Fala sério, Mãe! tem pre-estreias pagas no Dia de Natal

Fala sério, Mãe! tem pre-estreias pagas no Dia de Natal

O dia de Natal será de novidades no cinema brasileiro. Novo filme da atriz Ingrid Guimarães, estrelado também pela estrela teen Larissa Manoela,“Fala Sério, Mãe!” poderá ser visto a partir do dia 25 de dezembro em todas as capitais do Brasil, em 516 telas. Três dias depois, em 28 de dezembro, a produção estreia oficialmente nas salas de todo o Brasil. Baseado no livro de Thalita Rebouças e dirigida por Pedro Vasconcelos, a comédia tem roteiro assinado por Ingrid Guimarães, Paulo Cursino e Dostoiewski Champagnate e participações especiais de Paulo Gustavo e Fábio Jr. No elenco, estão ainda Marcelo Laham (Armando), João Guilherme Avila (Nando) e Cristina Pereira (Dona Fátima). A produção é da Camisa Listrada, coprodução da Fox International Productions, Telecine, Globo Filmes e Focus Entretenimento, e distribuição da Downtown Filmes/Paris Filmes.

O longa é narrado sob o ponto de vista das duas personagens e aborda as principais dificuldades da maternidade nos primeiros anos de vida de Malu, o primeiro dia na escola, as amizades, as descobertas amorosas, os problemas familiares, as queixas e frustrações de Ângela Cristina e a rebeldia e o sentimento de opressão vividos por Malu. Com doses de humor e emoção, a trama retrata como a relação mãe x filha pode se inverter ao longo dos anos. Malu, que antes era uma criança indefesa e que necessitava de cuidados, quando cresce mostra seu lado protetor e amigo por Ângela Cristina, que revela uma faceta mais vulnerável.

 

Sinopse

Que ser mãe é padecer no paraíso todo mundo está cansado de ouvir. Mas… e os filhos? Será que eles também não sofrem sua dose de martírio nessa relação? Em “Fala Sério, Mãe!”, Angela Cristina (Ingrid Guimarães) e Malu (Larissa Manoela) vivem juntas esse aprendizado. Malu quer fazer tudo do seu jeito, enquanto a mãe não perde uma oportunidade de pagar mico. Mas Angela diz que Malu “não é todo mundo”, mesmo que as mães sejam todas iguais. Com muito humor, elas mostram que a relação mãe x filha vai do conflito à amizade, em uma intensa relação de cumplicidade. As habituais – e saudáveis – discordâncias entre mães e filhas são o ingrediente principal desse relato fiel e divertido da convivência, por vezes selvagem, entre criadora e criatura.

 

Elenco:

Ingrid Guimarães – Ângela Cristina

Larissa Manoela – Malu

Marcelo Laham – Armando

João Guilherme – Nando

Cristina Pereira – Dona Fátima

Participações especiais de Fábio Jr. e Paulo Gustavo

 

FICHA TÉCNICA

Diretor: Pedro Vasconcelos

Produção: André Carreira e Tuinho Schwartz

Roteiro: Ingrid Guimarães, Paulo Cursino e Dostoiewski Champagnate

Colaboração de roteiro: Thalita Rebouças e Pedro Vasconcelos

Baseado no livro de Thalita Rebouças

 

Sobre o diretor

Pedro Vasconcelos começou sua carreira como ator de teatro e televisão, mas atualmente é reconhecido por seus trabalhos como diretor de televisão e como autor e diretor de teatro. Entre os trabalhos realizados na TV Globo, destacam-se as minisséries “Hoje É Dia De Maria” e “A Teia” e as novelas “Alma Gêmea”,

“A Favorita” e “Paraíso”. Como diretor geral, Pedro realizou “Escrito nas Estrelas”, “Morde e Assopra”,“Amor Eterno Amor”, “Império” e “Além do Tempo”. No teatro, dirigiu e adaptou sucessos de bilheteria e público como “D’Artagnan e os Três Mosqueteiros” e “Dona Flor e Seus Dois Maridos”. Com essa montagem, recebeu três prêmios Qualidade do Ano de 2008, além de indicação ao Prêmio Shell de melhor diretor. Também no teatro, em parceria com a Twogether Teatro, assinou a direção dos sucessos “Tô Grávida”, “Verticalmente Prejudicado”, “Meu Passado Não Me Condena” e “O Grande Amor da Minha Vida”. No cinema, teve a sua estreia marcada como diretor com o filme “O Concurso”, que fez 1,3 milhão de espectadores. Recentemente, Pedro Vasconcelos dirigiu a novela “A Força do Querer”, de Glória Perez, e o filme “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, que chegou aos cinemas em novembro com Juliana Paes, Marcelo Faria e Leandro Hassum. Agora, ele lança “Fala Sério, Mãe!”, baseado no livro homônimo de Thalita Rebouças.

