Tv Globo tem seis indicações ao Emmy Internacional

Tv Globo tem seis indicações ao Emmy Internacional

A Globo tem seis nomes indicados ao prêmio Emmy Internacional, considerado o Oscar da TV mundial. A lista completa foi anunciada nesta quarta-feira (27). No total, são 44 indicados de 18 países entre as 11 categorias. A emissora concorre em cinco categorias.

Adriana Esteves vai concorrer como Melhor Atriz por seu trabalho na série “Justiça”, onde interpretou a personagem Fátima. “Justiça”, de Manuela Dias e direção artística de José Luiz Villamarim, aparece também na disputa pelo prêmio de Melhor Série Dramática.

O programa “Tá no Ar” concorre como Melhor Comédia. A redação da atração tem entre seus nomes os atores Marcius Melhem e Marcelo Adnet. Já “Alemão” disputa para Melhor Filme/minissérie para TV.

Entre os quatro indicados para categoria Telenovela, duas são da emissora: “Totalmente Demais” – escrita por Rosane Svartman e Pailo Halm – e “Velho Chico” – de Benedito Ruy Barbosa.

Adriana Esteves na série Adriana Esteves na série

Adriana Esteves na série “Justiça” (Foto: Globo/Estevam Avellar)

O Brasil concorre em outras três categorias do prêmio. “Porta dos Fundos” tenta o prêmio de Melhor Programa Artístico; e “Crime Time” (Studio + / John Doe Productions / 22H22) concorre a Melhor Série de Curta Duração; e Julio Andrade pode levar o prêmio de Melhor Ator por seu trabalho em “Um Contra Todos”.

Os vencedores do Emmy Internacional serão anunciados em 20 de novembro, em uma cerimônia de gala que sera realizada em Nova York.

Veja a lista dos indicados nas categorias em que o Brasil concorre:

Melhor atriz

  • Adriana Esteves em “Justiça” – Brasil
  • Anna Friel em “Marcella” – Reino Unido
  • Sonja Gerhardt em “Ku’damm 56” – Alemanha
  • Thuso Mbedu em “Is’thunzi” – África do Sul

Comédia

  • “Alan Partridge’s Scissored Isle” – Reino Unido
  • “Callboys” – Bélgica
  • “Rakugo The Movie” – Japão
  • “Tá No Ar: a TV na TV” – Brazil

Série Dramática

  • “Justiça” – Brazil
  • “Mammon II” – Noruega
  • “Moribito: Guardian of the Spirit” – Japão
  • “Wanted” – Austrália

Telenovela

  • “30 Vies – Isabelle Cousineau” – Canadá
  • “Kara Sevda” – Turquia
  • “Totalmente Demais” – Brasil
  • “Velho Chico” – Brasil

Melhor Filme/minissérie para TV

  • “Alemão” – Brasil
  • “Ne m’abandonne pas” – França
  • “Reg” – Reino Unido
  • “Tokyo Trial” – Japão

Série de curta duração

  • “Ahi Afuera” – Argentina
  • “The Amazing Gayl Pile” – Canadá
  • “Crime Time” – Brasil
  • “Familie Braun” – Alemanha

Melhor Programa Artístico

  • “Hip-Hop Evolution – The Foundation” – Canadá
  • “Never-Ending Man: Hayao Miyazaki” – Japão
  • “Portátil (Porta dos Fundos)” – Brasil
  • “Robin de Puy – Ik ben het allemaal zelf” – Holanda

Melhor ator:

  • Julio Andrade em “Um Contra Todos” – Brasil
  • Kenneth Branagh em “Wallander” – Reino Unido
  • Zanjoe Marudo em “Maalaala Mo Kaya” – Filipinas
  • Kad Merad em “Baron Noir” – França

Fonte: Portal G1

Por Anna Barros

Anúncios
“Que horas ela volta?” é o vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

“Que horas ela volta?” é o vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

que-horas-ela-voltaQue horas ela volta? foi o grande vencedor do GP do Cinema Brasileiro, cujos troféus foram entregues na noite desta terça, dia 4, no Theatro Municipal do Rio com sete. Chatô, o Rei do Brasil, o polêmico filme dirigido por Guilherme Fontes venceu em cinco categorias.

