salles idealizada exclusivamente para a TV.  Ao longo de 13 episódios, as alegorias brasileiras – ou seja, as expressões culturais que afirmam a nossa identidade – são colocadas em discussão e analisadas por nomes como Vladimir Safatle, Silviano Santiago, Maria Rita Kehl e Nuno Ramos. A série é uma produção da Cinema Brasil Digital com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.

 

Na Quarta de Cinema, 15, às 20h, a faixa “A Vida é Curta!” apresenta filmes de três cineastas. A sessão começa com o curta-metragem de terror “O Duplo”, realização da cineasta paulista Juliana Rojas. A diretora, que foi aclamada em festivais internacionais este ano com o longa-metragem “As Boas Maneiras”, parceria com Marco Dutra, apresenta a apreensão de uma professora ao enxergar um ser idêntico a ela, o seu duplo. Em seguida, é a vez do curta “A Mão Que Afaga”, de Gabriela Amaral Almeida. Em cena, uma operadora de telemarketing planeja uma festa no aniversário de 9 anos de seu único filho, mas seus planos têm poucas chances de dar certo. “3 Minutos”, filme de Ana Luiza Azevedo, com o ator Werner Schünemann no elenco, encerra a programação da semana. O filme discute o efêmero na vida moderna.

 

Um pouco mais tarde, às 23h40, também na Quarta de Cinema, 15, a série “Projeções” traz o depoimento do jovem cineasta pernambucano Marcelo Pedroso. No episódio, o realizador detalha as descobertas, os fracassos e o processo de criação de suas produções “Pacific” e “Câmera Obscura”. A série “Projeções” é uma produção do Itaú Cultural gentilmente cedida ao Curta! que busca tratar do mais recente cinema expandido brasileiro, em seus diferentes gêneros e formatos.

 

SEGUNDA DA MÚSICA

A Trajetória dos Beatles – (Documentário)

The Beatles se mantém como a maior banda pop de todos os tempos, com suas músicas e letras transcendendo as décadas – e as personalidades de John, Paul, George e Ringo continuando a influenciar gerações de músicos e fãs por todo o mundo. Mas antes da fama e fortuna, existiu a história menos conhecida de 6 jovens que iriam – e não iriam – crescer para se tornar os Beatles.

 

Diretor: Paul Clark.

Duração: 52 min.

Exibição: 13 de agosto, segunda-feira, às 20h30.

Classificação: Livre.

Horários Alternativos:
14 de agosto, terça-feira, às 00h30.
15 de agosto, quarta-feira, às 08h30.

Clara Estrela – (Documentário)

O filme dá ao espectador a oportunidade de relembrar os sucessos e a trajetória de Clara Nunes e de conhecer um pouco mais de uma personagem que, mesmo passados mais de trinta anos de sua morte, permanece em lugar de destaque na história da música popular brasileira.

 

Diretores: Susanna Lira e Rodrigo Alzuguir.

Duração: 71 min.

Exibição: 13 de agosto, segunda-feira, às 22h30.

Classificação: Livre.

Horários Alternativos:
14 de agosto, terça-feira, às 02h30.
15 de agosto, quarta-feira, às 10h30.

Cale-se (Série Musical) – Episódio: A MPB Calada

A série explora a produção musical brasileira afetada pelos departamentos de censura durante a Ditadura Militar. Por meio de números musicais históricos ou produzidos para a série, conheceremos o repertório vetado pelos censores e suas motivações mais surpreendentes.

 

Diretor: Marcus Fernando.

Duração: 26 min.

Exibição: 13 de agosto, segunda-feira, às 20h.

Classificação: Livre.

Horários Alternativos:
14 de agosto, terça-feira, às 00h
15 de agosto, quarta-feira, às 08h

TERÇA DAS ARTES

Os Irmãos Roberto – (Documentário)

Integrantes da mesma geração de Lúcio Costa, Oscar Niemeyer e Affonso Eduardo Reidy, os irmãos Marcelo, Milton e Maurício, conhecidos profissionalmente como irmãos Roberto, foram os autores de marcos da arquitetura modernista brasileira, como o premiado prédio da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro do Rio, e o aeroporto Santos Dumont.

 

Diretores: Ivana Mendes e Tiago Arakilian.

Duração: 72 min.

Exibição: 14 de agosto, terça-feira, às 22h40.

Classificação: Livre.

Horários Alternativos:
15 de agosto, quarta-feira, às 02h40
16 de agosto, quinta-feira, às 10h40

QUARTA DE CINEMA

Projeções (Série) – Marcelo Pedroso

A série “Projeções” joga luz sobre o mais recente cinema expandido brasileiro, em seus diferentes gêneros e formatos. Neste episódio, o diretor e montador Marcelo Pedroso debate descobertas, fracassos e criação de dispositivos fílmicos em “Pacific” e “Câmara Escura”.

Diretora: Renata Druck.

Duração: 15 min.

Exibição: 15 de agosto, quarta-feira, às 23h40.

Classificação: 10 anos.

Horários alternativos:

16 de agosto, quinta-feira, às 3h40.

17 de agosto, sexta-feira, às 11h40.

A Vida é Curta

Esta semana, a faixa aborda realizações de 3 mulheres e exibe os curtas “O Duplo”, “A Mão que Afaga” e “3 Minutos”.

