Poltrona Cabine: O Animal Cordial/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: O Animal Cordial/ Cesar Augusto Mota

Dizer que o cinema brasileiro envereda somente pelo lado da comédia e do drama é algo que há algum tempo caiu por terra. Fazer um filme do gênero terror e capaz de causar calafrios no espectador realmente não é para qualquer um, mas temos uma produção que vai ter isso e muito mais. O longa ‘O Animal Cordial’, da cineasta baiana Gabriela Amaral Almeida segue essa linha e com uma proposta definida: utilizar de elementos um tanto brutais para ilustrar as atrocidades que vivemos a cada dia e que nossa sociedade está ainda mais violenta.

A história se passa em um restaurante, cujo dono, o empresário Inácio (Murilo Benício), o administra a mão de ferro, com bastante autoritarismo e não admitindo contestações. Os empregados demonstram um certo incômodo, principalmente o chef Djair (Irandhir Santos), que vive reclamando pelos cantos. Já Sara (Luciana Paes) é um pouco mais contida e aparentemente tranquila, e não demora muito para ganhar a confiança do chefe. Os frequentadores do estabelecimento não são lá muito sociáveis: Amadeu (Ernani Moraes), um chefe de polícia aposentado e com semblante apático, o casal Bruno (Jiddú Pinheiro), um playboy esnobe e cheio de si e Verônica (Camila Morgado), uma mulher dominadora e que desdenha da postura humilde de Sara. Tudo parece estar na maior tranquilidade, quando de repente o local é assaltado, mas a reação de Inácio surpreende a todos, rendendo os dois bandidos e transformando o restaurante em um ambiente de tortura, claustrofóbico e de medição de forças.

O roteiro do filme é fora do comum, com cenas recheadas de sangue, requintes de crueldade e personagens sendo construídos e desconstruídos, tudo isso graças ao palco onde se passa a trama e a respectiva montagem de cada ação. Aos poucos, os intérpretes vão se revelando e os contornos da história vão ganhando ainda mais dramaticidade, ingredientes certeiros para um enredo que possui um misto de suspense e terror. Nota-se um autêntico palco de insanidade e brutalidade, e quem acompanha não consegue se segurar na poltrona, tamanho o alvoroço que acontece.

A fotografia, de responsabilidade de Bárbara Alvarez, conferiu ao restaurante, palco principal, um tom mais sombrio e sufocante. A sensação de inquietude só aumenta, e o sentimento de que tudo vai acabar e se resolver passa demasiadamente longe. Houve também uma perfeita harmonia com o trabalho de direção de arte, a escolha da luz, dos objetos a serem utilizados nas cenas e os ângulos das câmeras a cada ação, tudo proporciona uma ótima sensação de imersão no espectador.

O trabalho do elenco é magistral, Murilo Benício demonstra uma capacidade de transformação impressionante, de homem inicialmente passivo para maquiavélico, ele carrega o filme juntamente de Luciana Paes, que se revela o fio condutor da história. Sua personagem vai ter decisões que serão cruciais para o desfecho, além de protagonizar juntamente com o papel de Benício uma das cenas mais alucinantes dos últimos anos. O núcleo secundário é muito coeso e fortalece a trama com suas interações.

Um filme surpreendente, perturbador, que hipnotiza o espectador e não o deixa respirar por um minuto. Assim pode ser definido ‘O Animal Cordial’, uma produção que chega não só para levantar polêmica, mas também para mostrar a capacidade do cinema nacional de produzir e oferecer outras opções ao seu espectador, e reforçar a habilidade de se saber contar uma boa história. O cinema brasileiro cada vez em evidência e alçando novos voos, vale a pena prestigiar.

Cotação: 4/5 poltronas.

