Veja Os Indicados Ao Emmy 2018

Veja Os Indicados Ao Emmy 2018

A cerimônia acontecerá no dia 17 de setembro e terá a apresentação de Colin Jost e Michael Che.

Melhor Série Dramática

The Americans
The crown
Game of thrones
The handmaid’s tale
Stranger things
This is us
Westworld

Melhor Atriz em Série Dramática

Claire Foy – The crown
Tatiana Maslany – Orphan black
Elisabeth Moss – The handmaid’s tale
Sandra Oh – Killing eve
Keri Russel – The Americans
Evan Rachel Wood – Westworld

Melhor Ator em Série Dramática

Jason Bateman – Ozark
Sterling K. Brown – This is us
Ed Harris – Westworld
Matthew Rhys – The Americans
Milo Ventimiglia – This is us
Jeffrey Wright – Westworld

Melhor Série Cômica

Atlanta
Barry
Black ish
Curb your enthusiasm
Glow
The marvelous Mrs. Maisel
Silicon Valley
Unbrekable Kimmy Smith

Melhor Atriz em Série Cômica

Pamela Adlon – Better things
Rachel Brosnahan – The marvelous Mrs. Maisel
Allison Janney – Mom
Issa Rae – Insecure
Tracee Ellis Ross – Black ish
Lily Tomlim – Grace and Frankie

Melhor Ator em Série Cômica

Anthony Anderson – Black ish
Ted Danson – The good place
Larry David – Curb your enthusiasm
Donald Glover – Atlanta
Bill Hader – Barry
William H Macy – Shameless

Melhor Minissérie

The alienist
O assassinato de Gianni Versace: American crime story
Genius: Picasso
Godless
Patrick Melrose

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme Feito para TV

Jessica Biel – The sinner
Laura Dern – The tale
Michelle Dockery – Godless
Edie Falco – Law & order: True crime
Regina King – Seven seconds
Sarah Paulson – American horror story

Melhor Ator em Minissérie ou Filme Feito para TV

Antonio Banderas – Genius: Picasso
Darren Criss – O assassinato de Gianni Versace: American crime story
Benedict Cumberbatch – Patrick Melrose
Jeff Daniels – The looming tower
John Legend – Jesus Christ superstar
Jesse Plemons – USS Callister (Black mirror)

Melhor Talk Show e Variedades

The daily show with Trevor Noah
Full Frontal With Samantha Bee
Jimmy Kimmel live
Last week tonight with John Oliver
Late late show with James Corden
Late show with Stephen Colbert

Melhor Programa de Esquete e Variedades

Saturday night live
Portlandia
Drunk history
Tracey Ullman’s show
At home with Amy Sedaris
I love you, America

Melhor Programa de Competição

The amazing race
American ninja warrior
Project runway
RuPaul’s drag race
Top chef
The voice

Por: Vitor Arouca

Anúncios
Poltrona Estreia/ Estreias da Semana

Poltrona Estreia/ Estreias da Semana

hotel-transilvania-3-ferias-monstruosas.jpg

Transilvânia 3: Férias Monstruosas  – Animação de Genndy Tartakovsky.

Sinopse: Agora que Dennis, o neto de Drácula, é um completo vampiro, as coisas não poderiam estar melhores no Hotel Transilvânia. Quando um milionário ganancioso ameaça destruir a propriedade para construir um resort, a família de Dráculo e os monstros precisam se unir para certificar que ele nunca complete os seus planos.

 

arranha-ceu-coragem-sem-limite

 

Arranha – Céu: Coragem Sem Limite – Ação de Rawson Marshall Thurber.

Sinopse: Responsável pela segurança de arranha-céus, o veterano de guerra americano e ex-líder da operação de resgate do FBI, Will Ford , é acusado de ter colocado o edifício mais alto e mais seguro da China em chamas. Cabe ao agente achar os culpados pelo incêndio, salvar sua família que está presa dentro do prédio e limpar seu nome.

hannah.jpg
Hannah: Drama de Andrea Pallaoro.
Sinopse: Hannah é mãe e avó, e seu marido está na prisão. Ela presta serviços domésticos para uma família rica e, nas horas vagas, frequenta aulas em um grupo de teatro. Um certo ar aristocrático, no entanto, nos diz que o trabalho de Hannah não condiz com sua realidade, sobretudo quando conhecemos a condição social de seu filho. Através de um sentimento de identidade fraturado, o filme investiga a alienação moderna, a luta pela conexão e as linhas divisórias entre a identidade individual, as relações pessoais e as pressões sociais.
Por: Vitor Arouca
O Desmonte do Monte estreia nesta quinta, dia 12

O Desmonte do Monte estreia nesta quinta, dia 12

Depois de elogiadas exibições pelo país, o documentário ‘O desmonte do Monte’ faz sua estreia nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, com pré-estreia amanhã, às 21h30, no Estação Net Rio. Primeira direção da produtora Sinai Sganzerla, que também assina a pesquisa e o roteiro, o longa-metragem aborda a história do Morro do Castelo, marco da fundação do Rio de Janeiro pelos portugueses, e seu desmonte devido a interesses imobiliários. A narração do filme é feita por Helena Ignez (mãe da diretora), Negro Leo e Marcus Alvisi. No Rio de Janeiro, nesta primeira semana, o filme estará em cartaz no Estação NET Botafogo 2 e no Cine Santa.

O Morro do Castelo, conhecido como “Colina Sagrada”, foi escolhido pelos colonizadores portugueses para ser o local das primeiras moradias e fundação da cidade do Rio de Janeiro. Apesar de sua importância histórica e arquitetônica, o morro foi destruído por reformas urbanísticas com o intuito de “higienizar” a cidade e promover a especulação imobiliária.

“Apesar de fundamental para o entendimento de nossa fundação, esta história ainda é pouco conhecida e divulgada. Apenas no fim dos anos 90, começam a surgir livros sobre o tema e relatos mais detalhados. Quando descobri, fiquei fascinada e motivada a contar a trajetória da região”, explica Sinai. “O filme cobre 465 anos de história do Rio de Janeiro, desde a guerra entre franceses e portugueses e o extermínio de índios que antecederam a fundação até os dias de hoje”

 

Caça ao tesouro

O filme aborda ainda a instigante lenda do tesouro:  ouro e pedras preciosas teriam sido armazenados nas galerias subterrâneas do morro por jesuítas na época colonial, que acabaram expulsos da região. Durante muito tempo, acreditou-se que existia uma riqueza escondida e inúmeras requisições foram feitas para conseguir uma autorização para a exploração do Morro do Castelo. Trechos do romance O Subterrâneo do Morro do Castelo, reunião de crônicas escritas por Lima Barreto no jornal Correio da Manhã que contam parte desta história, são lembrados no longa. O autor foi uma das poucas vozes que defenderam publicamente a permanência e vida do Morro do Castelo de São Sebastião.

O longa-metragem tem sua narrativa baseada em cerca de 700 iconografias e pinturas de diversos períodos, desde a fundação da cidade de São Sebastião até os dias atuais e conta com imagens em movimento da Celebração do Centenário da Independência do Brasil, em 1922, evento realizado com as terras do desmonte do Morro do Castelo. O documentário também conta com depoimentos de áudio de ex-moradores do Morro do Castelo e dos engenheiros que trabalharam no seu desmonte.