Exibição: 16 de agosto, quarta-feira, às 20h

Classificação: Livre.

QUINTA DO PENSAMENTO

Palavras Permanecem (Série) – A Olhos Nus

A cantora Ná Ozzetti e o compositor e escritor José Miguel Wisnik mantém o brilho nos olhos quando se encontram e falam sobre a voz como instrumento, a importância e a descoberta da canção, a relação de amizade e a passagem do tempo. Nesse episódio, atravessado pelo amor à música, a dupla também nos presenteia com números musicais dessa parceria que já dura mais de 30 anos.

 

Diretora: Renata Druck.
Duração: 26 min.
Estreia: 16 de agosto, quinta-feira, às 23h.
Classificação:
 Livre.
Horários alternativos:
17 de agosto, sexta-feira, às 03h.

18 de agosto, sábado, às 21h.

Alegorias do Brasil (Série) – Conciliação e Conflito

O Brasil não é um país de história pacífica, como muitas vezes se acreditou. Pelo contrário, sua formação é cheia de revoltas, mesmo que não tenha passado por uma revolução. Por muito tempo, porém, a conciliação marcou um modo de lidar com as tensões sociais de um país desigual, que adiava o seu enfrentamento. Mas hoje parece que os conflitos assomaram e estão em aberto. O que virá daí?

 

Diretor: Murilo Salles.
Duração: 31 min.
Exibição: 16 de agosto, quinta-feira, às 23h30.
Classificação:
 Livre.
Horários alternativos:
17 de agosto, sexta-feira, às 03h30.

18 de agosto, sábado, às 21h30.

SEXTA DA SOCIEDADE

Revoluções Sexuais (parte 2)

Dos movimentos feministas e LBGTs à popularização de métodos anticoncepcionais, a revolução sexual redefiniu as sociedades ao redor do mundo. Através de materiais de arquivo inéditos e análises de pensadores de diferentes países, este documentário dividido em duas partes analisa o impacto dessas transformações entre as décadas de 1950 e 2000.

 

Diretor: Sylvain Desmille.

Duração: 52 min.

Exibição: 17 de agosto, sexta-feira, às 22h30.

Classificação: Livre

Horários alternativos:

18 de agosto, sábado, às 2h30h e às 10h20

19 de agosto, domingo, às 21h20h

20 de agosto, segunda, às 16h30

21 de agosto, terça, às 10h30

Sobral – O Homem que Não Tinha Preço (Documentário)

O filme leva o público a conhecer a figura singular de Sobral Pinto: a coragem, a ética, o humor, a fé, a luta incansável pela justiça – sem cobrar honorários nem aceitar favores. Com depoimentos de personagens como Luís Carlos Prestes e sua filha Anita Leocádia, Zuenir Ventura, e do próprio Sobral, impagável em seus relatos e opiniões.

Diretora: Paula Fiuza.

Duração: 90 min.

Exibição: 17 de agosto, sexta-feira, às 21h.

Classificação: Livre.

Horários alternativos:

18 de agosto, sábado, às 01h.

19 de agosto, domingo, às 18h.

Trecho inéditod e O Animal Cordial revela a cena mais difícil de ser filmada

Trecho inéditod e O Animal Cordial revela a cena mais difícil de ser filmada

A diretora Gabriela Amaral Almeida não tem dúvidas ao eleger a cena do assalto como a mais complicada de ser rodada do longa O ANIMAL CORDIALque estreia nos cinemas dia 9 de agosto. Produzido por Rodrigo Teixeira, da RT Features, com coprodução do Canal Brasil e distribuição da California Filmes, O ANIMAL CORDIAL é o primeiro slasher movie (subgêneros do terror, caracterizados, dentre outras marcas, pelo uso de violência gráfica extrema) dirigido por uma mulher no Brasil.

Para colocar em prática as 15 páginas de roteiro, a diretora revela que foi necessário uma semana de filmagens. “A cena mais difícil de escrever e filmar – arcos sinuosos, mise-en-scène coreografada, efeitos especiais e por aí vai. Ajudou muito o fato de termos filmado na ordem cronológica. A equipe inteira vibrou quando rodamos o último plano desta cena”, conta.

A história se passa em uma única noite em um restaurante de classe média alta em São Paulo que é invadido, no fim do expediente, por dois ladrões armados. O dono do estabelecimento, o cozinheiro, uma garçonete e três clientes são rendidos e precisam lidar com a situação. O local torna-se palco dos mais diferentes embates: empregados x patrão; ricos x pobres; homens x mulheres; brancos x negros. Civilização e barbárie: os dois conceitos se alternam na claustrofobia de um espaço, que vai sendo desconstruído à medida que soluções “cordiais” se tornam impossíveis.

O gênero já faz parte do portfólio da produtora baseada em São Paulo, que tem títulos como “A Bruxa’, de Robert Eggers, e “Quando Eu Era Vivo”, de Marco Dutra. Pode-se dizer, que faz parte de uma nova onda de produção no terror no Mundo, que não busca envolver a plateia através de sustos fáceis e truques clichês. São filmes mais complexos, com diretores que dialogam com o gênero de cinema de arte e que buscam também trazer reflexões sociais.