‘O Animal Cordial’, filme de terror nacional, ganha classificação indicativa de 18 anos

‘O Animal Cordial’, filme de terror nacional, ganha classificação indicativa de 18 anos

Dirigido por Gabriela Amaral e produzido por Rodrigo Teixeira o filme estreia dia 9 de agosto nos cinemas

O ANIMAL CORDIAL, de Gabriela Amaral Almeida, acaba de receber classificação indicativa, proibido para menores de 18 anos. O elenco conta com Murilo Benício, Luciana Paes, Camila Morgado, Irandhir Santos e Humberto Carrão, e estreia nos cinemas dia 9 de agosto, com produção da RT Features. O filme, que é é uma fábula violenta sobre o desejo na sociedade e aborda também a violência urbana, recebeu essa classificação por conter cenas de sexo, violência extrema e linguagem imprópria.

Sobre a classificação indicativa recebida, a diretora concorda mas acrescenta: “Isso tira a oportunidade de que o público jovem tenha acesso a um gênero que está em formação no Brasil. Já que ​o cinema não é mais a única forma de acessar conteúdos audiovisuais, a maioridade cinematográfica deveria ser 16 anos”.

O filme é uma fábula violenta sobre desejo na sociedade brasileira. O ANIMAL CORDIAL é o primeiro slasher movie (subgêneros do terror, caracterizados, dentre outras marcas, pelo uso de violência gráfica extrema) dirigido por uma mulher no Brasil. O longa deu a Murilo Benício o prêmio de Melhor Ator no Festival Internacional de Cinema do Rio, em 2017, e os prêmios de Melhor Atriz e Melhor Diretora para Luciana Paes e Gabriela Amaral Almeida no FantasPoa 2018.

A história se passa em uma única noite em um restaurante de classe média alta em São Paulo que é invadido, no fim do expediente, por dois ladrões armados. O dono do estabelecimento, o cozinheiro, uma garçonete e três clientes são rendidos e precisam lidar com a situação. O local torna-se palco dos mais diferentes embates: empregados x patrão; ricos x pobres; homens x mulheres; brancos x negros. Civilização e barbárie: os dois conceitos se alternam na claustrofobia de um espaço, que vai sendo desconstruído à medida que soluções “cordiais” se tornam impossíveis.

SINOPSE

Um restaurante de classe média em São Paulo é invadido, no fim do expediente, por dois ladrões armados. O dono do estabelecimento, o cozinheiro, uma garçonete e três clientes são rendidos. Entre a cruz e a espada, Inácio – o homem pacato, o chefe amistoso e cordial – precisa agir para defender seu restaurante e seus clientes dos assaltantes.

TRAILER

SOBRE A DIRETORA

O ANIMAL CORDIAL é o primeiro projeto de longa-metragem de Gabriela Amaral Almeida. Diretora, roteirista e dramaturga, Gabriela é Mestre em literatura e cinema de horror pela UFBA (Brasil) com especialização em roteiro pela Escuela Internacional de Cine y TV (EICTV) de Cuba. Escreveu (e escreve) para outros diretores, como Walter Salles, Cao Hamburger e Sérgio Machado. Como diretora, realizou os curtas “Náufragos” (2010, co-dirigido com Matheus Rocha), “Uma Primavera” (2011), “A Mão que Afaga” (2012), “Terno” (2013, co-dirigido com Luana Demange) e “Estátua” (2014). O conjunto de seus curtas foi selecionado para mais de cem festivais nacionais e internacionais, tais como o Festival de Cinema de Brasília, o Festival Internacional de Cinema de Roterdã, o Festival de Curtas de Nova York, dentre outros. São destaque os prêmios recebidos por algumas destas obras, como os prêmios de melhor roteiro, melhor atriz (para Luciana Paes) e prêmio da crítica no 45o Festival de Cinema de Brasília para “A Mão que Afaga”, e os prêmios de melhor atriz (para Maeve Jinkings) e melhor roteiro para “Estátua!”, no mesmo festival, dois anos depois. Com o seu projeto de longa-metragem “A Sombra do Pai”, foi selecionada para os laboratórios de Roteiro, Direção e Música e Desenho de Som do Sundance Institute. O projeto contou com a assessoria de Quentin Tarantino (“Pulp Fiction”), Marjane Satrapi (“Persépolis”), Robert Redford (“Butch Cassidy and the Sundance Kid”), dentre outros.