“Além de detalhar toda essa história, quis fazer uma analogia com as remoções que até hoje são realizadas sob falsos pretextos e com a constante desvalorização da nossa história”, completa a diretora.

Sobre Sinai Sganzerla

Sócia da Mercúrio Produções, Sinai Sganzerla produziu os longas ‘A Moça do Calendário’, ‘Ralé’, a restauração do longa ‘Copacabana Mon Amour’ e a série para TV ‘Van Bora!’, entre outras obras. Também trabalhou como distribuidora do filme ‘Luz nas Trevas – A Volta do Bandido da Luz Vermelha’ em salas de cinema, além de assinar sua produção. Atua ainda nas áreas de pesquisa, curadoria e musicoterapia. Como diretora, fez sua estreia com o documentário ‘O desmonte do Monte’.

 

Ficha Técnica:

Direção e roteiro: Sinai Sganzerla

Montagem: Rodrigo Lima

Pesquisa adicional e tratamento iconográfico: Lucio Branco

Pós-produção e finalização: Hebert Marmo

Colorista: Anuar Marmo

Motion design: Rodrigo Lima, Jansen Raveira, Andre Pantoja

Edição e mixagem de som: Damião Lopes, Jesse Marmo, Vinicius Leal

Seleção musical: Sinai Sganzerla

Música original: Marcelo Callado

Fotografia cidade contemporânea: Nayana Sganzerla, Sinai Sganzerla

Produção de base: Ludmila Patrício

Produção executiva: Sinai Sganzerla

Controller: Cristiane Cavalcante

Letreiros e Cartaz: João Marcos de Almeida

Produção e Realização: Mercúrio Produções

Festivais/Exibições:

17ª Mostra do Filme Livre, MFL 2018 – RJ, SP, DF

5 Fórum Internacional sobre Patrimônio Arquitetônico – Brasil-Portugal (FIPA)

13ª CineOP, 2018

 

Poltrona Cabine: Uma Quase Dupla/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: Uma Quase Dupla/ Cesar Augusto Mota

Sabemos que o cinema nacional apresenta em maior quantidade filmes focados na comédia, sejam elas pastelões ou daquelas mais rasgadas, com situações inusitadas e que beiram ao ridículo. Mas também temos aqueles longas mais dramáticos, que prendem a atenção e conseguem motivar o público a acompanhar a história até o fim. E o que você diria se visse um filme com a junção desses dois gêneros?

Sob a direção de Marcus Baldini (Bruna Surfistinha), ‘Uma Quase Dupla’ é uma comédia policial que trará uma dupla do barulho (ou seria uma quase dupla?), com Tatá Werneck e Cauã Reymond, cada um com seus personagens de características peculiares em busca da resolução de uma série de crimes que abalaram uma pacata cidade do interior, Joinlândia. Mas será que essa dupla funciona numa trama tão complexa?

Cláudio (Reymond) é o subdelegado de Joinlândia, boa praça, seguidor da lei, porém é muito ingênuo e filhinho da mamãe, que conta com participação especial de Louise Cardoso. Já a investigadora Keyla (Werneck) é o oposto, despojada, cheia de si e convencida de que seus métodos, mesmo que não convencionais, são eficientes, e que ela é uma policial mais bem preparada que seu colega e que, tanto ele e a cidade não estão à sua altura (perdão pelo trocadilho). Mesmo que sejam de gênios incompatíveis e tão diferentes, ambos terão que se juntar para solucionar os três assassinatos que caíram em suas mãos, a de uma jovem que sempre fazia voz de bebê (Valentina Bandeira), a de uma atendente de telemarketing (Luciana Paes) e a de um músico que sempre toca no bar suas próprias músicas (George Sauma). Nas cenas dos crimes, sempre mensagens escritas com letras garrafais e em vermelho e com dicas de que mais uma vítima poderia ser pega.

O roteiro nos apresenta uma premissa interessante, a de que o serial killer matava pessoas que ele considerava chatas e deixava nas vítimas objetos que lhe eram caraterísticos, seja uma chupeta, um fio de telefone ou um instrumento musical, mas o assassino conseguia desafiar os investigadores e até provocá-los com algumas pistas falsas, que podem ser vistas durante a narrativa, e o ar de mistério existente, apesar do tom exagerado e de algumas ocasiões absurdas. Porém, temos que lembrar que é um longa policial e também de comédia, o que tornaria tudo aceitável. Apesar de ser uma história que não oferece muita novidade, sobre uma investigação em uma cidade aparentemente tranquila, o filme oferece muitos elementos chamativos, como a excentricidade da policial Keyla, que faz de tudo para se sobressair, mesmo que tenha que transgredir a lei, e o comportamento mais contido de Cláudio, que se sente ofuscado por sua companheira de trabalho boa parte do tempo e se segura ao máximo para não acalorar as discussões. E são desses perfis tão díspares que nasce uma perfeita combinação que vai ser imprescindível na resolução dos crimes.

As atuações são positivas, Tatá Werneck não demonstra novidade ao interpretar uma personagem com uma alta veia cômica na narrativa, estereótipo que já está acostumada a representar, e muito bem por sinal. Werneck atinge um resultado positivo e mostra que a cada dia vem se consolidando, seja na televisão ou no cinema. Cauã Reymond, não muito habituado com o humor, consegue se firmar na trama no último ato, tendo em vista sua habilidade para o drama e levando-se em conta que seu personagem é raso e na sombra da investigadora Keyla. Que ele possa ser visto em mais papéis cômicos em produções futuras, e talento para esse e outros gêneros ele tem. Menções honrosas para os atores Daniel Furlan, Ary França e Alejandro Claveaux, o playboy da cidade, o delegado impaciente e o legista, respectivamente. Cada um deles dá o ar de sua graça para a história e oferecem situações que vão enriquecer a narrativa e fazer o espectador levantar suspeitas sobre eles e os outros personagens e se interessar em descobrir a identidade do verdadeiro serial killer de Joinlândia.

Se você gosta de filmes cômicos e procura um que tenha uma comédia diferente, fora das que está acostumado a ver, ‘Uma Quase Dupla’ é uma ótima opção, além de se tratar de um longa que se sustenta até o fim e aguça a curiosidade de quem acompanha. Vale muito a pena ver!

Cotação: 3,5/5 poltronas.

Por: Cesar Augusto Mota

‘Troca de Rainhas’, filme que pauta conflito entre França e Espanha no século XVIII, ganha data de estreia

‘Troca de Rainhas’, filme que pauta conflito entre França e Espanha no século XVIII, ganha data de estreia

Exibido durante Festival Varilux de Cinema Francês, filme estreia em circuito dia 2 de agosto

Em “TROCA DE RAINHAS”, dirigido por Marc Dugain, o conflito entre a França e a Espanha, em 1721, e o modo como os regentes decidiram a paz estão em pauta. Com estreia marcada para 2 de agosto, o filme marca a primeira adaptação do diretor, baseada no livro “L’Échange des Princesses”, da escritora francesa Chantal Thomas. O filme foi indicado ao Prêmio César e participou do Festival Varilux de Cinema Francês.

Luís XV (Igor van Dessel), de 11 anos, logo se tornará rei e, uma troca de princesas permitiria consolidar a paz com a Espanha após anos de guerra, que deixaram os reinos enfraquecidos. Então, Felipe de Orléans (Lambert Wilson) casa a filha, Mlle de Montpensier (Anamaria Vartolomei), de 12 anos, com o herdeiro do trono da Espanha, e Luís XV se casa com a Infanta da Espanha, Anna Maria Victoria, de 4 anos (Juliane Lepoureau). Tudo está sendo organizado luxuosamente, mas as crianças, por sua vez, reagem de forma inesperada.