Para Rodrigo Teixeira, esta nova forma de encarar o gênero também pode ser comercial: “Acho que existe um tipo de filme de terror que faz terror com menos clichês como uma opção de subverter o gênero de uma maneira inteligente e isso também atrai público“.

O filme tem no elenco Murilo Benício (Inácio), o dono pacato do estabelecimento, Luciana Paes (Sara), a fiel garçonete do restaurante, Ernani Moraes (Amadeu), Jiddu Pinheiro (Bruno) e Camila Morgado (Verônica) como os fregueses, e Irandhir Santos na pele do cozinheiro (Djair). Completam o elenco Humberto Carrão, Ariclenes Barroso, Thais Aguiar, Eduardo Gomes e Diego Avelino.

O ANIMAL CORDIAL teve sua estreia mundial no 21º Fantasia International Film Festival no Canadá, um dos mais tradicionais festivais dedicados a filmes fantástico, de horror, terror e demais subgêneros no mundo. Depois da estreia, seguiu para Sitges (Espanha), L’Etrange (França), Razor Reel Flanders Film Festival (Bélgica), dentre outros festivais que celebram o gênero do horror e do fantástico. No Brasil, foi exibido no Festival Internacional de Cinema do Rio, que deu a Murilo Benicio o prêmio de Melhor Ator; no Janela Internacional de Cinema do Recife; no Panorama Internacional Coisa de Cinema, em Salvador; no Rio Fantastik Festival, onde Gabriela Amaral Almeida levou o prêmio de melhor roteiro original,  e FantasPoa 2018, que premiou Luciana Paes e Gabriela Amaral Almeida como melhor atriz e melhor diretora.

Acompanhe mais novidades através das páginas oficiais do filme: Facebook O Animal Cordial

SINOPSE

Um restaurante de classe média em São Paulo é invadido, no fim do expediente, por dois ladrões armados. O dono do estabelecimento, o cozinheiro, uma garçonete e três clientes são rendidos. Entre a cruz e a espada, Inácio – o homem pacato, o chefe amistoso e cordial – precisa agir para defender seu restaurante e seus clientes dos assaltantes.

FICHA TÉCNICA

Direção e roteiro: Gabriela Amaral Almeida
Argumento: Gabriela Amaral Almeida e Luana Demange
Elenco: Murilo Benício, Luciana Paes, Ernani Moraes, Jiddu Pinheiro, Camila Morgado, Irandhir Santos, Humberto Carrão, Ariclenes Barroso, Thais Aguiar, Eduardo Gomes e Diego Avelino
Produtor: Rodrigo Teixeira
Co-produtor: Canal Brasil
Produção Executiva: Ana Kormanski, Daniel Pech e Raphael Mesquita
Direção de Fotografia: Barbara Alvarez
Direção de Arte: Denis Netto
Figurino: Diogo Costa
Maquiagem: André Anastácio
Som Direto: Gabriela Cunha
Diretora de Produção: Thais Morresi
Montador: Idê Lacreta
Desenho de som: Daniel Turini e Fernando Henna
Trilha Sonora: Rafael Cavalcanti
Supervisor de pós-produção: Henrique Viana
Idioma: Português
Gênero: Thriller/ Slasher/ Gore
Ano: 2017
País: Brasil
Classificação: 18 anos

SOBRE A DIRETORA

O ANIMAL CORDIAL é o primeiro projeto de longa-metragem de Gabriela Amaral Almeida. Diretora, roteirista e dramaturga, Gabriela é Mestre em literatura e cinema de horror pela UFBA (Brasil) com especialização em roteiro pela Escuela Internacional de Cine y TV (EICTV) de Cuba. Escreveu (e escreve) para outros diretores, como Walter Salles, Cao Hamburger e Sérgio Machado. Como diretora, realizou os curtas “Náufragos” (2010, co-dirigido com Matheus Rocha), “Uma Primavera” (2011), “A Mão que Afaga” (2012), “Terno” (2013, co-dirigido com Luana Demange) e “Estátua” (2014). O conjunto de seus curtas foi selecionado para mais de cem festivais nacionais e internacionais, tais como o Festival de Cinema de Brasília, o Festival Internacional de Cinema de Roterdã, o Festival de Curtas de Nova York, dentre outros. São destaque os prêmios recebidos por algumas destas obras, como os prêmios de melhor roteiro, melhor atriz (para Luciana Paes) e prêmio da crítica no 45o Festival de Cinema de Brasília para “A Mãoque Afaga”, e os prêmios de melhor atriz (para Maeve Jinkings) e melhor roteiro para “Estátua!”, nomesmo festival, dois anos depois. Com o seu projeto de longa-metragem “A Sombra do Pai”, foi selecionada para os laboratórios de Roteiro, Direção e Música e Desenho de Som do Sundance Institute. O projeto contou com a assessoria de Quentin Tarantino (“Pulp Fiction”), Marjane Satrapi (“Persépolis”), Robert Redford (“Butch Cassidy and the Sundance Kid”), dentre outros.