Seu mais recente trabalho como roteirista foi para o média-metragem “A Terra Treme”, drama ambientado na tragédia ambiental ocorrida em Mariana, Minas Gerais. Dirigido por Walter Salles, o curta integra uma antologia composta por cinco curtas, dirigidos por outros quatro diretores além de Salles: Aleksey Ferdochenko (Rússia), Madhur Bhandarkar (Índia), Jahmil X.T. Qubeka (África do Sul) e Jia Zhangke (China). O filme coletivo estreia no Festival de cinema BRICS, em Chengdu, na China, em junho deste ano (2017). Atualmente, trabalha no desenvolvimento de seu próximo longa-metragem, uma fábula de exorcismo (ainda sem título), a ser produzida também pela RT Features. Nos Estados Unidos, é agenciada pela WME.

FICHA TÉCNICA

Direção e roteiro: Gabriela Amaral Almeida
Argumento: Gabriela Amaral Almeida e Luana Demange
Elenco: Murilo Benício, Luciana Paes, Ernani Moraes, Jiddu Pinheiro, Camila Morgado, Irandhir Santos, Humberto Carrão, Ariclenes Barroso, Thais Aguiar, Eduardo Gomes e Diego Avelino
Produtor: Rodrigo Teixeira
Co-produtor: Canal Brasil
Produção Executiva: Ana Kormanski, Daniel Pech e Raphael Mesquita
Direção de Fotografia: Barbara Alvarez
Direção de Arte: Denis Netto
Figurino: Diogo Costa
Maquiagem: André Anastácio
Som Direto: Gabriela Cunha
Diretora de Produção: Thais Morresi
Montador: Idê Lacreta
Desenho de som: Daniel Turini e Fernando Henna
Trilha Sonora: Rafael Cavalcanti
Supervisor de pós-produção: Henrique Viana
Idioma: Português
Gênero: Thriller/ Slasher/ Gore
Ano: 2017
País: Brasil
Classificação: 18 anos

SOBRE A RT FEATURES

Fundada e dirigida por Rodrigo Teixeira, a RT Features é uma produtora nacional e internacional de cinema e televisão, com base em São Paulo, Brasil. Dentre outras produções, seu currículo conta com os longas-metragens: O Abismo Prateado (2010), Tim Maia (2014), Alemão (2014) e o O Silêncio do Céu (2016). No exterior, a RT Features produziu os longas Frances Ha (2013), Love is Strange (2014), Indignation (2016) A Bruxa (2016). Em 2017, a RT Features esteve com duas produções internacionais Patti Cake$ e A Ciambra (2017) na Quinzena dos Realizadores em Cannes, e com a coprodução internacional Severina (2017) no Festival de Locarno. Neste mesmo ano, a empresa produziu o novo projeto de James Gray com Brad Pitt: Ad Astra que se encontra em pós-produção. No início de 2018 estreou o primeiro longa de ficção da diretora Crystal Moselle, Skate Kitchen, no Festival de Sundance. A RT esteve também indicada aos principais prêmios do cinema com o filme de Luca Guadagnino, Call Me By Your Name (2017). Destacam-se as oito indicações no Critics’ Choice Awards, o maior número de nomeações no Independent Spirit Awards, e as indicações ao 75º Globo de Ouro e ao 90º Academy Awards, onde foi premiado com o Oscar de melhor roteiro adaptado. No segundo semestre a RT irá produzir o novo filme de Robert Eggers, The Lighthouse, com Willem Dafoe e Robert Pattinson e no Brasil o novo longa de Karim Ainouz, A Vida Invisível.