O drama histórico também mostra a vida no século XVIII, como o luxo ao redor de castelos e carruagens. Além disso, na época, a vida e a morte seguiam juntas por intermédio da crença religiosa. A probabilidade de viver até os 70 anos, assim como hoje, não existia, já que a perspectiva era chegar até os 35. “Eu queria mostrar esse medo sobre a percepção do que é meramente mortal partindo de um momento crucial e decisivo na infância”, disse Dugain.

Segundo ele, seu interesse pela história partiu de um fator pessoal: seu avô foi desfigurado pela Primeira Guerra Mundial. Desse modo, começou a refletir sobre o quanto a história pode afetar a vida individual de algumas pessoas. Assim, “TROCA DE RAINHAS” conta a história de jogos de poderes que levaram o mundo a um desastre coletivo.

Sinopse

Em 1721, para manter a paz entre França e Espanha após anos de guerra, o Regente do Reino da França, Philippe d’Orléans, propõe uma troca de princesas que resulta no noivado do rei da França, Louis XV, de 11 anos, com Anna Maria Victoria, 4 anos, e  do príncipe herdeiro Louis, de 11 anos, com Louise-Elisabeth d’Orleans, 12 anos. Porém, a chegada dessas princesas pode comprometer os jogos de poder na Corte.

Trailer

Ficha Técnica

Direção: Marc Dugain
Cinematografia: Gilles Porte
Roteiro: Marc Dugain, Chantal Thomas
Indicações: César de Melhor Filme Estrangeiro
Produção: Genevieve Lemal, Patrick André
Classificação Indicativa: a definir

SOBRE A PANDORA FILMES

A Pandora Filmes é uma distribuidora de filmes de arte, ativa no Brasil desde 1989. Voltada especialmente para o cinema de autor, a distribuidora buscou, desde sua origem, ampliar os horizontes da distribuição de filmes de arte no Brasil com relançamentos de clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Fellini, Bergman e Billy Wilder, e revelações de nomes outrora desconhecidos no país, como Wong Kar-Wai, Atom Egoyan e Agnés Jaoui.

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora Filmes sempre reserva espaço especial para o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos. Dentro desse segmento, destaca-se o recente “Que Horas Ela Volta”, de Anna Muylaert, um grande sucesso, visto no cinema por mais de 500 mil espectadores.

Mostra ‘Monstros no Cinema’ invade o CCBB de Brasília

Mostra ‘Monstros no Cinema’ invade o CCBB de Brasília

Filmes de personagens icônicos como Drácula, Frankenstein, Múmia e Lobisomem juntam-se ao Alien, Freddy Krueger e King Kong, entre outros, para uma mostra inédita e gratuita com 39 filmes, debate, masterclass e oficina

A mostra MONSTROS NO CINEMA faz um apanhado dos filmes de monstros que tanto aterrorizam ou encantam o público no mundo inteiro. A retrospectiva reúne os principais títulos já produzidos, entre vários estilos, períodos e nacionalidades, incluindo filmes realizados no Brasil. A mostra, que também irá acontecer no Rio de Janeiro e São Paulo, desembarca em no Centro Cultural Banco do Brasil em Brasília de 12 de julho a 07 de agosto.

MONSTROS NO CINEMA será uma viagem pelo tempo para mostrar como a indústria cinematográfica criou e ainda hoje consegue manter um subgênero tão rentável. Desde o começo, na Alemanha, com GOLEM, passando pelos monstros clássicos dos estúdios Universal (DRÁCULA, FRANKENSTEIN, A MÚMIA, O LOBISOMEM), chegando no período da Guerra Fria e da ameaça nuclear de GODZILLA, incluindo os seres de outros planetas (ALIEN, O 8º PASSAGEIRO) e aqueles frutos dos nossos pesadelos (A HORA DO PESADELO) ou de experiências mal-sucedidas (A MOSCA). O Brasil estará representado com A MEIA NOITE LEVAREI SUA ALMA, do mestre José Mojica Marins, e MAR NEGRO, de Rodrigo Aragão, que revolucionou o gênero do horror brasileiro com suas produções. As crianças, quase sempre vítimas dessas criaturas soturnas, poderão ir sem medo conferir MONSTROS S.A. e A FESTA DO MONSTRO MALUCO. E a força desse subgênero se faz presente quando a própria indústria cinematografia a reverencia em obras como DEUSES & MONSTROS, O JOVEM FRANKENSTEIN e o recente sucesso A FORMA DA ÁGUA.

– Os monstros fazem parte do nosso imaginário desde a mais tenra infância. Sejam os monstros que se escondem debaixo de nossas camas, dentro do guarda-roupa ou aqueles que adentram os nossos quartos a noite com a simples missão de nos amedrontar. Seres sombrios, assustadores, disformes, os monstros nos acompanham durante toda a nossa vida. O cinema desde os seus primórdios usou a figura do monstro não só para contar narrativas de terror, mas também para usá-los como metáforas da sociedade. A mostra MONSTROS NO CINEMA reunirá vários desses seres que encontraram na sétima arte um espaço para serem conhecidos, refletir sobre a sociedade e principalmente, horrorizar a todos nós – explica o curador da mostra Breno Lira Gomes.

Serão 39 filmes, divididos em 60 sessões. Sendo que três delas (GREMILINS, A FORMA DA ÁGUA e DRÁCULA DE BRAM STOCKER) terão uma sessão com recursos de acessibilidade. A programação conta ainda com debates com o curador, com a mestre em comunicação Rita Ribeiro, com o diretor e crítico Tiago Belotti, com a mestre em cinema e audiovisual Julia Maass e com o jornalista e cineasta Sergio Moriconi, uma masterclass com a pesquisadora Rita Ribeiro, com senhas distribuídas uma hora antes do evento, e uma oficina de maquiagem com Thiago Sabino, do Estúdio Carbono, que deverá receber inscrições através do e-mail monstrosnocinema@gmail.com, a partir do dia 23 de julho. Além disso, a mostra terá duas sessões BB Azul de Cinema no dia 22 de julho (domingo) às 10h30 e às 14h30, com o filme de animação “Monstros S.A.”. BB Azul de Cinema é uma sessão especial (não exclusiva) para famílias com pessoas com Autismo. Nela, o som é mais baixo, as luzes ficam ligadas a “meia luz” e as crianças têm liberdade para sair e entrar na sala no meio do filme, sob supervisão dos pais ou responsáveis. Como a sala não pode ficar lotada, serão distribuídas até 50 senhas, a partir de uma hora antes da sessão.

FILMES

OS MONSTROS CLÁSSICOS

O Golem, como veio ao mundo (Der Golem, wie er in die Welt kam)
(1920, Alemanha, P&B, 68min, 14 anos)
Diretores: Paul Wegener e Carl Boese
Sinopse: Em meados do século 19, uma comunidade judaica, da cidade de Praga, é ameaçada por um decreto do imperador. Na tentativa de salvar seu povo da desgraça, o Rabino Loew dá vida a um Golem.

Drácula (Dracula)
(1931, EUA, P&B, 74 min, 12 anos)
Diretor: Tod Browning
Sinopse: Drácula é um conde vindo dos Cárpatos que aterroriza Londres por carregar uma maldição que o obriga a beber sangue humano para sobreviver. Após transformar uma jovem em vampira ele concentra suas atenções em uma amiga dela.