Seu mais recente trabalho como roteirista foi para o média-metragem “A Terra Treme”, drama ambientado na tragédia ambiental ocorrida em Mariana, Minas Gerais. Dirigido por Walter Salles, o curta integra uma antologia composta por cinco curtas, dirigidos por outros quatro diretores além de Salles: Aleksey Ferdochenko (Rússia), Madhur Bhandarkar (Índia), Jahmil X.T. Qubeka (África do Sul) e Jia Zhangke (China). O filme coletivo estreia no Festival de cinema BRICS, em Chengdu, na China, em junho deste ano (2017). Atualmente, trabalha no desenvolvimento de seu próximo longa-metragem, uma fábula de exorcismo (ainda sem título), a ser produzida também pela RT Features. Nos Estados Unidos, é agenciada pela WME.

Por Anna Barros
CCBB- SP apresenta a Mostra Monstros do Cinema

CCBB- SP apresenta a Mostra Monstros do Cinema

A mostra MONSTROS NO CINEMA faz um apanhado dos filmes de monstros que tanto aterrorizam ou encantam o público no mundo inteiro. A retrospectiva reúne os principais títulos já produzidos, entre vários estilos, períodos e nacionalidades, incluindo filmes realizados no Brasil. A mostra, que já aconteceu no Rio de Janeiro e Brasília, desembarca em São Paulo de 5 de setembro a 1º de outubro.

MONSTROS NO CINEMA será uma viagem pelo tempo para mostrar como a indústria cinematográfica criou e ainda hoje consegue manter um subgênero tão rentável. Desde o começo, na Alemanha, com GOLEM, passando pelos monstros clássicos dos estúdios Universal (DRÁCULA, FRANKENSTEIN, A MÚMIA, O LOBISOMEM), chegando no período da Guerra Fria e da ameaça nuclear de GODZILLA, incluindo os seres de outros planetas (ALIEN, O 8º PASSAGEIRO) e aqueles frutos dos nossos pesadelos (A HORA DO PESADELO) ou de experiências malsucedidas (A MOSCA). O Brasil estará representado com A MEIA NOITE LEVAREI SUA ALMA, do mestre José Mojica Marins, e MAR NEGRO, de Rodrigo Aragão, que revolucionou o gênero do horror brasileiro com suas produções. As crianças, quase sempre vítimas dessas criaturas soturnas, poderão ir sem medo conferir MONSTROS S.A. e A FESTA DO MONSTRO MALUCO. E a força desse subgênero se faz presente quando a própria indústria cinematográfica a reverência em obras como DEUSES & MONSTROS, O JOVEM FRANKENSTEIN e o recente sucesso A FORMA DA ÁGUA.

– Os monstros fazem parte do nosso imaginário desde a mais tenra infância. Sejam os monstros que se escondem debaixo de nossas camas, dentro do guarda-roupa ou aqueles que adentram os nossos quartos a noite com a simples missão de nos amedrontar. Seres sombrios, assustadores, disformes, os monstros nos acompanham durante toda a nossa vida. O cinema desde os seus primórdios usou a figura do monstro não só para contar narrativas de terror, mas também para usá-los como metáforas da sociedade. A mostra MONSTROS NO CINEMA reunirá vários desses seres que encontraram na sétima arte um espaço para serem conhecidos, refletir sobre a sociedade e principalmente, horrorizar a todos nós – explica o curador da mostra Breno Lira Gomes.

Serão 39 filmes, divididos em 59 sessões. Sendo que três delas (GREMILINS, A FORMA DA ÁGUA e DRÁCULA DE BRAM STOCKER) terão uma sessão com recursos de acessibilidade, além dos debates com o curador, nos dias 12 e 28 de setembro, de uma máster class no dia 22 e oficinas nos dias 15 e 29 de setembro.

FILMES:

Os clássicos:
O Golem, como veio ao mundo (1920, Alemanha, P&B, 68min, 14 anos)
Diretores: Paul Wegener e Carl Boese
Sinopse: Em meados do século 19, uma comunidade judaica, da cidade de Praga, é ameaçada por um decreto do imperador. Na tentativa de salvar seu povo da desgraça, o Rabino  Loew dá vida a um Golem.

Drácula (1931, EUA, P&B, 74 min, 12 anos)
Diretor: Tod Browning
Sinopse: Drácula é um conde vindo dos Cárpatos que aterroriza Londres por carregar uma maldição que o obriga a beber sangue humano para sobreviver. Após transformar uma jovem em vampira ele concentra suas atenções em uma amiga dela.

Frankenstein (1931, EUA, P&B, 70 min, 12 anos)
Diretor: James Whale
Sinopse: Henry Frankenstein, um cientista louco, vagueia à noite pelo cemitério na companhia de Fritz, um anão corcunda que é seu assistente. Frankenstein procura mortos e costura partes de diversos cadáveres

O médico e o monstro (1931, EUA, P&B, 98min, 16 anos)
Diretor: Rouben Mamoulian
Sinopse: Primeira versão sonora da história clássica de Robert Louis Stevenson, obra-prima de Mamoulian. Um médico testa uma fórmula que pode desencadear o mal interior das pessoas.

A múmia (1932, EUA, P&B, 73min, 12 anos)
Diretor: Karl Freund
Sinopse: Em 1921, uma expedição no Egito descobre a múmia do antigo príncipe Im-Ho-Tep, condenado e enterrado vivo por sacrilégio. Também no túmulo está o Pergaminho de Thoth, que pode trazer os mortos de volta.

O homem invisível (1933, EUA, P&B, 72min, 12 anos)
Diretor: James Whale
Um cientista que se dedicou à pesquisa em ótica, inventa uma maneira de mudar o índice de refração do corpo, de modo que não absorva nem reflita a luz, se tornando invisível.