SOBRE O CO-PRODUTOR CANAL BRASIL

Canal Brasil tem um papel fundamental na produção e coprodução de longas-metragens, história que começou em 2008 com “Lóki – Arnaldo Baptista”, de Paulo Henrique Fontenelle, que mostrou a vida do eterno mutante. Agora em 2018, o canal atinge a marca de 300 filmes. Sair do campo da exibição e partir também para feitura fez com que o Canal Brasil atingisse em poucos anos uma importância imensurável dentro do cenário do cinema brasileiro recente. Entre os longas recém coproduzidos estão “Animal Cordial” de Gabriela Almeida; “Aos Teus Olhos”, de Carolina Jabor; “Canastra Suja” de Caio Soh; “Tungstênio” de Heitor Dhalia e “Berenice Procura” de Allan Fiterman.

Filme de terror com Murilo Benício e Luciana Paes, ‘O Animal Cordial’, ganha data de estreia

Filme de terror com Murilo Benício e Luciana Paes, ‘O Animal Cordial’, ganha data de estreia

O ANIMAL CORDIAL, de Gabriela Amaral Almeida, acaba de ganhar data de estreia no Brasil: 9 de agosto. Produzido por Rodrigo Teixeira, da RT Features, e distribuído pela California Filmes, o filme é uma fábula violenta sobre desejo na sociedade brasileira. O ANIMAL CORDIAL é o primeiro slasher movie (subgêneros do terror, caracterizados, dentre outras marcas, pelo uso de violência gráfica extrema) dirigido por uma mulher no Brasil. O longa deu a Murilo Benicio o prêmio de Melhor Ator no Festival Internacional de Cinema do Rio, em 2017, e os prêmios de Melhor Atriz e Melhor diretora para Luciana Paes e Gabriela Amaral Almeida no FantasPoa 2018.

A história se passa em uma única noite em um restaurante de classe média alta em São Paulo que é invadido, no fim do expediente, por dois ladrões armados. O dono do estabelecimento, o cozinheiro, uma garçonete e três clientes são rendidos e precisam lidar com a situação. O local torna-se palco dos mais diferentes embates: empregados x patrão; ricos x pobres; homens x mulheres; brancos x negros. Civilização e barbárie: os dois conceitos se alternam na claustrofobia de um espaço, que vai sendo desconstruído à medida que soluções “cordiais” se tornam impossíveis.

O gênero já faz parte do portfólio da produtora baseada em São Paulo, que tem títulos como “A Bruxa’, de Robert Eggers, e “Quando Eu Era Vivo”, de Marco Dutra. Pode-se dizer, que faz parte de uma nova onda de produção no terror no Mundo, que não busca envolver a plateia através de sustos fáceis e truques clichês. São filmes mais complexos, com diretores que dialogam com o gênero de cinema de arte e que buscam também trazer reflexões sociais.

Para Rodrigo Teixeira, esta nova forma de encarar o gênero também pode ser comercial: “Acho que existe um tipo de filme de terror que faz terror com menos clichês como uma opção de subverter o gênero de uma maneira inteligente e isso também atrai público”.

O filme tem no elenco Murilo Benício (Inácio), o dono pacato do estabelecimento, Luciana Paes (Sara), a fiel garçonete do restaurante, Ernani Moraes (Amadeu), Jiddu Pinheiro (Bruno) e Camila Morgado (Verônica) como os fregueses, e Irandhir Santos na pele do cozinheiro (Djair). Completam o elenco Humberto Carrão, Ariclenes Barroso, Thais Aguiar, Eduardo Gomes e Diego Avelino.
O ANIMAL CORDIAL teve sua estreia mundial no 21º Fantasia International Film Festival no Canadá, um dos mais tradicionais festivais dedicados a filmes fantástico, de horror, terror e demais subgêneros no mundo. Depois da estreia, seguiu para Sitges (Espanha), L’Etrange (França), Razor Reel Flanders Film Festival (Bélgica), dentre outros festivais que celebram o gênero do horror e do fantástico. No Brasil, foi exibido no Festival Internacional de Cinema do Rio,; no Janela Internacional de Cinema do Recife; no Panorama Internacional Coisa de Cinema, em Salvador; e no Rio Fantastik Festival, onde Gabriela Amaral Almeida levou o prêmio de melhor roteiro original.
SINOPSE