Frankenstein (Frankenstein)
(1931, EUA, P&B, 70 min, 12 anos)
Diretor: James Whale
Sinopse: Henry Frankenstein, um cientista louco, vagueia à noite pelo cemitério na companhia de Fritz, um anão corcunda que é seu assistente. Frankenstein procura mortos e costura partes de diversos cadáveres.

O Médico e o Monstro (Dr. Jekyll and Mr. Hyde)
(1931, EUA, P&B, 98min, 16 anos)
Diretor: Rouben Mamoulian
Sinopse: Primeira versão sonora da história clássica de Robert Louis Stevenson, obra-prima de Mamoulian. Um médico testa uma fórmula que pode desencadear o mal interior das pessoas.

A Múmia (The Mummy)
(1932, EUA, P&B, 73min, 12 anos)
Diretor: Karl Freund
Sinopse: Em 1921, uma expedição no Egito descobre a múmia do antigo príncipe Im-Ho-Tep, condenado e enterrado vivo por sacrilégio. Também no túmulo está o Pergaminho de Thoth, que pode trazer os mortos de volta.

O Homem Invisível (The Invisible Man)
(1933, EUA, P&B, 72min, 12 anos)
Diretor: James Whale
Um cientista que se dedicou à pesquisa em ótica, inventa uma maneira de mudar o índice de refração do corpo, de modo que não absorva nem reflita a luz, se tornando invisível.

A Noiva de Frankenstein (The Bride of Frankenstein)
(1935, EUA, P&B, 75 min, Livre)
Diretor: James Whale
Sinopse: Dr. Frankenstein e seu monstro retornam, pois não estavam mortos como inicialmente se acreditava. O pesquisador planeja parar suas demoníacas experiências, mas…

O Lobisomem (The Wolf Man)
(1941, EUA, P&B, 70min, 12 anos)
Diretor: George Waggner
Sinopse: Depois da morte do irmão, Larry Talbot retorna para sua casa no País de Gales, para se reconciliar com o pai. Larry fica romanticamente interessado em Gwen Conliffe, que administra uma loja de antiguidades.

O Fantasma da Ópera (The Phantom of the Opera)
(1943, EUA, Cor, 93min, 14 anos)
Diretor: Arthur Lubin
Sinopse: O violinista Claudin ama a incansável soprano operística Christine Dubois e secretamente auxilia sua carreira. Todavia Claudin mata uma editora de música num ataque de loucura e tem seu rosto deformado com ácido.

O Monstro da Lagoa Negra (Creature from the Black Lagoon)
(1954, EUA, P&B, 79min, Livre)
Diretor: Jack Arnold
Sinopse: Combinando o estilo monstro clássico com a ficção científica dos anos 1950, a história gira em torno de uma criatura meio humana, meio peixe, escondida nas profundezas da Amazônia.

REINVENTANDO OS MONSTROS CLÁSSICOS

Drácula – O Vampiro da Noite (Horror of Dracula)
(1958, Reino Unido, Cor, 82 min, 16 anos)
Diretor: Terence Fisher
Sinopse: No século XIX na Alemanha, Jonathan Harker vai até o castelo do Conde Drácula, mesmo sendo advertido por sua esposa Lucy a não ir. Ao chegar lá ele é atacado por uma vampira.

Drácula de Bram Stocker (Bram Stoker’s Dracula)
(1992, EUA/Reino Unido/Romênia, Cor, 127min, 14 anos)
Diretor: Francis Ford Coppola
Sinopse: Baseado no romance homônimo. Em 1462, Vlad Dracula, um membro da Ordem do Dragão, retorna de uma vitória contra os turcos para encontrar sua esposa, Elisabeta, morta.

Um Lobisomem Americano em Londres (An American Werewolf in London)
(1983, EUA/Reino Unido, Cor, 97min, 18 anos)
Diretor: John Landis
Sinopse: Dois estudantes universitários americanos numa excursão a pé pela Grã-Bretanha são atacados por um lobisomem que nenhum dos habitantes locais admite existir.

A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça (Sleepy Hollow)
(1999, EUA, Cor, 105 min, 18 anos)
Diretor: Tim Burton
Sinopse: Em 1799, uma série de crimes envolvendo inocentes acontece no pequeno vilarejo de Sleepy Hollow. Para investigar o caso é chamado o detetive nova-iorquino Ichabod Crane.

OS MALDITOS

Monstros (Freaks)
(1932, EUA, P&B, 63min, 16 anos)
Diretor: Tod Browning
Sinopse: Baseado em elementos do conto ” Spurs “, de Tod Robbins, Freaks é um filme de terror pré-Código de 1932 da American MGM produzido e dirigido por Tod Browning.

A Pequena Loja dos Horrores (Little Shop of Horrors)
(1960, EUA, P&B, 72 min, 14 anos)
Diretor: Roger Corman
Sinopse: O submisso ajudante de floricultura Seymour é apaixonado pela colega de trabalho Audrey. Durante um eclipse, ele descobre uma planta incomum.

O Vingador Tóxico (The Toxic Avenger)
(1984, EUA, Cor, 82min, 18 anos)
Diretores: Lloyd Kaufman e Michael Herz
Sinopse: Esta é a história de Melvin, o faxineiro de Tromaville, que inadvertidamente confia nos membros hedonistas, desdenhosos e vaidosos do Clube da Saúde, a ponto de cair num tanque de lixo tóxico.

A Mosca (The Fly)
(1986, EUA/Reino Unido/Canadá, 96min, 14 anos)
Diretor: David Cronenberg
Sinopse: A Mosca é um filme de terror e ficção científica, dirigido e co-escrito por David Cronenberg. Vagamente baseado num conto homônimo de 1957 do autor George Langelaan.

A Hora do Pesadelo (A Nightmare on Elm Street)
(1986, EUA, Cor, 92min, 18 anos)  Diretor: Wes Craven
Sinopse: A Hora do Pesadelo é um filme de terror e fantasia e primeiro de uma profícua série. Situado na cidade fictícia de Springwood, Ohio, mais especificamente na rua Elm.

OS GIGANTES

King Kong (King Kong)
(1933, EUA, P&B, 94min, Livre)
Diretores: Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack
Sinopse: Uma expedição a uma ilha desconhecida e inexplorada, revela surpresas.

Godzilla (Godzilla)
(1954, Japão, P&B, 96min, 12 anos)
Diretor: Ishiro Honda
Sinopse: Japão em pânico depois que vários navios explodem e são afundados. No início, as autoridades pensam ser alguma atividade vulcânica submarina.

Tubarão (Jaws)
(1975, EUA, Cor, 124min, 14 anos)
Diretor: Steven Spielberg
Sinopse: O novo chefe de polícia de Amity, uma cidade resort em Massachusetts, é chamado até a praia, onde o corpo mutilado de uma jovem é encontrado.

O Hospedeiro (Gwoemul – The Host)
(2006, Corea do Sul, Cor, 110min, 14 anos)
Diretor:  Bong Joon-ho
Sinopse: Resultado de malfadadas experiências nas águas do Rio Han, uma criatura gigante emerge do rio e parte para cima das pessoas. Mas a criatura não é apenas um perigo direto.