A Noiva de Frankenstein (1935, EUA, P&B, 75 min, Livre)
Diretor: James Whale
Sinopse: Dr. Frankenstein e seu monstro retornam, pois não estavam mortos como inicialmente se acreditava. O pesquisador planeja parar suas demoníacas experiências, mas…

O lobisomem (1941, EUA, P&B, 70min, 12 anos)
Diretor: George Waggner
Sinopse: Depois da morte do irmão, Larry Talbot retorna para sua casa no País de Gales, para se reconciliar com o pai. Larry fica romanticamente interessado em Gwen Conliffe, que administra uma loja de antiguidades.

O fantasma da ópera (1943, EUA, Cor, 93min, 14 anos)
Diretor: Arthur Lubin
Sinopse: O violinista Claudin ama a incansável soprano operística Christine Dubois e secretamente auxilia sua carreira. Todavia Claudin mata uma editora de música num ataque de loucura e tem seu rosto deformado com ácido.

O monstro da lagoa negra (1954, EUA, P&B, 79min, Livre)
Diretor: Jack Arnold
Sinopse: Combinando o estilo monstro clássico com a ficção científica dos anos 1950, a história gira em torno de uma criatura meio humana, meio peixe, escondida nas profundezas da Amazônia.

Reinventando os clássicos
Drácula – O vampiro da Noite (1958, Reino Unido, Cor, 82 min, 16 anos)
Diretor: Terence Fisher
Sinopse: No século XIX na Alemanha, Jonathan Harker vai até o castelo do Conde Drácula, mesmo sendo advertido por sua esposa Lucy a não ir. Ao chegar lá ele é atacado por uma vampira.

Drácula de Bram Stocker (1992, EUA/Reino Unido/Romênia, Cor, 127min, 14 anos)
Diretor: Francis Ford Coppola
Sinopse: Baseado no romance homônimo. Em 1462, Vlad Dracula , um membro da Ordem do Dragão , retorna de uma vitória contra os turcos para encontrar sua esposa, Elisabeta, morta.

Um lobisomem americano em Londres (1983, EUA/Reino Unido, Cor, 97min, 18 anos)
Diretor: John Landis
Sinopse: Dois estudantes universitários americanos numa excursão a pé pela Grã-Bretanha são atacados por um lobisomem que nenhum dos habitantes locais admite existir.

A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça (1999, EUA, Cor, 105 min, 18 anos)
Diretor: Tim Burton                                                      
Sinopse: Em 1799, uma série de crimes envolvendo inocentes acontece no pequeno vilarejo de Sleepy Hollow. Para investigar o caso é chamado o detetive nova-iorquino Ichabod Crane.

Os malditos
Monstros (1932, EUA, P&B, 63min, 16 anos)
Diretor: Tod Browning
Sinopse: Baseado em elementos do conto ” Spurs “, de Tod Robbins, Freaks é um filme de terror pré-Código de 1932 da American MGM produzido e dirigido por Tod Browning.

A pequena Loja dos Horrores (1960, EUA, P&B, 72 min, 14 anos)                         
Diretor: Roger Corman                                                                                    
Sinopse: O submisso ajudante de floricultura Seymour é apaixonado pela colega de trabalho Audrey. Durante um eclipse, ele descobre uma planta incomum.

O vingador tóxico (1984, EUA, Cor, 82min, 18 anos)
Diretores: Lloyd Kaufman e Michael Herz                                                                                    
Sinopse: Esta é a história de Melvin, o faxineiro de Tromaville, que inadvertidamente confia nos membros hedonistas, desdenhosos e vaidosos do Clube da Saúde, a ponto de cair num tanque de lixo tóxico.

A mosca (1986, EUA/Reino Unido/Canadá, 96min, 14 anos)
Diretor: David Cronenberg                                                                         
Sinopse: A Mosca é um filme de terror e ficção científica, dirigido e co-escrito por David Cronenberg. Vagamente baseado num conto homônimo de 1957 do autor George Langelaan.

A hora do pesadelo (1986, EUA, Cor, 92min, 18 anos)
Diretor:  Wes Craven
Sinopse: A Hora do Pesadelo é um filme de terror e fantasia e primeiro de uma profícua série. Situado na cidade fictícia de Springwood, Ohio, mais especificamente na rua Elm.

Os gigantes
King Kong (1933, EUA, P&B, 94min, Livre)
Diretores: Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack                    
Sinopse: Uma expedição a uma ilha desconhecida e inexplorada, revela surpresas.

Godzilla (1954, Japão, P&B, 96min, 12 anos)                                                       
Diretor: Ishiro Honda                                                                                     
Sinopse: Japão em pânico depois que vários navios explodem e são afundados. No início, as autoridades pensam ser alguma atividade vulcânica submarina.

Tubarão (1975, EUA, Cor, 124min, 14 anos)                                                       
Diretor: Steven Spielberg                                                   
Sinopse: O novo chefe de polícia de Amity, uma cidade resort em Massachusetts, é chamado até a praia, onde o corpo mutilado de uma jovem é encontrado.