 

Por Anna Barros

Anúncios
Poltrona Cabine: Fala Sério, Mãe!/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: Fala Sério, Mãe!/ Cesar Augusto Mota

Mais um livro da escritora Thalita Rebouças virou filme. ‘Uma Fada veio me Visitar’, de 2007, foi adaptado e chegou às telonas em 2016 com o título ‘É Fada’, sucesso de público e não tão bem recepcionado pela crítica, agora é vez de ‘Fala sério, Mãe!’, com filme de mesmo título e que promete tocar nos corações do público, principalmente de mães e filhos. Será que ele fará sucesso?

Somos apresentados à Ângela Cristina (Ingrid Guimarães), mãe superprotetora e conservadora, e que tem uma difícil missão, de guiar a filha Malu (Larissa Manoela) em uma fase complicada e de descobertas na vida, a adolescência. Ângela enfrenta diversas frustrações, medos, enfrenta uma avalanche de emoções, mas sem perder a pose e seu jeito peculiar, de criar filhos à moda antiga. Já Malu vai ter que pagar diversos micos por conta do jeitão estranho e despojado da mãe, além de encarar os dilemas e problemas das jovens de sua idade, bem como descobrir o amor e ter mais responsabilidades na vida.

O roteiro apresenta uma história com uma evolução bem sincronizada, retratando todas as fases da vida de Malu, desde seu nascimento até a atual, e diversas situações hilárias envolvendo a garota e sua mãe, sem se esquecer do pai, Armando (Marcelo Laham), que fica um tanto deslocado em diversas ocasiões. Já passamos a ter ideia no início de como a personalidade de Ângela vai ser influente na criação de Malu e como isso vai refletir na vida da jovem ao chegar na adolescência. Ela passa a ser rebelde e a fazer diversas coisas sem contar para a mãe, não com medo d elevar bronca, mas de pagar outro mico. Um grande trunfo do enredo é ilustrar ao espectador a evolução e o quanto Malu amadureceu e também a aproximação dela com a mãe, cuja relação andava bastante estremecida.

Outros trunfos do filme foi não só ficar no universo mãe e filha, mas também abordar questões como namoro, sexo, a independência e amizade, algumas não muito bem administradas pelos jovens e que mereceram atenção durante os 80 minutos de projeção. A dosagem de humor entre as situações envolvendo Ângela e Malu é feita de forma equilibrada, não há somente piadas e humor trash, há espaço para mensagens mais sérias e elas chegam de forma oportuna, sem ser piegas.

Não se deve esquecer também da ótima química entre Larissa Manoela e Ingrid Guimarães, as duas muito à vontade em cena, e ambas souberam equilibrar os momentos hilários com os mais tensos, elas transmitiram verdade em suas atuações, além de serem dotadas de carisma e da capacidade de prender o público com suas expressões, de alegria, de tristeza, de medo e de histeria, desafio e tanto para grandes atrizes.

Humor, drama, risadas, emoções, temos um mix em um filme que promete não só divertimento, mas também reflexão e aprendizado. ‘Fala Sério, Mãe!’ não é um longa voltado só para o público infanto-juvenil, ele pode ser visto por toda a família, entretenimento e diversão são garantidas!

Avaliação: 4/5 poltronas.

 

 

Por: Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: Mãe!/ Cesar Augusto Mota

Poltrona Cabine: Mãe!/ Cesar Augusto Mota

Um filme pautado por muitas metáforas, alegorias e muito terror psicológico. Assim defino ‘Mãe!’, novo trabalho do diretor Darren Aronofsky, que promete não só mexer com a cabeça do espectador, mas mostrar a ele o real significado das coisas, mesmo que não façam sentido numa primeira vista.

A narrativa conta a história de um homem (Javier Bardem) e uma mulher (Jennifer Lawrence), que vivem em uma casa de campo isolada. O marido é poeta e sofre de bloqueio criativo, já a esposa é uma dona de casa dedicada e disposta a restaurar toda a estrutura da moradia. A rotina deles parece tranquila, até ser interrompida de forma repentina por um casal que chega no meio da noite e acaba com a tranquilidade que ali reinava. Os comportamentos desses visitantes indesejados pela esposa, interpretados por Ed Harris e Michelle Pfeiffer, são um tanto enigmáticos e beiram à insanidade, e a partir de tudo isso somos inseridos em um cenário repleto de sustos, loucuras e diversos percalços, deixando não só os personagens, como os espectadores confusos e perdidos.

Na medida em que as ações se desenvolvem, um quebra-cabeças vai se configurando e aos poucos você vai juntando as peças representadas pelas situações surreais ilustradas e tudo começa a fazer sentido. Como dito anteriormente, há um significado por trás do que é apresentado, o que você vê inicialmente não representa o real significado, há uma carga de simbolismo, representada por metáforas e alegorias. O roteiro prima por não mostrar o óbvio, mas dá margens para o espectador ter várias interpretações, e esse é o ponto alto do roteiro, também assinado por Arronofsky. Ele tenta não só envolver o espectador na trama, como também provocá-lo com uma história insana, alucinante e com atos não aceitos em contexto social, na maioria das vezes.