Cloverfield – monstro (Cloverfield)
(2008, EUA, Cor, 90min, 14 anos)
Diretor:  Matt Reeves
Sinopse: Acompanhe cinco nova-iorquinos a partir da perspectiva de uma câmera de vídeo portátil. O filme ainda mostra pedaços de vídeo previamente gravados.

OS ALIENÍGENAS

Alien – O 8º Passageiro (Alien)
(1979, EUA, Cor, 115min, 14 anos)
Diretor: Ridley Scott
Sinopse: A nave Nostromo cruza o espaço até um planeta desconhecido, onde algo misterioso está ocorrendo. Após investigar fatos estranhos sua tripulação retorna à bordo, contudo há alguém a mais com eles.

O Enigma de Outro Mundo (The Thing)
(1983, EUA, Cor, 109min, 16 anos)
Diretor: John Carpenter
Sinopse: Algo estranho está ocorrendo na Antártida, nosso continente gelado. Terrível demais para ser descrito em palavras, um monstro mata indistintamente quaisquer seres vivos que dele se aproximem.

MONSTROS & CRIANÇAS

A Festa do Monstro Maluco (Mad Monster Party)
(1967, EUA, Cor, 95min, Livre)
Diretor: Jules Bass
Sinopse: Cult comédia musical em stop motion, produzida pela Rankin/ Bass Productions. O barão Boris von Frankenstein (dublado no original por Boris Karloff) promove uma grande festa.

Gremlins (Gremlins)
(1984, EUA, Cor, 102min, Livre)
Diretor: Joe Dante
Sinopse: Um inventor fracassado visita Chinatown em busca de um presente de natal para seu filho. E numa espécie de antiquário, ele encontra uma criatura peluda e fofinha de nome Mogwai.

Monstros S.A (Monsters Inc.)
(2001, EUA, Cor, 92min, Livre)
Diretor: Pete Docter
Sinopse: Uma cidade só de monstros, sem humanos chamada Monstropolis. Tudo corria na mais perfeita paz, até que um pequeno ciclope verde descobre o que acontece quando o mundo real interage com a dimensão deles.

Onde Vivem os Monstros (Where Wild Things Are)
(2009, EUA, Cor, 101min, 10 anos)
Diretor: Spike Jonze
Sinopse: Um jovem tem uma imaginação ativa, e costuma não aceitar qualquer contrariedade. Após um incidente com a irmã e por achar que sua mãe presta mais atenção no namorado, ele foge de casa.

Frankenweenie (Frankenweenie)
(2012, EUA, P&B, 87 min, 10 anos)
Diretor: Tim Burton
Sinopse: Victor adora fazer filmes caseiros de terror, quase sempre estrelados por seu cachorro Sparky. Quando o cão morre atropelado, Victor fica triste e inconformado.

MONSTROS BRASILEIROS

À Meia Noite Levarei Sua Alma
(1964, Brasil, P&B, 81min, 16 anos)
Diretor: José Mojica Marins
Sinopse: Numa pequena cidade, o covarde coveiro Zé do Caixão é temido pelos habitantes locais. Ele vive com uma esposa estéril e obcecado por ter um filho, assedia a noiva de um amigo.

Mar Negro
(2014, Brasil, Cor, 92min, 18 anos)
Diretor: Rodrigo Aragão
Sinopse: Uma mancha negra atinge o litoral de um pequeno vilarejo no Brasil e traz uma estranha doença que transforma os animais marinhos em predadores assassinos.

REVERENCIANDO OS MONSTROS

O Jovem Frankenstein (Young Frankenstein)
(1974, EUA, P&B, 105min, 10 anos)
Diretor: Mel Brooks
Sinopse: Obra-prima de Mel Brooks. Um jovem neurocirurgião herda o castelo de seu avô, o famoso Dr. Victor von Frankenstein (ou quase isso). No castelo ele encontra um corcunda engraçado chamado Igor.

A Pequena Loja dos Horrores (Little Shop of Horrors)
(1986, EUA, Cor, 94min, 14 anos)
Diretor: Frank Oz
Sinopse: Um órfão nerd de nome Seymour, trabalha numa loja de flores na área urbana de Skid Row em Los Angeles. Ele tem uma quedinha pela colega de trabalho Audrey e é vigiado de perto pelo patrão.

Deuses e Monstros (Gods and Monsters)
(1998, EUA/Reino Unido, Cor e P&B, 105min, 14 anos)
Diretor: Bil Condon
Sinopse: Os últimos dias na vida do ator e diretor James Whale. Após sofrer uma série de derrames e atormentado por lembranças do passado, suas relações promíscuas e um de seus maiores sucessos no cinema.

Sexta-feira 13 (Friday the 13th)
(2009, EUA, Cor, 97min, 18 anos)
Diretor: Marcus Nispel
Sinopse: Recriação do clássico de terror. Grupo de jovens vasculha Cristal Lake, em busca de uma moça desaparecida. Mal sabem eles que o mal está presente por lá, na figura de um assassino imortal: o terrível Jason Voorhees.

Círculo de Fogo (Pacific Rim)
(2013, EUA, Cor, 132min, 12 anos)
Diretor: Guillermo del Toro
Sinopse: Drama de ação ambientado num futuro distante, quando a Terra está em guerra com os Kaiju, monstros marinhos colossais que emergiram de um portal interdimensional no fundo do Oceano Pacífico.

A Forma da Água (The Shape of Water)
(2017, EUA, Cor, 121min, 16 anos)
Diretor: Guillermo del Toro
Fábula sobrenatural com pano de fundo da época da Guerra Fria. Estados Unidos, ali por volta de 1962. No laboratório oculto de alta segurança do governo, experiências bizarras são realizadas.

Programação Brasília

12 de julho – Quinta-feira

16h30 – Drácula (1931, 74min), de Tod Browning – 12 anos

18h30 – A múmia (1932, 73min), de Karl Freund – 12 anos

20h30 – O golem, como ele veio ao mundo (1920, 68min), de Paul Wegener e Carl Boese – 14 anos

13 de julho – Sexta-feira

16h30 – O homem invisível (1933, 72min), de James Whale – 12 anos

18h30 – O médico e o monstro (1931, 98min), de Rouben Mamoulian – 16 anos

20h30 – Sexta-feira 13 (2009, 97min), de Marcus Nispel – 18 anos

14 de julho – Sábado

16h30 – Frankenweenie (2012, 87min), de Tim Burton – 10 anos

18h30 – Frankenstein (1931, 70min), de James Whale – 12 anos

20h30 – A noiva de Frankenstein (1935, 75min), de James Whale – Livre

17 de julho – Terça-feira

18h30 – A pequena loja dos horrores (1986, 94min), de Frank Oz – 14 anos

20h30 – A pequena loja dos horrores (1960, 72min), de Roger Corman – 14 anos

18 de julho – Quarta-feira

16h30 – Mar negro (2014, 92min), de Rodrigo Aragão – 18 anos

18h30 – O lobisomem (1941, 70min), de George Waggner – 12 anos

20h30 – Um lobisomem americano em Londres (1983, 97min), de John Landis – 18 anos

19 de julho – Quinta-feira

14h30 – Gremlins (1984, 102min), de Joe Dante – Livre SESSÃO COM AUDIO DESCRIÇÃO

16h30 – King Kong (1933, 94min), Merian Caldwell Cooper e Ernest B. Schoedsack – Livre