O hospedeiro (2006, Corea do Sul, Cor, 110min, 14 anos)                                                       
Diretor:  Bong Joon-ho                                                                                   
Sinopse: Resultado de malfadadas experiências nas águas do Rio Han, uma criatura gigante emerge do rio e parte para cima das pessoas. Mas a criatura não é apenas um perigo direto.

Cloverfield – monstro (2008, EUA, Cor, 90min, 14 anos)
Diretor:  Matt Reeves                                                                                    
Sinopse: Acompanhe cinco nova-iorquinos a partir da perspectiva de uma câmera de vídeo portátil. O filme ainda mostra pedaços de vídeo previamente gravados.

Os alienígenas 
Alien – O 8º passageiro (1979, EUA, Cor, 140min, 14 anos)                         
Diretor: Ridley Scott                                                                                     
Sinopse: A nave Nostromo cruza o espaço até um planeta desconhecido, onde algo misterioso está ocorrendo. Após investigar fatos estranhos sua tripulação retorna à bordo, contudo há alguém a mais com eles.

O enigma de outro mundo (1983, EUA, Cor, 109min, 16 anos)                         
Diretor: John Carpenter                                                                                 
Sinopse: Algo estranho está ocorrendo na Antártida, nosso continente gelado. Terrível demais para ser descrito em palavras, um monstro mata indistintamente quaisquer seres vivos que dele se aproximem.

Monstros & Crianças
A festa do monstro maluco (1967, EUA, Cor, 95min, Livre)
Diretor: Jules Bass                                                                                      
Sinopse: Cult comédia musical em stop motion, produzida pela Rankin/ Bass Productions. O barão Boris von Frankenstein (dublado no original por Boris Karloff) promove uma grande festa.

Gremlins (1984, EUA, Cor, 102min, Livre)
Diretor: Joe Dante                                                                                     
Sinopse: Um inventor fracassado visita Chinatown em busca de um presente de natal para seu filho. E numa espécie de antiquário, ele encontra uma criatura peluda e fofinha de nome Mogwai.

Monstros S.A (2001, EUA, Cor, 92min, Livre)                                                      
Diretor: Pete Docter                                                                                    
Sinopse: Uma cidade só de monstros, sem humanos chamada Monstropolis. Tudo corria na mais perfeita paz, até que um pequeno ciclope verde descobre o que acontece quando o mundo real interage com a dimensão deles.

Onde vivem os monstros (2009, EUA, Cor, 101min, 10 anos)                         
Diretor: Spike Jonze                                                                                          
Sinopse: Um jovem tem uma imaginação ativa, e costuma não aceitar qualquer contrariedade. Após um incidente com a irmã e por achar que sua mãe presta mais atenção no namorado, ele foge de casa.

Frankenweenie (2012, EUA, P&B, 87 min, 10 anos)                                                       
Diretor: Tim Burton                                                                                    
Sinopse: Victor adora fazer filmes caseiros de terror, quase sempre estrelados por seu cachorro Sparky. Quando o cão morre atropelado, Victor fica triste e inconformado.

Monstros Brasileiros 
À meia noite levarei sua alma (1964, Brasil, P&B, 81min, 16 anos)                         
Diretor: José Mojica Marins                                                      
Sinopse: Numa pequena cidade, o covarde coveiro Zé do Caixão é temido pelos habitantes locais. Ele vive com uma esposa estéril e obcecado por ter um filho, assedia a noiva de um amigo.

Mar negro (2014, Brasil, Cor, 92min, 18 anos)                                                       
Diretor: Rodrigo Aragão                                                      
Sinopse: Uma mancha negra atinge o litoral de um pequeno vilarejo no Brasil e traz uma estranha doença que transforma os animais marinhos em predadores assassinos.

Filmes homenagens
O jovem Frankenstein (1974, EUA, P&B, 105min, 10 anos)                                       
Diretor: Mel Brooks                                                                                    
Sinopse: Obra-prima de Mel Brooks. Um jovem neurocirurgião herda o castelo de seu avô, o famoso Dr. Victor von Frankenstein (ou quase isso). No castelo ele encontra um corcunda engraçado chamado Igor.

A pequena loja dos horrores (1986, EUA, Cor, 94min, 14 anos)                         
Diretor: Frank Oz                                                                                                 
Sinopse: Um órfão nerd de nome Seymour, trabalha numa loja de flores na área urbana de Skid Row em Los Angeles. Ele tem uma quedinha pela colega de trabalho Audrey e é vigiado de perto pelo patrão.

Deuses e monstros (1998, EUA/Reino Unido, Cor e P&B, 105min, 14 anos)
Diretor: Bil Condon                                                                                    
Sinopse: Os últimos dias na vida do ator e diretor James Whale. Após sofrer uma série de derrames e atormentado por lembranças do passado, suas relações promíscuas e um de seus maiores sucessos no cinema.

Sexta-feira 13 (2009, EUA, Cor, 97min, 18 anos)
Diretor: Marcus Nispel
Sinopse: Recriação do clássico de terror. Grupo de jovens vasculha Cristal Lake, em busca de uma moça desaparecida. Mal sabem eles que o mal está presente por lá, na figura de um assassino imortal: o terrível Jason Voorhees.

Círculo de fogo (2013, EUA, Cor, 132min, 12 anos)                                                       
Diretor: Guillermo del Toro                                                                                      
Sinopse: Drama de ação ambientado num futuro distante, quando a Terra está em guerra com os Kaiju, monstros marinhos colossais que emergiram de um portal interdimensional no fundo do Oceano Pacífico.