Um restaurante de classe média em São Paulo é invadido, no fim do expediente, por dois ladrões armados. O dono do estabelecimento, o cozinheiro, uma garçonete e três clientes são rendidos. Entre a cruz e a espada, Inácio – o homem pacato, o chefe amistoso e cordial – precisa agir para defender seu restaurante e seus clientes dos assaltantes.

REVIEWS

“Uma das maiores virtudes de O Animal Cordial (…) é a de saber articular uma intenção de produzir um discurso sobre o Brasil – um Brasil atual, dos dias de hoje, mas no qual o patrimônio histórico, com todas as suas problemáticas e nuances (políticas, culturais, sociais, raciais), está permanentemente presente – com um olhar reflexivo, inteligente e cheio de sutilezas, ao mesmo tempo manejando com apuro e sofisticação uma linguagem cinemática própria.” Francisco Noronha, para revistacinetica.com.br

“Gabriela Amaral Almeida criou um filme intenso, que quase não deixa espaço para respirar, com reviravoltas que levam aos lugares mais sombrios do coração humano.”

Shelagh Rowan-Legg, para screenanarchy.com
“Animal Cordial captura a definição da palavra hipnotizante, e o faz com bravura.”

www.cinepunx.com, Jaime Burchardt
“Animal Cordial é um olhar desconcertante sobre a inadequação masculina.”

bloody-disgusting.com, Kalyn Corrigan
“Nada irá prepará-lo para as profundezas de insensatez deste filme.”

www.quietearth.us, Marina Antunes
“Na superfície, Animal Cordial é um thriller intenso que nos apresenta a jornada de descoberta de personagens oprimidos e inconscientes de quem são e do que desejam. Debaixo desta primeira camada, há muitas outras que dão conta de temas como disputa por controle (especialmente no que tange aos relacionamentos homem-mulher), embate racial e confrontos de classes sociais.”

www.thatmomentin.com, Kim Lo
“A diretora Gabriela Amaral Almeida nos coloca em um grupo de pessoas que estão escondendo segredos e possivelmente uma ou duas tendências psicopatas”.

neverthinkimpossible.com
“Almeida fez uma estreia e tanto com seu longa-metragem. Eu mal posso esperar para ver o que ela vai fazer depois”

Jaime Burchardt, www.cinepunx.com
“O Animal Cordial é um estudo antropológico da sociedade filmado com sagacidade ácida e humor demoníaco. Um filme de gênero soberbamente bem dirigido”

Bradley Hadcroft, para thepeoplesmovies.com
“O filme é tão bonito e perfeitamente orquestrado que você pensaria se tratar da obra de um profissional experiente. Descobrir que é a estreia de Almeida em longas é de tirar o fôlego” James Whittington, para horrorchanel.co.uk