18h30 – Cloverfield – monstro (2008, 90min), de Matt Reeves – 14 anos

20h30 – Godzilla (1954, 96min), de Ishirô Honda – 12 anos

20 de julho – Sexta-feira

16h30 – A mosca (1986, 96min), de David Cronenberg – 14 anos

18h30 – O monstro da lagoa negra (1954, 79min), de Jack Arnold – Livre

20h – Debate CINEMA & MONSTROS: UMA HISTÓRIA DE AMOR, com o curador Breno Lira Gomes, a pesquisadora Rita Ribeiro e o crítico Tiago Belotti, do canal Meus 2 Centavos – Livre

21 de julho – Sábado

10h – Masterclass: Da natureza dos monstros: o fascínio do gênero horror no cinema – 18 anos

16h30 – A festa do monstro maluco (1967, 95min), de Jules Bass – Livre

18h30 – A múmia (1932, 73min), de Karl Freund – 12 anos

20h30 – A lenda do cavaleiro sem cabeça (1999, 105min), de Tim Burton – 18 anos

22 de julho – Domingo

10h30 – Sessão BB Azul de Cinema: Monstros S.A (2001, 92min), de Pete Docter – Livre

14h30 – Sessão BB Azul de Cinema: Monstros S.A (2001, 92min), de Pete Docter – Livre

16h30 – Drácula (1931, 74min), de Tod Browning – 12 anos

18h – Drácula – O vampiro da noite (1958, 82min), de Terence Fisher – 16 anos

20h – Drácula de Bram Stocker (1992, 127min), de Francis Ford Coppola – 14 anos

24 de julho – Terça-feira

16h30 – A hora do pesadelo (1986, 92min), de Wes Craven – 18 anos

18h30 – A meia noite levarei sua alma (1964, 81min), de José Mojica Marins – 16 anos

20h30 – Mar negro (2014, 92min), de Rodrigo Aragão – 18 anos

25 de julho – Quarta-feira

16h – A forma da água (2017, 121min), de Guillermo del Toro – 16 anos SESSÃO COM LEGENDA DESCRITIVA

18h30 – Monstros (Freaks) (1932, 63min), de Tod Browning – 16 anos

19h40 – Debate DE ONDE NASCEM OS MONSTROS? Com o curador Breno Lira Gomes, a pesquisadora Julia Maass e o crítico e pesquisador Sergio Moriconi – Livre

26 de julho – Quinta-feira

16h – A mosca (1986, 96min), de David Cronenberg – 14 anos

18h – O enigma de outro mundo (1983, 109min), de John Carpenter – 16 anos

20h30 – Alien – O 8º passageiro (1979, 115min), de Ridley Scott – 14 anos

27 de julho – Sexta-feira

16h30 – Cloverfield – monstro (2008, 90min), de Matt Reeves – 14 anos

18h30 – King Kong (1933, 94min), Merian Caldwell Cooper e Ernest B. Schoedsack – Livre

20h30 – Tubarão (1975, 124min), Steven Spielberg – 14 anos

28 de julho – Sábado

14h – Oficina de Maquiagem e Caracterização – 14 anos

16h30 – Monstros S.A (2001, 92min), de Pete Docter – Livre

18h30 – Frankenstein (1931, 70min), de James Whale – 12 anos

20h30 – O jovem Frankenstein (1974, 105min), de Mel Brooks – 10 anos

29 de julho – Domingo

14h – Oficina de Maquiagem e Caracterização – 14 anos

16h30 – Onde vivem os monstros (2009, 101min), de Spike Jonze – 10 anos

18h30 – A noiva de Frankenstein (1935, 75min), de James Whale – Livre

20h30 – Deuses e monstros (1998, 105min), de Bil Condon – 14 anos

31 de julho – Terça-feira

18h30 – A pequena loja dos horrores (1986, 94min), de Frank Oz – 14 anos

20h30 – Drácula – O vampiro da noite (1958, 82min), de Terence Fisher – 16 anos

01 de agosto – Quarta-feira

15h – Círculo de fogo (2013, 132min), de Guillermo del Toro – 12 anos

18h – O hospedeiro (2007, 110min), de Bong Joon-ho – 14 anos

20h30 – O enigma de outro mundo (1983, 109min), de John Carpenter – 16 anos

02 de agosto – Quinta-feira

15h30 – Um lobisomem americano em Londres (1983, 97min), de John Landis – 18 anos

17h30 – Alien – O 8º passageiro (1979, 115min), de Ridley Scott – 14 anos

20h30 – A hora do pesadelo (1986, 92min), de Wes Craven – 18 anos

03 de agosto – Sexta-feira

16h – Drácula de Bram Stocker (1992, 127min), de Francis Ford Coppola – 14 anos SESSÃO COM INTÉRPRETE DE LIBRAS

18h30 – O monstro da lagoa negra (1954, 79min), de Jack Arnold – Livre

20h30 – A forma da água (2017, 121min), de Guillermo del Toro – 16 anos

05 de agosto – Domingo

16h30 – O lobisomem (1941, 70min), de George Waggner – 12 anos

18h30 – O fantasma da ópera (1943, 93min), de Arthur Lubin – 14 anos

20h30 – O vingador tóxico (1984, 82min), de Lloyd Kaufman e Michael Herz – 18 anos

07 de agosto – Terça-feira

18h30 – Onde vivem os monstros (2009, 101min), de Spike Jonze – 10 anos

20h30 – Gremlins (1984, 102min), de Joe Dante – Livre

Sobre o Curador

A curadoria da mostra MONSTROS NO CINEMA está a cargo de Breno Lira Gomes. Jornalista e produtor cultural mineiro, residente no Rio de Janeiro, com passagens pelo curso de cinema da Universidade Estácio de Sá, pela Pipa Produções, pelo Ponto Cine e pela Mostra Geração do Festival do Rio. É curador dos festivais Curta Cabo Frio e Maranhão na Tela desde 2007. Assinou a curadoria e coordenação geral das mostras El Deseo – O apaixonante cinema de Pedro Almodóvar; Cacá Diegues – Cineasta do Brasil; Simplesmente Nelson; A luz (imagem) de Walter Carvalho; O maior ator do Brasil – 100 anos de Grande Othelo; e Pérola Negra: Ruth de Souza. Foi curador e produtor executivo do projeto É Massa! 1ª Mostra do Cinema de Pernambuco. É produtor executivo da mostra Os Melhores Filmes do Ano da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ) desde 2010. Foi produtor executivo das mostras Irmãos Coen – Duas mentes brilhantes; Filmes à mesa; Dario Argento e seu mundo de horror; James Dean – Eternamente jovem; Claudio Pazienza, o encontro que nos move; Neville d’Almeida – Cronista da beleza e do caos; Cine Doc Fr – Mostra de Cinema Documentário Francês Contemporâneo; Carlos Reichenbach – O cinema de autor brasileiro; George A. Romero – A crônica social dos mortos-vivos; O Cinema de Murilo Salles – O Brasil em cada plano; Cine Uruguai; Luís Buñuel – Vida e obra e do curso Questão de Crítica. Coordenou a produção do Curso de Crítica Cinematográfica com Mario Abbade e das mostras John Waters – O papa do trash; Jornada nas Estrelas: Brasil – A fronteira final; David Lynch – O lado sombrio da alma e a 1ª Mostra Cine Literário. Fez a direção de produção do 18º Festival Brasileiro de Cinema Universitário. Foi pesquisador do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, realizado anualmente pela Academia Brasileira de Cinema, entre 2012 e 2016.