A forma da água (2017, EUA, Cor, 121min, 16 anos)                         
Diretor: Guillermo del Toro                                                        
Fábula sobrenatural com pano de fundo da época da Guerra Fria. Estados Unidos, ali por volta de 1962. No laboratório oculto de alta segurança do governo, experiências bizarras são realizadas.

PROGRAMAÇÃO SÃO PAULO

05 de setembro – quarta-feira

17h – Drácula (1931, 74min), de Tod Browning – 12 anos
19h45 – O golem, como ele veio ao mundo (1920, 68min), de Paul Wegener e Carl Boese – 14
anos

06 de setembro – quinta-feira

17h – Gremlins (1984, 102min), de Joe Dante – Livre SESSÃO COM AUDIODESCRIÇÃO
19h15 – O médico e o monstro (1931, 98min), de Rouben Mamoulian – 16 anos

07 de setembro – sexta-feira

17h – Sexta-feira 13 (2009, 97min), de Marcus Nispel – 18 anos
19h15 – A lenda do cavaleiro sem cabeça (1999, 105min), de Tim Burton – 18 anos

08 de setembro – sábado

15h – A festa do monstro maluco (1967, 95min), de Jules Bass – Livre
17h – A múmia (1932, 73min), de Karl Freund – 12 anos
19h – O lobisomem (1941, 70min), de George Waggner – 12 anos

09 de setembro – domingo

16h – O fantasma da ópera (1943, 93min), de Arthur Lubin – 14 anos
18h – O homem invisível (1933, 72min), de James Whale – 12 anos
10 de setembro – segunda-feira

17h – A pequena loja dos horrores (1986, 94min), de Frank Oz – 14 anos
19h45 – A pequena loja dos horrores (1960, 72min), de Roger Corman – 14 anos

12 de setembro – quarta-feira

15h30 – A forma da água (2017, 121min), de Guillermo del Toro – 16 anos SESSÃO COM
LEGENDA DESCRITIVA
18h – Monstros (Freaks) (1932, 63min), de Tod Browning – 16 anos
19h15 – Debate CINEMA & MONSTROS: UMA HISTÓRIAS DE AMOR, com o curador Breno Lira
Gomes, o cineasta Marco Dutra e a pesquisadora Laura Loguercio Cánepa (Com intérprete de
Libras)

13 de setembro – quinta-feira

15h – A múmia (1932, 73min), de Karl Freund – 12 anos
17h – O lobisomem (1941, 70min), de George Waggner – 12 anos
19h15 – Um lobisomem americano em Londres (1983, 97min), de John Landis – 18 anos

14 de setembro – sexta-feira

15h – A hora do pesadelo (1986, 92min), de Wes Craven – 18 anos
17h – Mar negro (2014, 92min), de Rodrigo Aragão – 18 anos
19h15 – A meia noite levarei sua alma (1964, 81min), de José Mojica Marins – 16 anos

15 de setembro – sábado

10h – Oficina de Caracterização e Maquiagem
15h – King Kong (1933, 94min), Merian Caldwell Cooper e Ernest B. Schoedsack – Livre
17h – O monstro da lagoa negra (1954, 79min), de Jack Arnold – Livre
18h30 – A forma da água (2017, 121min), de Guillermo del Toro – 16 anos

16 de setembro – domingo

14h- Drácula (1931, 74min), de Tod Browning – 12 anos
16h – Drácula – O vampiro da noite (1958, 82min), de Terence Fisher – 16 anos
18h – Drácula de Bram Stocker (1992, 127min), de Francis Ford Coppola – 14 anos

17 de setembro – segunda-feira

17h – Frankenstein (1931, 70min), de James Whale – 12 anos
19h15 – Onde vivem os monstros (2009, 101min), de Spike Jonze – 10 anos

19 de setembro – quarta-feira

16h30 – Círculo de fogo (2013, 132min), de Guillermo del Toro – 12 anos
19h – O hospedeiro (2007, 110min), de Bong Joon-ho – 14 anos

20 de setembro – quinta-feira

15h – Um lobisomem americano em Londres (1983, 97min), de John Landis – 18 anos
17h – A mosca (1986, 96min), de David Cronenberg – 14 anos
19h30 – O vingador tóxico (1984, 82min), de Lloyd Kaufman e Michael Herz – 18 anos

21 de setembro – sexta-feira

15h – Cloverfield – monstro (2008, 90min), de Matt Reeves – 14 anos
17h – King Kong (1933, 94min), Merian Caldwell Cooper e Ernest B. Schoedsack – Livre
19h15 – Godzilla (1954, 96min), de Ishirô Honda – 12 anos

22 de setembro – sábado

10h – master class Da natureza dos monstros: o fascínio do gênero horror no cinema
15h30 – Monstros S.A (2001, 92min), de Pete Docter – Livre
17h20 – A pequena loja dos horrores (1986, 94min), de Frank Oz – 14 anos
19h15 – Gremlins (1984, 102min), de Joe Dante – Livre

23 de setembro – domingo

14h – Onde vivem os monstros (2009, 101min), de Spike Jonze – 10 anos
16h – O jovem Frankenstein (1974, 105min), de Mel Brooks – 10 anos
18h – Deuses e monstros (1998, 105min), de Bil Condon – 14 anos