SOBRE A DIRETORA

O ANIMAL CORDIAL é o primeiro projeto de longa-metragem de Gabriela Amaral Almeida. Diretora, roteirista e dramaturga, Gabriela é Mestre em literatura e cinema de horror pela UFBA (Brasil) com especialização em roteiro pela Escuela Internacional de Cine y TV (EICTV) de Cuba. Escreveu (e escreve) para outros diretores, como Walter Salles, Cao Hamburger e Sérgio Machado. Como diretora, realizou os curtas “Náufragos” (2010, co-dirigido com Matheus Rocha), “Uma Primavera” (2011), “A Mão que Afaga” (2012), “Terno” (2013, co-dirigido com Luana Demange) e “Estátua” (2014). O conjunto de seus curtas foi selecionado para mais de cem festivais nacionais e internacionais, tais como o Festival de Cinema de Brasília, o Festival Internacional de Cinema de Roterdã, o Festival de Curtas de Nova York, dentre outros. São destaque os prêmios recebidos por algumas destas obras, como os prêmios de melhor roteiro, melhor atriz (para Luciana Paes) e prêmio da crítica no 45o Festival de Cinema de Brasília para “A Mãoque Afaga”, e os prêmios de melhor atriz (para Maeve Jinkings) e melhor roteiro para “Estátua!”, nomesmo festival, dois anos depois. Com o seu projeto de longa-metragem “A Sombra do Pai”, foi selecionada para os laboratórios de Roteiro, Direção e Música e Desenho de Som do Sundance Institute. O projeto contou com a assessoria de Quentin Tarantino (“Pulp Fiction”), Marjane Satrapi (“Persépolis”), Robert Redford (“Butch Cassidy and the Sundance Kid”), dentre outros.

Seu mais recente trabalho como roteirista foi para o média-metragem “A Terra Treme”, drama ambientado na tragédia ambiental ocorrida em Mariana, Minas Gerais. Dirigido por Walter Salles, o curta integra uma antologia composta por cinco curtas, dirigidos por outros quatro diretores além de Salles: Aleksey Ferdochenko (Rússia), Madhur Bhandarkar (Índia), Jahmil X.T. Qubeka (África do Sul) e Jia Zhangke (China). O filme coletivo estreia no Festival de cinema BRICS, em Chengdu, na China, em junho deste ano (2017). Atualmente, trabalha no desenvolvimento de seu próximo longa-metragem, uma fábula de exorcismo (ainda sem título), a ser produzida também pela RT Features. Nos Estados Unidos, é agenciada pela WME.

O ANIMAL CORDIAL

Direção e roteiro: Gabriela Amaral Almeida
Argumento: Gabriela Amaral Almeida e Luana Demange
Elenco: Murilo Benício, Luciana Paes, Ernani Moraes, Jiddu Pinheiro, Camila Morgado, Irandhir Santos, Humberto Carrão, Ariclenes Barroso, Thais Aguiar, Eduardo Gomes e Diego Avelino
Produtor: Rodrigo Teixeira
Co-produtor: Canal Brasil
Produção Executiva: Ana Kormanski, Daniel Pech e Raphael Mesquita
Direção de Fotografia: Barbara Alvarez
Direção de Arte: Denis Netto
Figurino: Diogo Costa
Maquiagem: André Anastácio
Som Direto: Gabriela Cunha
Diretora de Produção: Thais Morresi
Montador: Idê Lacreta
Desenho de som: Daniel Turini e Fernando Henna
Trilha Sonora: Rafael Cavalcanti
Supervisor de pós-produção: Henrique Viana
Idioma: Português
Gênero: Thriller/ Slasher/ Gore
Ano: 2017
País: Brasil
Classificação: (a definir)

SOBRE A RT FEATURES

Fundada e dirigida por Rodrigo Teixeira, a RT Features é uma produtora nacional e internacional de cinema e televisão, com base em São Paulo, Brasil. Dentre outras produções, seu currículo conta com os longas-metragens: O Abismo Prateado (2010), Tim Maia (2014), Alemão (2014) e o O Silêncio do Céu (2016). No exterior, a RT Features produziu os longas Frances Ha (2013), Love is Strange (2014), Indignation (2016) A Bruxa (2016). Em 2017, a RT Features esteve com duas produções internacionais Patti Cake$ e A Ciambra (2017) na Quinzena dos Realizadores em Cannes, e com a coprodução internacional Severina (2017) no Festival de Locarno. Neste mesmo ano, a empresa produziu o novo projeto de James Gray com Brad Pitt: Ad Astra que se encontra em pós-produção. No início de 2018 estreou o primeiro longa de ficção da diretora Crystal Moselle, Skate Kitchen, no Festival de Sundance. A RT esteve também indicada aos principais prêmios do cinema com o filme de Luca Guadagnino, Call Me By Your Name (2017). Destacam-se as oito indicações no Critics’ Choice Awards, o maior número de nomeações no Independent Spirit Awards, e as indicações ao 75º Globo de Ouro e ao 90º Academy Awards, onde foi premiado com o Oscar de melhor roteiro adaptado. No segundo semestre a RT irá produzir o novo filme de Robert Eggers, The Lighthouse, com Willem Dafoe e Robert Pattinson e no Brasil o novo longa de Karim Ainouz, A Vida Invisível.