Sobre os Debatedores

Rita Ribeiro – participante do debate Cinema & Monstros: Uma história de amor e professora da masterclass Da natureza dos monstros: o fascínio do gênero horror no cinema

Rita Ribeiro é mestre em Comunicação Social, Doutora em Geografia, professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade do Estado de Minas Gerais. Líder do Grupo de Pesquisa Design E Representações Sociais, tem como principal foco em seu trabalho as interações entre o design e os processos culturais.

Tiago Belotti – participante do debate Cinema & Monstros: Uma história de amor

Tiago Belotti é diretor e crítico de cinema. Em 2008 dirigiu “A Capital dos Mortos”, que se tornou uma referência para futuras produções de baixo orçamento no gênero. Em 2013, criou o canal Meus 2 Centavos no YouTube, dedicado à crítica cinematográfica. Em 2015, finalizou o seu segundo longa-metragem: “A Capital dos Mortos 2: Mundo Morto”. Tiago também é comentarista da Rádio CBN, apresentando o quadro Sessão de Cinema, de segunda a sexta, às 16h32.

Julia Maass – participante do debate De Onde Nascem os Monstros?

Julia Maass possui graduação em Comunicação Social – Audiovisual pela Universidade de Brasília (2013) e Mestrado em Cinema e Audiovisual pela Universidade Paris I, Panthéon-Sorbonne revalidado pela Universidade Federal Fluminense como Mestrado em Comunicação Social (2014). Trabalhou como diretora de imagem na Empresa Brasil de Comunicação (2012) e como fotógrafa, cinegrafista e editora de vídeo na Assessoria de Comunicação da Vice-presidência da República. Atualmente é professora no Centro Universitário de Brasília e no Instituto de Educação Superior de Brasília, lecionando as disciplinas de História da Arte, Estética e Comunicação de Massa, Produção de Cinema e TV e Direção de Arte para Cinema. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Direção de Arte e Análise Estética de Cinema.

Sergio Moriconi – participante do debate De Onde Nascem os Monstros?

Jornalista, cineasta e professor de cinema, formado pela Universidade de Brasília, Sérgio Moriconi milita há mais de 25 anos no cinema de Brasília. Organizou e fez a curadoria da mostra Vladimir 70, que celebrou os 70 anos do documentarista Vladimir Carvalho. O evento foi realizado no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília e Rio de Janeiro. Sob sua curadoria, tem realizado inúmeras mostras de cinema em Brasília, em espaços como o Conjunto Cultural da Caixa Econômica, Cinelcube da Casa Thomas Jefferson e Centro Cultural Banco do Brasil. É o responsável pela programação do Cine Brasília.

Thiago Sabino – professor da Oficina de Caracterização e Maquiagem

Thiago Sabino é artista visual, fotógrafo e professor universitário de maquiagem e efeitos especiais, fotografia e encenação em cursos de Cinema, Teatro, Jornalismo e Fotografia no IESB e no UniCEUB, em Brasília. Trabalhou, também, na agência de notícias EFE, em Madri (quarta maior agência do mundo, primeira em idioma espanhol). Já apresentou trabalhos fotográficos e artigos sobre fotografia em âmbitos nacional e internacional.

SERVIÇO

MONSTROS NO CINEMA

Data: 12 de julho a 07 de agosto
Local: Centro Cultural Banco do Brasil Brasília
SCES, Trecho 02, lote 22
CEP: 70200-002 | Brasília (DF)
Tel.: (61) 3108-7600

Funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 21h
Horários de Exibição: verifique a programação
Ingressos: as sessões serão gratuitas
Inscrição para Oficina da maquiagem: enviar nome, RG e telefone para o endereço monstrosnocinema@gmail.com Vagas limitadas.
Classificação indicativa: ver programação

Inédito no Brasil, documentário de Ingmar Bergman estreia no Curta!

Inédito no Brasil, documentário de Ingmar Bergman estreia no Curta!

Picture taken in the 1960s in Sweden shows legendary Swedish filmmaker and theater director Ingmar Bergman shooting a movie. / AFP PHOTO / SCANPIX SWEDEN / BONNIERS HYLEN

O documentário “Ingmar Bergman – Por Trás da Máscara” estreia com exclusividade no Curta!, sábado, 14, às 22h10, dia em que Bergman completaria cem anos. A produção enfoca um momento peculiar da vida do cineasta sueco: o ano em que, recuperando-se de uma profunda crise, ele rodou “Persona”, tido como um dos melhores filmes de todos os tempos. Filmado na Ilha de Fårö durante um período conturbado para o realizador, “Persona” marcou a primeira aparição de Liv Ullmann em uma de suas obras. A atriz, que viria a ser considerada sua maior “musa”, teve com ele uma filha. Único diretor a ser premiado com a Palma das Palmas no Festival de Cannes, Bergman é visto como o mestre maior por cineastas como Quentin Tarantino, Woody Allen e Michael Haneke.  

 

Jorge Mautner, um dos grandes nomes da Tropicália, ganha releituras de suas composições em episódio inédito da série exclusiva “Os Ímpares”, na Segunda da Música, 9, às 20h. A banda Exército de Bebês faz sua versão bem-humorada da música “Encantador de Serpentes” e a banda Tono relê “Bomba de Estrelas”, faixa que dá nome ao álbum do compositor. Mautner relembra as músicas do disco, e o estúdio recebe a visita de Robertinho do Recife, compositor de “Encantador de Serpentes”. “Os Ímpares” é uma série documental em dez episódios que convida nomes de peso da música brasileira a gravar releituras de faixas presentes em álbuns experimentais das décadas de 60 e 70, que não tiveram o devido reconhecimento na época do seu lançamento. Com direção de Henrique Alqualo e Isis Mello, direção musical de Berna Ceppas e realização da Lunar Multimídia e da Moa Filmes, “Os Ímpares” foi produzida através de financiamento pelo Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.

 

No final do século XIX, surgiu a fotomontagem, um método artístico que abriu caminho para uma nova forma de pensar juntando imagens, ideias, misturando contrastes e criando significados. Valério Vieira foi um dos primeiros a trabalhar com essa técnica no Brasil. No episódio inédito de “Instantes Cruzados”, que vai ao ar na Terça das Artes, 10, às 23h30, Helena de Barros debate com Milton Guran a evolução no processo de manipulação de imagens e cria a sua versão de “Os Trinta Valérios”, fotomontagem icônica do artista.

 

Na Quarta de Cinema, 11, às 20h, a faixa “A Vida é Curta!” apresenta uma seleção de filmes sobre artistas da Bossa Nova, celebrando os 60 anos do movimento. Abrindo a faixa, “Vinicius de Moraes, Um Rapaz de Família”, traz o olhar afetivo da filha Susana Moraes, que dirige a produção. A obra mostra o artista na intimidade: o homem que colecionou títulos, de poeta até diplomata, e que vivia cercado de amigos como Oscar Niemeyer, Ferreira Gullar e Tom Jobim. Encerra a sessão o curta “Nelson Cavaquinho”, que mostra o cotidiano do sambista e é dirigido por Leon Hirszman. A produção ganhou o prêmio Destaque do Júri no Festival Brasileiro de Curta-Metragem, em 1971, e foi montada pelo amigo de Hirszman e também cineasta Eduardo Escorel.