A fotografia é bem chamativa, com alternância de cores quentes no início e tons mais sombrios quando a realidade é quebrada, seja por ações inesperadas dos personagens entre si ou fenômenos estranhos que aconteciam na casa. A câmera atrás da personagem de Jennifer Lawrence, no alto de seu ombro e sempre a acompanhando, ou em tomada frontal e bem enquadrada, nos faz lembrar de outros sucessos de Arronofsky, como Cisne Negro e O Lutador. Em ‘Mãe!”, a sensação que temos ao acompanhar a esposa tão atormentada com o que está acontecendo ao seu redor nos faz sentir claustrofóbicos, desesperados, perturbados, e as sombras ao fundo dos demais personagens nos faz pensar que não há como sair daquele clima de prisão que assolava o local.

As atuações do elenco são fantásticas, Jennifer Lawrence praticamente carrega todo o filme, é nela que a câmera fica concentrada, e é possível se deparar com uma impressionante transformação, de mulher comedida no início para depois encarnar um tom bem mais dramático após tudo começar a sair dos eixos. Javier Bardem, apesar de mostrar um personagem um tanto benevolente no início, impressiona posteriormente por sua imponência e presença. Michele Pfeiffer, apesar das poucas cenas, traz para o filme uma atmosfera mais tensa e cheia de mistério, e sua personagem a deixar a esposa, representada por Lawrence, um tanto deslocada e estranha dentro de sua própria casa. Já Ed Harris, o médico estranho que tem seus problemas aos poucos desvendados, não fica atrás, deixa seu impacto na trama, e seu drama pessoal vai impactar a todos e influenciar nos desdobramentos a partir do segundo ato.

Apesar da proposta ao apresentar uma narrativa confusa e complexa, Darren Arronofsky nos brinda com um conjunto de ações que vão se desencadeando e guardando ligações umas com as outras e farão o espectador entender tudo o que está sendo retratado, e esse é o grande trunfo de ‘Mãe!’, de oferecer uma história bem diferente do que vem sendo contado e proporcionar um desafio a mais a quem está assistindo, de juntar as pistas, virar a chave e matar a charada. Quem gosta de filmes que tragam mais que cenas de susto, ranger de portas e gritos, esse certamente é uma ótima sugestão!

Avaliação: 4/5 poltronas.

 

Por: Cesar Augusto Mota

Michelle Pfeiffer fica devastada ao ver “Mãe”

Michelle Pfeiffer fica devastada ao ver “Mãe”

Em vídeo inédito divulgado pela Paramount Pictures, Michelle Pfeiffer fala sobre a reação visceral que teve após assistir ao resultado final do longa “Mãe!”. Integrante do elenco ao lado de Jennifer Lawrence, Javier Bardem e Ed Harris, a atriz conta que, mesmo conhecendo a trama, ficou devastada após sessão do filme. Para assistir ao depoimento, clique aqui.

Em ‘Mãe!’, a relação de um casal é testada quando visitantes não esperados chegam à sua casa e atrapalham a tranquilidade da família. Do diretor Darren Aronofsky (de “Cisne Negro” e “Requiem para um Sonho”), “Mãe!”é um suspense psicológico sobre amor, devoção e sacrifício. Com distribuição da Paramount Pictures, o filme chega aos cinemas brasileiros em 21 de setembro.

 

Paramount Pictures divulga primeiro trailer de ‘Mãe!’, novo longa de Darren Aronofsky

Paramount Pictures divulga primeiro trailer de ‘Mãe!’, novo longa de Darren Aronofsky

Acaba de ser lançado o trailer oficial de ‘Mãe!’, novo filme de suspense de Darren Aronofsky, mesmo diretor de ‘Cisne Negro’, ‘Noé’ e ‘Fonte da Vida’. Confira abaixo as versões dublada e legendada.

Dublada:

 

Legendada:

 

O elenco contará com as participações de Javier Bardem e Jennifer Lawrence, bem como de Ed Harris, Michelle Pfeiffer, Domhnall Gleeson, Kristen Wiig, entre outros astros.

A história acompanha a vida de um casal (Bardem e Lawrence) que terá seu relacionamento testado após a chegada de pessoas não convidadas, acabando com a tranquilidade que até então era reinante.

‘Mãe!’ chega aos cinemas brasileiros em 21 de setembro de 2017, com distribuição da Paramount Pictures.

Por: Cesar Augusto Mota

Terror psicológico com Jennifer Lawrence ganha primeiro teaser. Veja!

Terror psicológico com Jennifer Lawrence ganha primeiro teaser. Veja!

A Paramount Pictures acaba de lançar o primeiro teaser de ‘Mãe!’, terror psicológico dirigido por Darren Aronofsky e protagonizado por Jennifer Lawrence. O primeiro trailer será lançado em 8 de agosto.

A narrativa conta a história de um casal que passa a ter o relacionamento testado após a chegada de pessoas não convidadas e que acabam com a tranquilidade entre eles. O elenco conta com as atuações de Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Michelle Pfeiffer e Ed Harris.

 

 

O longa chega aos cinemas brasileiros em 21 de setembro de 2017.

Por: Cesar Augusto Mota