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 2

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 2

um-dia-para-viver.jpg

 

Um Dia Para Viver: Ação de Brian Smrz.

Sinopse: Um assassino ganha uma segunda chance quando seu empregador o traz de volta à vida temporariamente, logo após ter sido morto no trabalho. Ele tem 24 horas para realizar sua missão e se redimir.

 

 

vinganca

 

Vingança: Suspense e Ação de Coralie Fargeat.

Sinopse: Três homens casados e ricos fazem anualmente uma espécie de caçada no deserto. Desta vez, um dos empresários decide trazer sua amante. Quando ela é abandonada para morrer devido a uma série de acontecimentos, eles terão que lidar consequências de uma mulher que busca vingança.

 

 

 

os-estranhos-cacada-noturna.jpg

 

 

Os Estranhos: Caçada Noturna – Terror de Eleanor Coppola.

Sinopse: Seguindo os acontecimentos do primeiro filme, uma nova família receberá a terrível visita de três psicopatas – que têm como único objetivo transformar suas vidas em um inferno na Terra.

 

Por: Vitor Arouca

 

 

 

 

Terror ‘Selfie para o Inferno’ ganha pôster com nova data de estreia

Terror ‘Selfie para o Inferno’ ganha pôster com nova data de estreia

Longa marca a estreia do diretor Erdal Ceylan, chega aos cinemas dia 7 de junho distribuido pela Cineart Filmes

Uma conhecida vlogueira viaja aos Estados Unidos para visitar a sua prima Hanna e pouco depois ela adoece sem qualquer explicação, dando início a um pesadelo que ninguém poderia imaginar. Esse é o ponto de partida para a intrigante e assustadora história de “SELFIE PARA O INFERNO”, de Erdal Ceylan, que entra em cartaz nos cinemas no dia 07 de junho.

O roteiro combina elementos de suspense, mistério e terror, acompanhando os esforços cada vez mais desesperados de Hanna para entender o que aconteceu com a prima e assim encontrar uma cura. E quanto mais ela se aprofunda na sua investigação, mais confusa e aterrorizada ela se sente, sem saber como tudo vai terminar.

Mas se o final do filme é um mistério, a origem já é bem conhecida: Selfie para o Inferno é derivado de um curta-metragem lançado em 2015 no YouTube e que desde então já arrebatou mais de 24 milhões de views e um incontável número de sustos.

No cinema, o enredo foi desenvolvido envolvendo outras questões muito atuais, como a obsessão da sociedade pela exposição online, bem como os segredos que se escondem na internet nos cantos obscuros da Dark Web, onde os conteúdos mais terríveis costumam ser compartilhados livremente, longe dos nossos olhos.

Confira o pôster abaixo:

SINOPSE:

Júlia é uma vlogueira que viaja aos Estados Unidos para visitar sua prima Hannah. Mas tão logo chega, ela adoece sem explicação e, enquanto está inconsciente, seu celular começa a enviar mensagens misteriosas. Intrigada e preocupada com Júlia, Hanna inicia uma investigação e é forçada a mergulhar nas profundezas da Dark Web, chegando a um ponto em que o terror não tem fim.