Que horas ela volta? é um dos melhores filmes da safra brasileira que tem cada vez mais se especializado em contar grandes histórias e premiou o talento de Regina Casé como atriz. Ela levou o troféu Grande Otelo para casa, com merecida justiça.

O grande homenageado da noite foi Daniel Filho por sua contribuição ao cinema, principalmente com os campeões de bilheteria Se eu fosse você 1 e 2.

Além de Regina, Camila Márdila venceu o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante, também por Que horas ela volta?

Os vencedores nas diversas categorias foram:

Melhor longa-metragem de ficção
“A história da eternidade”, de Camilo Cavalcanti
“Ausência”, de Chico Teixeira
“Califórnia”, de Marina Person
“Casa grande”, de Fellipe Gamarano Barbosa
“Chatô – O rei do Brasil”, de Guilherme Fontes
“Que horas ela volta?”, de Anna Muylaert
“Sangue Azul”, de Lírio Ferreira
“Tudo que aprendemos juntos”, de Sérgio Machado

Melhor longa-metragem documentário
“Betinho, a esperança equilibrista”, de Victor Lopes
“Campo de jogo”, de Eryk Rocha
“Cássia Eller”, de Paulo Henrique Fontenelle
“Chico – Artista brasileiro”, de Miguel Faria Jr
“Últimas conversas”, de Eduardo Coutinho

Melhor longa-metragem comédia
“Infância”, de Domingos Oliveira
“Pequeno dicionário amoroso 2”, de Sandra Werneck
“S.O.S. mulheres ao mar 2”, de Cris D’Amato
“Sorria, você está sendo filmado”, de Daniel Filho
“Super pai”, de Pedro Amorim

Melhor longa-metragem animação
Até que a Sbórnia nos separe”, de Otto Guerra
“Ritos de passagem”, de Chico Liberato

Melhor direção
Anna Muylaert (“Que horas ela volta?”)
Camilo Cavalcanti (“A história da eternidade”)
Chico Teixeira (“Ausência”)
Daniel Filho (“por Sorria, você esta sendo filmado”)
Eduardo Coutinho (“Últimas conversas”)
Eryk Rocha (“Campo de jogo”)
Fellipe Gamarano Barbosa (“Casa grande”)

Melhor atriz
Alice Braga (“Muitos homens num só”)
Andréa Beltrão (“Chatô – O rei do Brasil”)
Dira Paes (“Órfãos do Eldorado”)
Fernanda Montenegro (“Infância”)
Marcélia Cartaxo (“A história da eternidade”)
Regina Casé (“Que horas ela volta?”)

Melhor ator
Daniel de Oliveira (“A estrada 47”)
Irandhir Santos (“Ausência”)
João Miguel (“A hora e a vez de Augusto Matraga”)
Lázaro Ramos (“Tudo que aprendemos juntos”)
Marco Ricca (“Chatô – O rei do Brasil”)

Melhor atriz coadjuvante
Camila Márdila (“Que horas ela volta?”)
Fabiula Nascimento (“Operações especiais”)
Georgiana Goes (“Casa grande”)
Karine Teles (“Que horas ela volta?”)
Leandra Leal (“Chatô – O rei do Brasil”)

Melhor ator coadjuvante
Ângelo Antônio (“A floresta que se move”)
Chico Anysio (“A hora e a vez de Augusto Matraga”)
Claudio Jaborandy (“A história da eternidade”)
Lourenço Mutarelli (“Que horas ela volta?”)
Marcello Novaes (“Casa grande”)

Melhor direção de fotografia (empate)
Adrian Teijido (“Órfãos do Eldorado”)
Bárbara Alvarez (“Que horas ela volta?”)
José Roberto Eliezer (“Chatô – O rei do Brasil”)
Lula Carvalho (“A hora e a vez de Augusto Matraga”)
Mauro Pinheiro Jr (“Sangue azul”)

Melhor roteiro original
Adirley Queirós (“Branco sai, preto fica”)
Anna Muylaert (“Que horas ela volta?”)
Camilo Cavalcanti (“A história da eternidade”)
Fellipe Gamarano Barbosa e Karen Sztajnberg (“Casa grande”)
Vicente Ferraz (“A estrada 47”)