24 de setembro – segunda-feira

17h30 – A noiva de Frankenstein (1935, 75min), de James Whale – Livre
19h – Tubarão (1975, 124min), Steven Spielberg – 14 anos

26 de setembro – quarta-feira

16h – O enigma de outro mundo (1983, 109min), de John Carpenter – 16 anos
18h30 – Alien – O 8º passageiro (1979, 140min), de Ridley Scott – 14 anos

27 de setembro – quinta-feira

16h30 – Drácula de Bram Stocker (1992, 127min), de Francis Ford Coppola – 14 anos SESSÃO
COM INTERPRETAÇÃO EM LIBRAS
19h30 – Drácula – O vampiro da noite (1958, 82min), de Terence Fisher – 16 anos

28 de setembro – sexta-feira

15h30 – O monstro da lagoa negra (1954, 79min), de Jack Arnold – Livre
17h15 – Cloverfield – monstro (2008, 90min), de Matt Reeves – 14 anos
19h – Debate DE ONDE NASCEM OS MONSTROS? Com o curador Breno Lira Gomes, a crítica
Flávia Guerra e o pesquisador Carlos Primati

29 de setembro – sábado

10h – Oficina de Caracterização e Maquiagem
15h – Frankenweenie (2012, 87min), de Tim Burton – 10 anos
17h – Frankenstein (1931, 70min), de James Whale – 12 anos
19h – A noiva de Frankenstein (1935, 75min), de James Whale – Livre

30 de setembro – domingo

14h – O enigma de outro mundo (1983, 109min), de John Carpenter – 16 anos
16h30 – A mosca (1986, 96min), de David Cronenberg – 14 anos
18h30 – A hora do pesadelo (1986, 92min), de Wes Craven – 18 anos

01 de outubro – segunda

15h – Alien – O 8º passageiro (1979, 140min), de Ridley Scott – 14 anos
19h15 – Mar negro (2014, 92min), de Rodrigo Aragão – 18 anos

Sobre o Curador
A curadoria da mostra MONSTROS NO CINEMA está a cargo de Breno Lira Gomes. Jornalista e produtor cultural mineiro, residente no Rio de Janeiro, com passagens pelo curso de cinema da Universidade Estácio de Sá, pela Pipa Produções, pelo Ponto Cine e pela Mostra Geração do Festival do Rio. É curador dos festivais Curta Cabo Frio e Maranhão na Tela desde 2007. Assinou a curadoria e coordenação geral das mostras El Deseo – O apaixonante cinema de Pedro Almodóvar; Cacá Diegues – Cineasta do Brasil; Simplesmente Nelson; A luz (imagem) de Walter Carvalho; O maior ator do Brasil – 100 anos de Grande Othelo; e Pérola Negra: Ruth de Souza. Foi curador e produtor executivo do projeto É Massa! 1ª Mostra do Cinema de Pernambuco. É produtor executivo da mostra Os Melhores Filmes do Ano da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ) desde 2010. Foi produtor executivo das mostras Irmãos Coen – Duas mentes brilhantes; Filmes à mesa; Dario Argento e seu mundo de horror; James Dean – Eternamente jovem; Claudio Pazienza, o encontro que nos move; Neville d’Almeida – Cronista da beleza e do caos; Cine Doc Fr – Mostra de Cinema Documentário Francês Contemporâneo; Carlos Reichenbach – O cinema de autor brasileiro; George A. Romero – A crônica social dos mortos-vivos; O Cinema de Murilo Salles – O Brasil em cada plano; Cine Uruguai; Luís Buñuel – Vida e obra e do curso Questão de Crítica. Coordenou a produção do Curso de Crítica Cinematográfica com Mario Abbade e das mostras John Waters – O papa do trash; Jornada nas Estrelas: Brasil – A fronteira final; David Lynch – O lado sombrio da alma e a 1ª Mostra Cine Literário. Fez a direção de produção do 18º Festival Brasileiro de Cinema Universitário. Foi pesquisador do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, realizado anualmente pela Academia Brasileira de Cinema, entre 2012 e 2016.

SERVIÇO:
Mostra MONSTROS NO CINEMA
Patrocínio: Banco do Brasil
Produção e Curadoria: Breno Lira Gomes
Realização: Centro Cultural Banco do Brasil

Data: 05 de setembro a 01 de outubro
Todos os ingressos: gratuitos

‘Bumblebee’ ganha cartaz internacional

‘Bumblebee’ ganha cartaz internacional

Hailee Steinfeld in BUMBLEBEE, from Paramount Pictures.

Distribuído pela Paramount Pictures, filme com Hailee Steinfeld e John Cena estreia dia 25 de dezembro

A Paramount Pictures acaba de divulgar o primeiro cartaz internacional de Bumblebee, que estreia dia 25 de dezembro. O spin-off da franquia de sucesso Transformers acompanha a aventura solo do personagem na Califórnia dos anos 80.

Produzido por Michael Bay e Lorenzo Di Bonaventura, Bumblebee é dirigido por Travis Knight (Kubo e a Espada Mágica) e estrelado por Hailee Steinfeld (Bravura Indômita, Quase 18) e John Cena (Pai em Dose Dupla 2, Descompensada).