 

Na Quinta do Pensamento, 12, às 23h30, o episódio inédito da série documental “Alegorias do Brasil” trata do jeitinho brasileiro. O Brasil não é o único país onde as pessoas dão seu jeitinho, mas provavelmente é o único que se reconhece e se identifica por esse procedimento. O jeitinho é um elemento ambivalente da cultura: de um lado, é desprezo às regras e às leis; mas, de outro lado, é a alternativa criativa para superar o desamparo institucional. No Brasil, o jeitinho parece ser ao mesmo tempo nossa danação e nossa salvação.

 

“Alegorias do Brasil” é a primeira produção do cineasta Murilo Salles idealizada exclusivamente para a TV.  Ao longo de 13 episódios, as alegorias brasileiras – ou seja, as expressões culturais que afirmam a nossa identidade – serão colocadas em discussão e analisadas por nomes como Francisco Bosco, Silviano Santiago, Maria Rita Kehl e Nuno Ramos. A série é uma produção da Cinema Brasil Digital com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.

 

SEGUNDA DA MÚSICA

Os Ímpares (Série Musical) – Episódio: Jorge Mautner – Tono e Exército de Bebês

Exército de Bebês faz sua versão da música “Encantador de Serpentes”. A banda Tono relê “Bomba de Estrelas”, faixa que dá nome ao álbum de Jorge Mautner. Mautner e Robertinho do Recife relembram as músicas do álbum. “Os Ímpares” é uma série documental que tem como tema a releitura de álbuns experimentais das décadas de 60 e 70 que não tiveram o devido reconhecimento na época do seu lançamento.

 

Diretores: Henrique Alqualo e Isis Mello

Duração: 27 min.

Exibição: 9 de julho, segunda-feira, às 20h.

Classificação: Livre.

Horários alternativos:
10 de julho, terça-feira, às 14h.

11 de julho, quarta-feira, às 8h.

PROMO: https://youtu.be/fuZup5B8rmk

FOTOS EM ALTA: https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1QKFRreLNfTCPIgfGcu0eKQYBuuoeJDgp

 

TERÇA DAS ARTES

Instantes Cruzados (Série Documental) – Helenbar: A Fotografia e a Realidade

No final do século XIX, surgiu a fotomontagem, um método artístico que abriu caminho para uma nova forma de pensar juntando imagens, ideias, misturando contrastes e criando significados. Valério Vieira foi um dos primeiros a trabalhar com esta técnica no Brasil. Helena de Barros é a convidada que debaterá com Milton Guran a evolução no processo de manipulação de imagens e fará a releitura da foto de Valério.

 

Diretor: Sérgio Bloch

Duração: 26 min.

Exibição: 10 de julho, terça-feira, às 23h30.

Classificação: Livre

Horários alternativos:

11 de julho, quarta-feira, às 17h30

12 de julho, quinta-feira, às 11h30

FOTOS EM ALTA: https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1QKFRreLNfTCPIgfGcu0eKQYBuuoeJDgp

 

QUARTA DE CINEMA

Projeções (Série) – Gregorio Graziosi

A série “Projeções” joga luz sobre o mais recente cinema expandido brasileiro, em seus diferentes gêneros e formatos. O programa conta com 15 episódios em que realizadores falam frente às suas obras projetadas, expondo seus processos de criação, desafios e conquistas. Neste episódio, o diretor Gregorio Graziosi explora a temporalidade e o esquecimento em seus curtas-metragens “Seba”, “Phiro” e “Monumento”.

 

Diretora: Renata Druck

Duração: 14 min.

Exibição: 11 de julho, quarta-feira, às 23h45.

Classificação: 10 anos

Horários alternativos:

12 de julho, quinta-feira, às 17h45

13 de julho, sexta-feira, às 11h45

FOTOS EM ALTA: https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1QKFRreLNfTCPIgfGcu0eKQYBuuoeJDgp

 

A Vida é Curta

Esta semana, a sessão celebra os 60 anos da Bossa Nova com os filmes “Vinícius de Moraes, Um Rapaz de Família” e “Nelson Cavaquinho”

Exibição: 11 de julho, quarta-feira, às 20h

Classificação: Livre.

Horários alternativos:

PROMO: https://youtu.be/Yu8cMe8-UIo

FOTOS EM ALTA: https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1QKFRreLNfTCPIgfGcu0eKQYBuuoeJDgp

 

QUINTA DO PENSAMENTO

Alegorias do Brasil (Série Documental) – Jeitinho

O Brasil não é o único país onde as pessoas dão seu jeitinho, mas provavelmente é o único que se reconhece e se identifica por esse procedimento. O jeitinho é um elemento ambivalente da cultura: de um lado, é desprezo às regras e às leis; mas, de outro lado, é a alternativa criativa para superar o desamparo institucional. No Brasil, o jeitinho parece ser ao mesmo tempo nossa danação e nossa salvação.

 

Diretor: Murilo Salles

Duração: 26 min.

Exibição: 12 de julho, quinta-feira, às 23h30

Classificação: Livre

Horários alternativos:

13 de julho, sexta-feira, às 17h30

15 de julho, domingo, às 10h

PROMO: https://youtu.be/3Ynvel9Q32w

FOTOS EM ALTA: https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1QKFRreLNfTCPIgfGcu0eKQYBuuoeJDgp

 

O Guia Pervertido da Ideologia – parte 2 (Documentário)

Os realizadores de O Guia Pervertido do Cinema retornam com essa busca por significados escondidos no cinema. O filósofo Slavoj Zizek usa sua interpretação das imagens em movimento para apresentar uma jornada cinematográfica ao coração da ideologia: os sonhos que formam nossas convicções e costumes coletivos.

Diretora: Sophie Fiennes

Duração: 55 min

Estreia: 12 de março, quinta-feira, às 21h35

Classificação: Livre.

Horários alternativos:

PROMO:  https://youtu.be/kluE7D1FgSg

FOTOS EM ALTA: https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1QKFRreLNfTCPIgfGcu0eKQYBuuoeJDgp

 

SEXTA DA SOCIEDADE

A Guerra das Crianças (Documentário) – Parte 1

Durante anos, as experiências e as histórias daqueles que passaram a infância nos tempos da guerra foram silenciadas. Longe de serem poupadas pelos conflitos brutais, crianças foram jogadas no caos dos tempos mais sombrios e sinistros da História Mundial. Esse documentário reconta a história de uma geração única de crianças que tinham 10 anos em 1940, e que cresceram no epicentro do tenebroso cenário da Segunda Guerra Mundial.  

 

Diretores: Julien Johan e Michèle Durren

Duração: 45 min

Estreia: 13 de julho, sexta-feira, às 20h50.

Classificação: Livre.

Horários alternativos:

PROMO: https://www.youtube.com/watch?v=PlEpwOVevTI

FOTOS EM ALTA: https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1QKFRreLNfTCPIgfGcu0eKQYBuuoeJDgp

 

SÁBADO

Ingmar Bergman – Por trás da máscara (Documentário)

O documentário celebra o centenário do nascimento do grande mestre do cinema autoral, revisitando um momento peculiar da vida de Bergman: o ano de produção de “Persona”. O único diretor premiado com a Palma das Palmas no Festival de Cannes, Bergman é visto como o mestre maior por cineastas como Quentin Tarantino, Woody Allen e Michael Haneke.  

 

Diretora: Manuelle Blanc

Duração: 52 min

Exibição: 14 de julho, sábado, às 22h10.

Classificação: Livre.