Melhor roteiro adaptado
Domingos de Oliveira (“Infância”)
Guilherme Coelho (“Orfãos do Eldorado”)
Guilherme Fontes, João Emanuel Carneiro e Matthew Robbins (“Chatô – O rei do Brasil”)
Lusa Silvestre e Marcelo Rubens Paiva (“Depois de tudo”)
Manuela Dias e Vinícius Coimbra (“A hora e a vez de Augusto Matraga”)
Marcos Jorge (“O duelo”)

Melhor direção de arte
Ana Mara Abreu (“Califórnia”)
Ana Paula Cardoso (“Casa grande”)
Gualter Pupo (“Chatô – O rei do Brasil”)
Julia Tiemann (“A história da eternidade”)
Juliana Carapeba (“Sangue azul”)
Marcos Pedroso e Thales Junqueira (“Que horas ela volta?”)

Melhor figurino
André Simonetti e Claudia Kopke (“Que horas ela volta?”)
Beth Pilipecki e Reinaldo Machado (“A hora e a vez de Augusto Matraga”)
Elisabetta Antico (“A estrada 47”)
Gabriela Campos (“Casa grrande”)
Letícia Barbieri (“Califórnia”)
Rita Murtinho (“Chatô – O rei do Brasil”)

Melhor maquiagem
Anna Van Steen (“Califórnia”)
Auri Mota (“Casa grande”)
Federico Carrette e Vicenzo Mastrantonio (“A estrada 47”)
Maria Lucia Mattos e Martín Macias Trujillo (“Chatô – O rei do Brasil”)
Tayce Vale e Vavá Torres (“A hora e a vez de Augusto Matraga”)

Melhor efeito visual
Bernardo Alevato e Isadora Hertz (“Órfãos do Eldorado”)
Guilherme Ramano (“Que horas ela volta?”)
Marcelo Siqueira (“Linda de morrer”)
Marcos Cidreira “Chatô – O rei do Brasil”)
Robson Sartori (“A estrada 47”)

Melhor montagem ficção
Alexandre Boechat (“A hora e a vez de Augusto Matraga”)
Felipe Lacerda e Umberto Martins (“Chatô – O rei do Brasil”)
Karen Harley (“Órfãos do Eldorado”)
Karen Harley (“Que horas ela volta?”)
Mair Tavares (“A estrada 47”)

Melhor montagem documentário
Carlos Nader e André Braz (“Homem comum”)
Diana Vasconcellos (“Chico – Artista brasileiro”)
Paulo Henrique Fontenelle (“Cássia Eller”)
Pedro Asbeg, EDT e Victor Lopes (“Betinho, a esperança equilibrista”)
Rodrigo Pastore (“Cauby – Começaria tudo outra vez”)

Melhor som
Acácio Campos, Bruno Armelim, Gabriela Cunha, Júlio César, Eric Ribeiro Christani e Caetano Cotrim (“Cássia Eller”)
Bruno Fernandes e Rodrigo Noronha (“Chico – Artista brasileiro”)
Evandro Lima, Waldir Xavier e Damião Lopes (“Casa grande”)
Gabriela Cunha, Miriam Biderman, ABC, Ricardo Reis e Paulo Gama (“Que horas ela volta?”)
José Moreau Louzeiro e Aurélio Dias (“A hora e a vez de Augusto Matraga”)
Mark Van Der Willigen, Marcelo Cyro, Pedro Lima e Sérgio Fouad (“Chatô – O rei do Brasil”)

Melhor trilha sonora original
Alexandre Guerra e Felipe de Souza (“Tudo que aprendemos juntos”)
Alexandre Kassin (“Ausência”)
Fábio Trummer e Vitor Araújo (“Que horas ela volta?”)
Patrick Laplan e Victor Camelo (“Casa grande”)
Zbgniew Preisner (“A história da eternidade”)
Zeca Baleiro (“Oração do amor selvagem”)

Melhor trilha sonora
Los Hermanos (“Esse é só o começo do fim das nossas vidas”)
Luiz Claudio Ramos, a partir da obra de Chico Buarque (“Chico – Artista brasileiro”)
Luiz Avellar (“A estrada 47”)
Nelson Hoineff, a partir da obra de Cauby Peixoto (“Cauby – Começaria tudo outra vez”)
Paulo Henrique Fontenelle, a partir da obra de Cássia Eller (“Cássia Eller”)