FICHA TÉCNICA

Diretor: Erdal Ceylan
Roteiristas: Erdal Ceylan e Paul Burton
Elenco: Meelah Adams, Alyson Walker, Tony Giroux e Ian Butcher
Produtor: Evan Tylor
Ano: 2016
Países: Alemanha
Classificação indicativa: não recomendado para menores de 12 anos

TRAILER:

Poltrona Estreia / Estreias da Semana

Poltrona Estreia / Estreias da Semana

paulo-apostolo-de-cristo

 

Paulo, Apostolo de Cristo: Drama de Andrew Hyatt.

Sinopse: Paulo era conhecido como um dos perseguidores de cristãos mais cruel de seu tempo. Mas tudo muda quando ele tem um encontro com o próprio Jesus. A partir desse momento, esse jovem se torna um dos apóstolos mais influentes do cristianismo.

 

 

gringo-vivo-ou-morto

 

Gringo Vivo ou Morto: Comédia e Ação de Nash Edgerton.

Sinopse: Uma mistura de comédia e ação que explora a luta para sobrevivência do empresário Harold Soyinka depois que ele atravessa a limite de cidadão respeitador da lei e se transforma em um criminoso procurado.

 

 

verdade-ou-desafioVerdade ou Desafio: Terror de Jeff Wadlow.

Sinopse: Olivia, Lucas e um grupo de amigos viajam ao México como uma despedida antes da formatura. Lá, um estranho convence um dos estudantes a jogar um aparentemente inofensivo jogo de verdade ou desafio com os outros. Ao começar, o jogo desperta algo maligno – um demônio que força os amigos a compartilharem segredos sombrios e confrontarem seus medos mais profundos. A regra é simples, porém cruel: fale a verdade ou morra, faça o desafio ou morra, e se parar de jogar, também morre.

 

teu-mundo-nao-cabe-nos-meus-olhos

Teu Mundo Não Cabe Nos Meus Olhos: Romance e Chttps://www.youtube.com/watch?v=s7Ch1pAhHL8omédia de Paulo Nascimento.

Sinopse: Vitório, cego de nascença, é dono de uma pizzaria herdada por seu pai no tradicional bairro do Bixiga, em São Paulo, e é considerado famoso por oferecer a melhor pizza dos arredores. Vivendo uma vida feliz com a mulher Clarice e a filha Alícia, ele sente que superou todas as dificuldades da cegueira e que deu a volta por cima. Mas, ao descobrir que existe a possibilidade de enxergar, Vitório inicia um conflito consigo mesmo e precisa tomar uma grande decisão.]

Por: Vitor Arouca

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 02

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana/ Parte 02

exorcismos-e-demonios

 

Exorcismos e Demônios: Terror de Xavier Gens.

Sinopse: Quando um padre é sentenciado à prisão após a morte de uma freira em que praticou um exorcismo, uma jornalista investigativo se esforça para desvendar de fato se ele assassinou uma pessoa mentalmente doente ou se apenas perdeu uma batalha contra uma presença demoníaca.

 

o-terceiro-assassinato

 

 

O Terceiro Assassinato: Drama e Suspense de Kore-eda Hirokazu.

Sinopse: O advogado Shigemori é obrigado a pegar um caso de assassinato na defesa de Misumi, que tem um registro criminal que aconteceu há 30 anos. Mesmo Misumi confessando a autoria do homicídio, enfrentando a sentença de morte, Shigemori tem dúvidas sobre a culpa dele no caso.

 

 

2972_capaConstruindo Pontes: Documentário.

Sinopse: Heloisa Passos, a cineasta, é filha de Álvaro, um engenheiro civil que viveu seu auge na carreira durante a Ditatura Militar no Brasil. No entanto, o momento que para ele foi uma oportunidade de mostrar seu trabalho, para outros, como para sua própria filha, foi um tempo marcado pelo autoritarismo. Agora, entre memórias do passado e um futuro incerto diante da atual instabilidade política no País, pai e filha procuram outras formas de enxergar o mundo.

Por: Vitor Arouca