Melhor longa-metragem estrangeiro
“Birdman ou (A inesperada virtude da ignorância)”, de Alejandro G. Iñarritu
“Leviatã”, de Andrey Zvyagintsev
“O sal da terra”, de Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado
“Olmo e a gaivota”, de Petra Costa e Lea Glob
“Whiplash – Em busca da perfeição”, de Damien Chazell

Melhor curta-metragem de animação
“Até a China”, de Marão
“Égun”, de Helder Quiroga
“Giz”, de Cesar Cabral
“O quebra-cabeça de Tárik”, de Maria Leite
“Virando gente”, de Analúcia Godoi

Melhor curta-metragem documentário
“A festa dos cães”, de Leonardo Mouramateus
“Cordilheira de amora II”, de Jamille Fortunato
“De profundes”, de Isabela Cribari
“Entremundo”, de Renata Jardim e Thiago B. Mendonça
“Retrado de Carmen D.”, de Isabel Joffily
“Uma família ilustre”, de Beth Formaggini
“Praça de guerra”, de Edimilson Gomes

Melhor curta-metragem ficção
“História de uma pena”, Leonardo Mouramateus
“Loïe e Lucy”, de Isabella Raposo e Thiago Brito
“Outubro acabou”, de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes
“Quintal”, Andrés Novais
“Rapsódia de um homem negro”, de Gabriel Martins

Crédito da foto: Divulgação

Por Anna Barros

Vencedores do Prêmio Platino

Vencedores do Prêmio Platino

 

ciro_guerra

 

Em noite de entrega do Prêmio Platino, que consagrou O Abraço da Serpente, no Uruguai, Ricardo Darin foi homenageado com um prêmio especial pelo conjunto da obra e Que horas ela volta?, de Anna Mulayert, levou um prêmio fora de competição.

Veja abaixo os ganhadores dos Prêmios Platino de Cinema Ibero-Americano:
Melhor filme
“O abraço da serpente” (Colômbina, Venezuela e Argentina)

Melhor diretor

Ciro Guerra (“O abraço da serpente”)

Melhor ator

Guillermo Francella (“O clã”)

Melhor atriz

Dolores Fonzi (“Paulina”)

Melhor roteiro

Pablo Larraín, Guillermo Calderón e Daniel Villalobos (“O clube”)

Melhor animação
“Atrapa la bandera” (Espanha)

Melhor documentário

“El botón de nácar” (Chile e Espanha)

Melhor edição

Etienne Boussac e Cristina Gallego (“O abraço da serpente”)

Melhor direção de arte
Angélica Perea (“O abraço da serpente”)

Melhor direção de fotografia
Carlos García e Marco Salavarria (“O abraço da serpente”)

Melhor música original

Nascuy Linares (“O abraço da serpente”)

Melhor direção de som
Carlos García e Marco Salaverría (“O abraço da serpente”)
Prêmio Platino Camilo Vives a longa de estreia de seu diretor

“Ixcanul” (Guatemala)

Crédito da foto: Reuters

 

Por Anna Barros

Em seu segundo ano, festival “É Tudo Verdade” qualifica curtas para o Oscar

Em seu segundo ano, festival “É Tudo Verdade” qualifica curtas para o Oscar

logo-do-festival-e-tudo-verdade-1459966762973_615x470O festival “É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários” está em seu segundo ano em ação e qualificará os vencedores das categorias brasileira e internacional de curtas-metragens para a disputa do Oscar de Melhor Documentário de Curta-Metragem, sem que precisem passar pelo circuito de cinema.

Os curtas precisam cumprir os requisitos da Academia. Além de se tornarem elegíveis, os vencedores ganham prêmios em dinheiro e um troféu.

Ao todo, nove produções estão na competição brasileira e outras nove estão na competição internacional.
Confira aqui os filmes:

Competição Brasileira de Curtas-Metragens:

. A Culpa É da Foto (Dir.: Eraldo Peres, André Dusek e Joédson Alves, Brasil-DF, 15′, 2015)

. Abissal (Dir.: Arthur Leite, Brasil-CE, 17′, 2016)

. Aqueles Anos em Dezembro (Dir.: Felipe Arrojo Poroger, Brasil-SP, 19′, 2016)

. Buscando Helena (Dir.: Roberto Berliner e Ana Amélia Macedo, Brasil-RJ, 22′, 2016)

. Fora de Quadro (Dir.: Txai Ferraz, Brasil-PE, 21′, 2016)

. O Oco da Fala (Dir.: Miriam Chnaiderman, Brasil-SP, 17′, 2016)

. Praça de Guerra (Dir.: Edi Junior, Brasil-PB, 19′, 2015)

. SEM TÍTULO # 3: E para que poetas em tempo de pobreza?(Dir.: Carlos Adriano, Brasil-SP, 14′, 2016)

. Vida Como Rizoma (Dir.: Lisi Kieling, Brasil-RS, 14′, 2016)

 

Competição Internacional de Curtas-Metragens:

. A Glória de Fazer Cinema em Portugal (Dir.: Manuel Mozos, Portugal, 16′, 2015)

. A Visita (Dir.: Pippo Delbono, França, 22′, 2015)

. Caracóis (Dir.: Grzegorz Szczepaniak, Polônia, 30′, 2015)

. Carmen (Dir.: Mariano Samengo, Argentina, 16′, 2015)

. Cosmopolitanismo (Dir.: Erik Gandini, Suécia, 17′, 2015)

. Eu Tenho Uma Arma (Dir.: Ahmad Shawar, Palestina, 20′, 2015)

. Fatima (Dir.: Nina Khada, Alemanha, 19′, 2015)

. Munique ’72 e Além (Dir.: Stephen Crisman, EUA, 29′, 2016)

. O Atirador de Elite de KObani (Dir.: Reber Dosky, Holanda, 12′, 2015)

Por Lívia Lima

Sócrates, o Artista é selecionado para festival

Sócrates, o Artista é selecionado para festival

socratesO documentário Sócrates, o Artista, de Martin Aisntein, foi selecionado para passar no Festival de Bilbao, na Espanha, na próxima segunda-feira, dia 11 de abril.

Sócrates foi um dos maiores jogadores que o Brasil teve, dentro e fora dos campos, destacando-se no Corinthians, no Flamengo e fazendo parte da genial seleção de 82 que preencheu o imaginário dos aficcionados por futebol como uma das melhores seleções de todos os tempos. Além de jogador, era médico.

Há depoimentos de Raí, seu irmão também ex-jogador, seu filho Gustavo, gerente de futebol do São Paulo, Juca Kfouri, jornalista e amigo do mítico camisa 8, dentre outros.

 

 

Indicados ao MTV Movie Awards 2016

Indicados ao MTV Movie Awards 2016

A cerimônia de premiação acontece no dia 10 de abril. O público é quem escolhe os vencedores.

O filme “Star Wars: O Despertar da Força” é o que tem mais indicações. São 11 ao todo.

2016-MTV-Movie-Awards

Lista de indicados:

Melhor Filme:
Jurassic World
Star Wars: O Despertar da Força
Vingadores: Era de Ultron
Creed – Nascido Para Lutar
Deadpool
Straight Outta Compton
Filme Baseado em Fatos:
Um Homem Entre Gigantes
Joy: O Nome do Sucesso
Steve Jobs
Straight Outta Compton
A Grande Aposta
O Regresso
Melhor Atriz:
Alicia Vikander – Ex Machina
Anna Kendrick – A Escolha Perfeita 2
Charlize Theron – Mad Max: Estrada da Fúria
Daisy Ridley – Star Wars: O Despertar da Força
Jennifer Lawrence – Joy: O Nome do Sucesso
Morena Baccarin – Deadpool
Melhor Ator:
Chris Pratt – Jurassic World
Leonardo DiCaprio – O Regresso
Matt Damon – Perdido em Marte
Michael B. Jordan – Creed – Nascido Para Lutar
Ryan Reynolds – Deadpool
Will Smith – Um Homem Entre Gigantes
Melhor Revelação:
Amy Schumer – Descompensada
Brie Larson – O Quarto de Jack
Daisy Ridley – Star Wars: O Despertar da Força
Dakota Johnson – 50 Tons de Cinza
John Boyega – Star Wars: O Despertar da Força
O’Shea Jackson Jr. – Straight Outta Compton
Melhor Atuação Cômica:
Amy Schumer – Descompensada
Kevin Hart – Policial em Apuros 2
Melissa McCarthy – A Espiã Que Sabia de Menos
Rebel Wilson – A Escolha Perfeita 2
Ryan Reynolds – Deadpool
Will Ferrell – O Durão
Melhor Performance em Filme de Ação:
Chris Pratt – Jurassic World
Dwayne Johnson – Terremoto: A Falha de San Andreas
Jennifer Lawrence – Jogos Vorazes: A Esperança – O Final
John Boyega – Star Wars: O Despertar da Força
Ryan Reynolds – Deadpool
Vin Diesel – Velozes e Furiosos 7
Melhor Herói:
Charlize Theron – Mad Max: Estrada da Fúria
Chris Evans – Vingadores: Era de Ultron
Daisy Ridley – Star Wars: O Despertar da Força
Dwayne Johnson – Terremoto: A Falha de San Andreas
Jennifer Lawrence – Jogos Vorazes: A Esperança – O Final
Paul Rudd – Homem-Formiga
Melhor Vilão:
Adam Driver – Star Wars: O Despertar da Força
Ed Skrein – Deadpool
Hugh Keays-Byrne – Mad Max: Estrada da Fúria
James Spader – Vingadores: Era de Ultron
Samuel L. Jackson – Kingsman: Serviço Secreto
Tom Hardy – O Regresso
Melhor Atuação em Captura de Movimentos:
Amy Poehler – Divertida Mente
Andy Serkis – Star Wars: O Despertar da Força
Jack Black – Kung Fu Panda 3
James Spader – Vingadores: Era de Ultron
Lupita Nyong’o – Star Wars: O Despertar da Força
Seth MacFarlane – Ted 2
Melhor Elenco:
Vingadores: Era de Ultron
Velozes e Furiosos 7
A Escolha Perfeita 2
Star Wars: O Despertar da Força
Jogos Vorazes: A Esperança – O Final
Descompensada
Melhor Beijo:
Amy Schumer & Bill Hader – Descompensada
Dakota Johnson & Jamie Dornan – 50 Tons de Cinza
Leslie Mann & Chris Hemsworth – Férias Frustradas
Margot Robbie & Will Smith – Golpe Duplo
Morena Baccarin & Ryan Reynolds – Deadpool
Rebel Wilson & Adam DeVine – A Escolha Perfeita 2
Melhor Luta:
Deadpool (Ryan Reynolds) vs. Ajax (Ed Skrein) – Deadpool
Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) vs. Urso – O Regresso
Imperatriz Furiosa (Charlize Theron) vs. Max Rockatansky (Tom Hardy) – Mad Max: Estrada da Fúria
Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) vs. Hulk (Mark Ruffalo) – Vingadores: Era de Ultron
Rey (Daisy Ridley) vs. Kylo Ren (Adam Driver) – Star Wars: O Despertar da Força
Susan Cooper (Melissa McCarthy) vs. Lia (Nargis Fakhri) – A Espiã Que Sabia de Menos
Melhor Documentário:
Amy
Cartel Land
Malala
The Hunting Ground
The Wolfpack
What Happened, Miss Simone?
Por: Vitor Arouca
O Quarto De Jack lidera o Canadian Screen Awards

O Quarto De Jack lidera o Canadian Screen Awards

A premiação aconteceu nesse domingo, dia 13, e o ganhador do Oscar O Quarto De Jack dominou o evento: foi indicado a onze categorias.

room_day40-0056_rgb_-_h_2015

Das onze indicadas, o filme levou nove, incluindo o de Melhor Diretor e Melhor Filme para Lenny Abrahamson, o de Melhor Atriz para Brie Larson (que também levou o Oscar da mesma categoria esse ano), e o de melhor ator para Jacob Tremblay, o pequeno grande ator de 9 anos que também foi indicado ao Oscar, mas não levou.

“Uau, isso é incrível! Não acredito que essa criança acabou de ganhar um prêmio concorrendo com tantos adultos talentosos.” disse o prodígio em seu discurso ao receber o prêmio.

O filme, que foi filmado na maior parte do tempo em terras canadendes, levou também os prêmios de Direção de Arte, Edição, Maquiagem e Melhor Roteiro Adaptado para Emma Donoghue.

O Canadian Screen Awards, organizado pela Acadêmia Canadense de Filmes e TV, só foi exibido na CBC do país.

Por Lívia Lima